Tudo sobre a raça Pequinês

O Pequinês é um cão pequeno, ativo e amável, que exibe uma aparência muito particular. Confira tudo sobre sua personalidade, imagens, cuidados e filhotes.
  • Pequinês
  • Pequinês branco
  • Pequinês deitado
  • Características do Pequinês
  • Pequinês em pé na grama
  • Pequinês marrom na lama
  • Pequinês peludo
  • Qual é o preço de um Pequinês
  • Pequinês preto
  • Rosto do Pequinês

O Pequinês é um cão pequeno, ativo e amável, que exibe uma aparência muito particular. Hoje em dia, pode ser bem difícil encontrar um destes cãezinhos passeando pelas ruas do nosso país, porém, a raça foi um verdadeiro fenômeno de popularidade durante as décadas de 70 e 80.

Apesar de não estar no auge de sua fama, estes pequenos peludos são excelentes cães de companhia, que zelam enormemente pela proteção de seus familiares. Por isso, se você está pensando em adotar um cãozinho, te propomos conhecer melhor esta encantadora raça, sua aparência e os detalhes de seu temperamento.

Além disso, também resumimos os cuidados básicos para oferecer uma vida saudável e feliz a um cão Pequinês.

Índice – você encontrará as seguintes informações nesse artigo:

  1. Ficha técnica
  2. Características da raça
  3. Características físicas
  4. Personalidade
  5. Como cuidar
  6. Saúde
  7. Filhotes
  8. Preço
  9. Dúvidas frequentes
  10. História

Ficha técnica da raça Pequinês:

Adaptação
Bom para apartamento
Gosta de ficar sozinho
Gosta de outros cachorros
Gosta de gatos
Gosta de estar com a família
Higiene e saúde
Cuidados com a higiene
Riscos com a saúde
Solta pelos
Tamanho
Treinamento
Fácil de adestrar
Necessidade de exercícios físicos
Late muito
Gosta de brincadeiras
Características da raça:

Grupo: Grupo dos Toys
Altura: 15 a 23 cm para machos e fêmeas
Peso: 3,2 a 6,4 kg para machos e para fêmeas
Personalidade: Altivo, Boa natureza, Teimoso, Afetuoso, Agressivo, Inteligente
Expectativa de vida: 12 a 15 anos

Características físicas do Pequinês

O Pequinês é um cão pequeno e baixinho, porém, com notável robustez e uma beleza muito particular. Suas patas são bem curtas e seu corpo é notavelmente alongado, tendo um comprimento bastante superior à altura. Seu peito é largo e forte, exibindo costelas bastante arqueadas.

Embora o padrão oficial da raça não determine um tamanho exato, machos e fêmeas costumam medir de 20 cm a 27 cm quando alcançam a idade adulta. Por outro lado, a FCI (Federação Cinológica Internacional) remarca que o peso corporal desejável para estes cãezinhos é de 4 kg, não devendo superar os 5,4kg para presevar sua boa saúde.

A cabeça do Pequinês é robusta e possui um tamanho relativamente grande se comparada ao resto do seu corpo. Seu focinho é curto, porém, o stop é bem definido. Além disso, a parte do crânio compreendida entre as orelhas é reta e plana.

Também são chamativas suas orelhas com formato de coração, que estão cobertas por longas mechas. Já seus olhos são redondos, escuros e estão sempre brilhantes. Por último, o rabo deve ser de inserção alta e pode se curvar sobre o dorso do cão e a ambos os lados.

Estes cães chamam muita atenção pelo aspecto leonino proporcionado pela abundante pelagem que emoldura seu rosto, formando uma espécie de juba.

A pelagem que reveste toda a extensão de seu corpo é formada por duas camadas. A capa interna é densa e possui pelos curtos, lanosos e suaves. Já a externa mostra pelos longos, lisos e ásperos. O padrão da raça aceita qualquer cor de pelagem, incluindo os exemplares que apresentam manchas no focinho e no corpo. Porém, os cães albinos não estão previstos no padrão da raça e os cruzamentos não são recomendáveis.

