10 curiosidades sobre os cães da raça Pequinês que você não imaginava

Cães da raça Pequinês são bem autênticos e cheios de fatos curiosos. Confira essas 10 curiosidades sobre eles
Pequinês

Sendo uma das menores raças no mundo, chegando apenas até os 6 quilos, o Pequinês é um cão de companhia que adora desfrutar de diversos carinhos no colo do tutor por muitas horas. E assim como a maioria dos cães chineses, o Pequinês tem uma personalidade forte e pode ser bastante teimoso, logo, ele vai costuma ter vontade própria.

Mas além da sua personalidade, esse cãozinho é querido e desejado por muitas pessoas no mundo todo. Além disso, o Pequinês é uma das raças de cães mais antigas do mundo, logo, não faltam curiosidades a seu respeito. Por isso, neste artigo, nós vamos te mostrar 10 curiosidades incríveis sobre os cães dessa raça. Acompanhe até o final!

10 curiosidades sobre os cães da raça Pequinês 

1. Uma das raças mais antigas do mundo

Esse cãozinho pode ser considerado um dos mais antigos do mundo. Sua história começou por volta de 800 d.C. e acredita-se que ele tenha vivido na corte da dinastia T’ang. Criados exclusivamente para serem animais domésticos, os pequineses eram os animais de estimação oficiais do Palácio Imperial Chinês, centro cerimonial e político da China, local hoje conhecido por Cidade Proibida. 

2. O pet do imperador

O Pequinês era um animal muito adorado pela realeza chinesa. Logo, eles eram os cachorros exclusivos do imperador, ou seja, nenhuma outra pessoa poderia ter um Pequinês naquele tempo. Tentar contrabandear ou até mesmo ter o pequinês como pet fora dos muros do palácio imperial, era considerado um crime grave, tendo como pena, a morte.

3. Querido da realeza

Os soldados ingleses encontraram alguns pequineses durante a guerra. Logo, eles decidiram presentear a nobreza com alguns cães da raça. A rainha Vitória, da Inglaterra, ganhou um Pequinês e decidiu batizá-lo de Looty. Mais tarde, a Imperatriz Tseu-Hi, após estabelecer relações comerciais e diplomáticas com os Estados Unidos entre os anos 1861 e 1908, presenteou vários americanos com cães da raça, incluindo a filha de Theodoro Roosevelt, antigo presidente dos Estados Unidos, contribuindo para a divulgação da raça.

4. Ele sabe ser sozinho

Diferente da maioria dos cães, o Pequinês consegue lidar com a solidão. Por isso, dificilmente os cães dessa raça vão apresentar depressão ou ansiedade devido a separação do tutor. Com isso, ele pode passar horas sozinho que logo vai arrumar algo para fazer ou brincar, por isso o enriquecimento ambiental pode ser uma boa pedida. No entanto, isso não significa que você não deva dar atenção a ele. O pequinês, como todos os cães, precisa de amor e carinho da família.

5. São rancorosos

O Pequinês tem uma memória muito boa e pode guardar rancor muito fácil das pessoas. Caso ele seja tratado mal ou de maneira injusta por alguém, ele não vai se esquecer disso facilmente e poderá tratar mal quem o magoou. Mas a memória dele também vale para os bons momentos. Quando tratado com carinho e amor, será fiel e grato durante toda a sua vida.

6. Não é bom com crianças

O Pequinês é um cãozinho com um nível de tolerância baixo e gosta muito de ter o seu espaço respeitado. Logo, ele pode não ser um bom companheiro para crianças, principalmente as que tem menos de 6 anos de idade. A relação pode não ser boa, pois o Pequinês pode ser impaciente. Além disso, ele é um cãozinho frágil e as crianças podem não entender esse fator.

No entanto, esse cãozinho pode ser muito bom com idosos. Mas para que ele tenha uma boa relação com os mais velhos, precisa ser educado e adestrado.

7. Adorado pelos chineses

O Pequinês era adorado pelo povo chinês como uma verdadeira divindade. Ele era considerado pelos chineses a personificação do lendário cão “Fo”, que era conhecido por afugentar os mais espíritos.

8. Se dá bem com gatos, mas não com outros cães

Como você pode perceber, o Pequinês tem uma personalidade bem diferente da maioria dos cães. Logo, ele pode não ser dar bem com outros cachorros, devido ao seu baixo nível de tolerância e o gosto quem tem por manter seu próprio espaço. Mas em contrapartida, esse cãozinho pode se der muito bem com os gatos. Os felinos tendem a respeitar o espaço do Pequinês e brincar com ele apenas em alguns momentos.

9 – Ele é teimoso

O Pequinês, assim como a grande maioria dos cães chineses, é muito teimoso. Por isso, não será fácil adestrar e educar ele, pois poderá relutar bastante em aceitar e aprender os comandos e ensinamentos. Muitas pessoas o consideram um cão rebelde por conta da sua resistência ao aprendizado.

10. Corajoso!

O Pequinês é um cãozinho muito corajoso e fará de tudo para proteger e zelar quem ele ama. No entanto, é preciso ter cuidado. Esse cãozinho não tem muita noção em relação ao seu tamanho, logo, ele pode facilmente arrumar confusão com cães maiores do que ele. É preciso ficar atento para evitar que ele se machuque e entre em brigas com animais maiores.

Como é a saúde do Pequinês?

O Pequinês pode viver cerca de 13 anos e no geral é um animal saudável. No entanto, assim como a maioria dos cães de porte pequeno, o Pequinês pode ter tendência a acumular tártaro e desenvolver problemas bucais. Além disso, ele pode ser um tanto preguiçoso e pode ficar facilmente acima do peso. Fique atento!

Quanto custa um Pequinês?

Um filhote da raça Pequinês pode custar de R$ 1500 a R$ 3000 no Brasil. No entanto, é preciso procurar um canil especializado na raça se você deseja um pequinês puro. Infelizmente, esse cãozinho está suscetível a algumas misturas, o que pode interferir na sua personalidade e características. Fique atento e boa sorte!

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *