Tudo sobre a raça Pinscher

Saiba tudo sobre a raça Pinscher. Conheça suas características, temperamento, cuidados, imagens, preço, filhotes, história e muito mais
  • Pinscher em pé fundo branco
  • Tudo sobre a raça Pinscher
  • Rosto Pinscher
  • 2 Pinscher chocolates
  • Pinscher de perfil
  • Pinscher preto deitado na grama
  • Pinscher preço
  • Pinscher filhote preto
  • Pinscher marrom fundo branco
  • Pinscher Miniatura
  • Pinscher marrom na grama

O Pinscher ou Pinscher miniatura é um dos cães de pequeno porte mais audaciosos, fieis e simpáticos, o que explica sua enorme popularidade ao redor do mundo.

Apesar de seu pequeno tamanho, o Pinscher guarda uma enorme energia e dificilmente para quieto. Também possuem uma personalidade forte e bem marcada. Por isso, devem receber uma educação orientada e ser socializado desde filhotes para respeitar as normas de seu lar e conviver pacificamente com outros animais em seu território.

A seguir, te convidamos para continuar lendo sobre esta extraordinária raça e saber como cuidar bem de seu cão.

Índice – você encontrará as seguintes informações nesse artigo:

  1. Ficha técnica do Pinscher
  2. Características da raça
  3. Personalidade e temperamento
  4. Cuidados básicos
  5. Características físicas do Pinscher
  6. Problemas de saúde de um Pinscher
  7. Filhote de Pinscher
  8. Qual é o preço de Pinscher?
  9. Dúvidas sobre a raça
  10. História e Origem do Pinscher

Ficha técnica da raça Pinscher:

Adaptação
Bom para apartamento
Gosta de ficar sozinho
Gosta de outros cachorros
Gosta de gatos
Gosta de estar com a família
Higiene e saúde
Cuidados com a higiene
Riscos com a saúde
Solta pelos
Tamanho
Treinamento
Fácil de adestrar
Necessidade de exercícios físicos
Late muito
Gosta de brincadeiras
Características da raça:

Grupo: Grupo dos Toys
Altura média: 25 cm a 28 cm para fêmeas e 25 cm a 30 cm para machos
Peso: 3 a 5 kg para fêmeas e machos
Personalidade: Astuto, Extrovertido, Responsivo, Energético, Brincalhão, Amigável
Expectativa de vida: 12 a 15 anos

Personalidade e temperamento do Pinscher

Os Pinschers se destacam por seu temperamento hiperativo, valente, curioso e amável. São verdadeiras pilhas recarregáveis de energia e precisam se exercitar constantemente para manter um caráter equilibrado.

Adoram uma aventura e desfrutam enormemente de brincar, correr e passear com seus tutores. Em seu núcleo familiar, é um dos cachorros mais carinhosos, brincalhões e protetores, porém costumam ser bastante desconfiados frente a pessoas e animais desconhecidos.

Sua personalidade é forte e decidida, tendo muitas semelhanças com outros cães da família Terrier, como o Yorkshire, por exemplo. Estão sempre atentos aos estímulos de seu entorno, por isso podem parecer neuróticos em certas ocasiões e tem certa tendência a latir excessivamente.

Os Pinschers são tão corajosos e protetores que parecem não ter qualquer noção de seu próprio tamanho. Para defender sua família e seu território, não pensam 2 vezes antes de enfrentar cães muito maiores e mais fortes que eles ou qualquer outro animal.

Apesar de causar muita admiração por sua valentia inigualável, estes cãezinhos requerem muita atenção para sua educação e socialização, senão podem acabar sendo um perigo para si mesmos e para seus tutores.

Como cuidar de um Pinscher

Certamente, o cuidado mais fundamental de um Pinscher diz respeito à sua educação e socialização. Apesar de seu pequeno tamanho, estes cãezinhos são donos de uma personalidade enorme e fortíssima, podendo se mostrar bastante rebeldes quando não são devidamente educados.

O adestramento é o melhor exercício para manter seu Pinscher fisicamente e mentalmente ativo, além de ser a melhor maneira de ensiná-lo a reconhecer as normas do lar e os comandos de seus tutores. Já a socialização será indispensável para ensinar seu cãozinho a se relacionar positivamente com as pessoas, com outros animais e também com seu território.