Personalidade e temperamento do Pequinês

Embora sua aparência seja pequenina e fofinha, o Pequinês tem uma personalidade forte, que esbanja coragem, energia e ousadia. Porém, é importante compreender que o comportamento de todo cão dependerá fundamentalmente da educação e do ambiente proporcionados por seu tutor.

No seu núcleo familiar, o Pequinês se mostra carinhoso, sereno e muito devotado aos seus tutores. Geralmente, estes cãezinhos criam um vínculo muito forte com uma pessoa (aquela que reconhece como seu líder ou seu tutor), mas sem demonstrar um “hiperapego”. Porém, também são perfeitamente capazes de transmitir amor, brincar e obedecer aos demais membros da família.

Personalidade do Pequinês
O Pequinês tem personalidade forte, que esbanja coragem, energia e ousadia.

Quando se encontram na presença de desconhecidos, os Pequineses tendem a ser indiferentes, e não escandalosos ou metidos a valentões. Na verdade, dificilmente estes cãezinhos sairão por aí em busca de brigas. Porém, também não escaparão nem demonstrarão medo frente a outros cães ou outras pessoas.

Sua personalidade forte e obstinada é muito maior que seu próprio corpo. Por isso, é importante socializar seu Pequinês desde filhotes para ensiná-lo a se relacionar com outros animais e com seu próprio território.

Apesar de adequar-se facilmente à vida familiar e desfrutar de mimos e brincadeiras, os Pequineses não são os típicos cãezinhos de colo. Estes cachorros são muito independentes, obstinados e seguros de si mesmo, por isso, podem tomar decisões por conta própria.

Graças à sua fortaleza de caráter, o Pequinês ganhou certa má fama de ser desobediente, teimoso ou de não reconhecer autoridades. Mas isso está longe de ser verdade. Os Pequineses são cães muito inteligentes, corajosos e muito predispostos ao treinamento.

Porém, necessitam contar com um tutor experiente, que conte com a paciência, o afeto e as habilidades necessárias para ensiná-los de forma positiva. Quando são bem educados e contam com um ambiente favorável, os Pequineses podem aprender uma grande variedade de truques e tarefas.

Como cuidar de uma cachorro Pequinês

A manutenção das longas mechas do Pequinês requer dedicação por parte dos seus tutores. Para eliminar os pelos mortos e evitar a formação de nós, é necessário escovar diariamente a pelagem destes cãezinhos. As escovações sempre devem ser feitas com os pelos secos, porque é muito difícil desfazer os nós com a pelagem molhada.

Os banhos podem ser dados a cada 2 meses, em climas temperados, ou 1 vez por mês em climas mais quentes. E antes de cada banho, é essencial realizar uma escovação prévia.

Para complementar a higiene de seu Pequinês, é importante estar atento às suas orelhas, pois ele tende a acumular umidade e impurezas nesta região, o que favorece o desenvolvimento de infecções (como a otite canina). Além disso, é importante limpar diariamente as remelas de seus olhos e escovar seus dentes de 2 a 3 vezes por semana.

Como te contamos anteriormente, o Pequinês é um cão independente e obstinado, que pode se tornar cabeça dura quando não recebe uma educação adequada. Por isso, o adestramento e a socialização serão cuidados essenciais na criação destes cãezinhos.

Um filhote de Pequinês deverá começar seu processo de socialização ao completar seu primeiro ciclo de vacinas e tratamentos antiparasitários (entre seus 5 ou 6 meses de vida). E o adestramento será fundamental para evitar a teimosia que caracteriza muitos exemplares desta raça, e ensiná-los a respeitar as normas de sua casa.

Embora não seja uma das raças mais ativas, os Pequineses também necessitarão exercitar-se diariamente para manter um peso saudável e um comportamento equilibrado. Seu cãozinho ficará feliz e bem exercitado com 2 passeios diários, com 30 a 40 minutos de duração cada um, sempre com intervalos para descanso e recuperação. Porém, você precisará prestar um pouco mais de atenção à estimulação cognitiva do seu melhor amigo. O ideal é oferecer brinquedos e jogos interativos que estimulem sua inteligência, mesmo quando você não esteja em casa.

Como todo cão, o Pequinês precisa receber uma nutrição completa e equilibrada para permanecer saudável, feliz e ativo. Por isso, é indispensável escolher uma ração de ótima qualidade e respeitar as quantidades adequadas de acordo com seu tamanho, peso e idade. Além disso, recomendamos consultar seu veterinário sobre a possibilidade de complementar sua dieta com suplementos naturais e vitaminas que ajudem a preservar a boa saúde de seus pelos e de sua pele.

Cuidados com a saúde e principais doenças

O Pequinês é uma raça resistente, que costuma desfrutar de uma privilegiada expectativa de vida entre 12 e 15 anos, a qual se pode estender quando o cão recebe uma adequada medicina preventiva e convive em um ambiente positivo.

Porém, como esta raça possui baixa variedade genética, demonstra predisposição genética a certas doenças hereditárias, como:

  • Cataratas
  • Atrofia progressiva de retina
  • Palato mole alongado
  • Narinas estenotipas
  • Luxação de patela
  • Disticiasis
  • Triquíase
  • Dermatite de dobra de pele
  • Degeneração dos discos vertebrais
  • Cálculos no trato urinário
  • Prolapso do globo ocular e inflamações oculares

É importante ressaltar que todo cão necessita receber uma adequada medicina preventiva para preservar sua saúde e desfrutar de sua longevidade. Por isso, para cuidar bem do seu Pequinês, não esqueça as visitas periódicas ao veterinário (de 6 em 6 meses), o calendário de vacinação  e os tratamentos antiparasitários internos (vermífugos) e externos (pipetas, comprimidos mastigáveis, etc).

Filhotes de Pequinês

Se sua cadela acaba de ser mamãe, será fundamental levar os filhotes ao veterinário para dar início à sua imunização, controlar seu crescimento e ganho de peso. Além disso, as fêmeas devem contar com o acompanhamento de um médico veterinário durante toda sua gestação.

Os pequenos Pequineses precisarão dormir bastante para se desenvolver corretamente. Entre seus 6 e 7 meses de vida, os filhotes experimentarão um crescimento acelerado, mas só poderão ser considerados adultos depois de completar seu primeiro ano de vida.

Filhote de Pequinês
Filhote de Pequinês

Como são donos de uma personalidade forte e independente, os Pequineses devem ser bem educados e socializados desde sua infância. Assim que seu cãozinho chegar ao novo lar, será essencial apresentar as normas da casa e evitar reforçar condutas inapropriadas. Ao completar o primeiro ciclo de vacinas e tratamentos contra vermes, pulgas e carrapatos (entre seu 5º e 6º mês de vida), será o momento ideal para começar a socializá-lo.

Quanto custa um Pequinês?

O preço de um filhote de Pequinês varia de acordo com sua linhagem, seu sexo e seu canil de origem. Um cãozinho com pedigree e que também é herdeiro de exemplares premiados internacionalmente terá um valor mais elevado, porque sua genética é apreciada no mercado cinófilo. Atualmente, um filhote de Pequinês no Brasil, pode custar entre R$1500 e R$3500.

Queremos aproveitar esta oportunidade para te dar uma excelente dica: existem diversos cachorros, de todos os tamanhos, idades, personalidades e aparências, ansiosos por receber o carinho de uma família. Adotar é um ato de amor e todo cão, seja mestiço ou de raça definida, pode aprender e brindar afeto incondicional a seus familiares.

Porém, se você ainda optar por adquirir um Pequinês em um canil, lembre-se de escolher estabelecimentos confiáveis, que estejam devidamente registrados e cumpram com as normas de segurança, higiene e respeito à vida animal. Não se recomenda comprar filhotes diretamente com particulares, em pet shops ou pela internet.

Dúvidas frequentes sobre a raça

  1. O Pequinês late muito?

    Sim, os Pequineses costumam latir muito e fazer bastante barulho. Como estes cãezinhos possuem sentidos bem apurados, costumam latir ao reconhecer barulhos ou estímulos estranhos no seu território. Por isso, devem ser educados desde filhotes para controlar seus impulsos e aprender a respeitar as normas da casa.

  2. Os Pequineses soltam muitos pelos?

    Sim, o Pequinês é um cão que pode soltar muito pelo e sua abundante pelagem requer escovações diárias para evitar a formação de nós, a acumulação de impurezas e manter bons hábitos de higiene em nosso lar.

  3. Os Pequineses se adaptam a viver em apartamentos?

    Os Pequineses são excelentes cães para apartamentos, tanto por seu tamanho reduzido como por seu temperamento sereno. Porém, seus tutores necessitarão prestar muita atenção à sua educação e à sua estimulação física e mental.

  4. O Pequinês é sociável com outros pets?

    Como te contamos, os Pequineses são cães independentes e reservados que podem não demonstrar qualquer interesse por interagir com desconhecidos. Porém, como não gostam de ficar sozinhos por muito tempo, podem desfrutar da companhia de outros pets, desde que sejam bem socializados para aprender a se relacionar positivamente com outros indivíduos.

  5. O Pequinês é um bom cão para crianças?

    Para crianças pequenas, não. Para adolescentes e crianças maiores de 10 anos, sim! Devemos lembrar que o Pequinês é um cão muito independente e reservado, que pode reagir instintivamente ao receber algum maltrato não intencional. Por isso, antes de brincar com os pets, as crianças devem compreender que os cães não são brinquedos e podem se machucar. Além disso, seu Pequinês deve ser socializado e aprender as ordens de obediência básica antes de brincar com as crianças.

História e origens do Pequinês

O nome desta raça revela muito sobre suas origens. Pequinês é uma clara referência à cidade de Pequim (atualmente denominada Beijing), a famosa capital chinesa. Estes cãezinhos já eram venerados pelos monges budistas, graças às suas semelhanças físicas com o Leão de Foo, que era um animal mítico e sagrado para a tradicional cultura e religião budista.

Por esta razão, durante muitos anos, os Pequineses só puderam acompanhar aos membros da realeza e da nobreza chinesa. Conta-se que estes cães eram considerados tão nobres na Antiga China que contavam com seus próprios serventes.

A raça alcançou o auge de popularidade na Antiga China durante o reinado da Dinastia Tang (700 d.C. a 1000 d.C.). Porém, os especialistas afirmam que os primeiros cães leões poderiam ter vivido nos séculos II ou III a.C.

Muitos séculos depois, durante a II Guerra do Ópio (em meados de 1860), as tropas franco-inglesas invadiram e saquearam o Palácio de Verão de Pequim. Antes de incendiar a construção, os oficiais resgataram 5 cães Pequineses, que foram levados à Inglaterra e doados a alguns membros da realeza e aristocracia britânica.

O exemplar mais destacado foi oferecido como um nobre presente à Rainha Vitória da Inglaterra, que era reconhecida por seu enorme amor aos cães.

Este acontecimento histórico marcou o início da adoração ocidental pelos cães Pequineses. Desde sua chegada à Inglaterra, a raça ganhou grande notoriedade e sua criação foi promovida inclusive pela própria Rainha. Porém, sua população cresceu muito lentamente, já que estes cãezinhos foram considerados um pet exclusivo das classes sociais mais altas por vários anos.

Somente no século XX, após sua chegada ao continente americano, o Pequinês experimentou seu boom de popularidade e começou a ser considerado um pet familiar, que poderia acompanhar a todos os cidadãos, sem distinções sócio-econômicas.

Durante as décadas de 70 e 80, sua população cresceu exponencialmente e o Pequinês se afirmou como uma das raças caninas mais populares do mundo.