Como são cães hiperativos, a atividade física e a estimulação mental serão cruciais para preservar a saúde e o comportamento estável de seu Pinscher. Por seu reduzido tamanho, podem gastar bastante energia com 2 ou 3 passeios diários, com 25 a 30 minutos cada um.

Também é altamente recomendável oferecer brinquedos e jogos interativos para que seu cãozinho se divirta quando você não está em casa. Lembre-se que um Pinscher sedentário desenvolve facilmente sintomas de stress e pode adotar condutas destrutivas como uma válvula de escape para liberar sua tensão acumulada.

Quanto à sua higiene, os Pinschers requerem cuidados bastante simples. Por ter uma pelagem curta e lisa, apenas 2 ou 3 escovações semanais são necessárias para eliminar pelos mortos e impurezas. Como são cães muito enérgicos, podem se sujar facilmente, mas é importante não exagerar nos banhos para não remover a oleosidade natural que reveste e protege seu corpo. O ideal é banhar seu Pinscher apenas 1 vez por mês.

Todo cão, independente de sua raça, cor, idade ou sexo, deve receber uma alimentação equilibrada para se manter forte, saudável e feliz. Escolha sempre uma ração de excelente qualidade como base de sua dieta e lembre-se de respeitar as porções adequadas ao seu tamanho, seu peso e sua idade. Não exagere nos petiscos e guloseimas, pois os Pinschers costumam ser gulosos e têm tendência à obesidade.

Características físicas do Pinscher

O Pinscher é, esteticamente, uma versão diminuta do Pinscher alemão, mas não possui qualquer alteração associada ao nanismo. Trata-se de um cão de pequeno porte, com corpo forte e musculoso, patas finas e fortes.

Os Pinschers são “quadrados” de corpo, ou seja, a altura é igual ao comprimento de seu corpo. Sua estrutura corporal e seus traços faciais brindam uma notável elegância a esta raça, apesar de seu diminuto porte.

A cabeça do Pinscher é alongada, tendo um focinho afinado e bem pronunciado em relação à linha do crânio. As linhas faciais devem ser suaves e não abruptas. O focinho é pequeno e protuberante, sempre na cor preta. As orelhas podem se apresentar eretas ou dobradas, mas sempre tem forma de “V”. Já os olhos são ovais e escuros, estando levemente esbugalhados.

Antigamente, o rabo costumava ser amputado para cumprir o padrão da raça. Felizmente, a FCI já reconhece esta prática como uma mutilação estética desnecessária, e afirma que tanto o rabo como as orelhas devem ser naturais.

O corpo dos Pinschers é integralmente coberto por uma pelagem densa, formada por pelos curtos, grossos e brilhantes, que estão bem aderidos à pele do animal. Os exemplares mais conhecidos são os bicolores nas cores preto e fogo, porém o padrão da raça também compreende os exemplares de pelagem uniforme nas cores avermelhadas, marrom escuro e marrom avermelhado.

A seguir, resumimos as principais características físicas dos cães de raça Pinscher:

  • Tamanho (altura medida em cruz): machos e fêmeas possuem tamanhos similares, entre 25 cm e 30 cm de altura;
  • Peso corporal: de 4 a 6 kg;
  • Contextura física: corpo quadrado, pequeno e musculoso, dorso reto, com patas curtas, fortes e proporcionais;
  • Pelagem: densa e bem aderida ao corpo do cão, formada por pelos curtos, lisos, macios e brilhantes;
  • Cores de pelagem: bicolores nas cores preto e fogo; uniformes nas cores marrom escuro (chocolate), marrom avermelhado e avermelhado;
  • Cabeça: alongada, focinho afilado e bem pronunciado em relação à linha do crânio; expressões faciais concentradas e despertas (alguns Pinchers podem ter uma aparência “neurótica”, estando sempre atentos);
  • Olhos: escuros, ovais e bem delineados;
  • Nariz: pequeno e protuberante, sempre na cor preta;
  • Rabo: de inserção alta e firme, nunca deve se dobrar sobre o dorso do cão ou se enroscar.

Possíveis problemas de saúde de um Pinscher

O Pinscher é um dos cães de pequeno porte mais saudáveis e resistentes que existem. Sua expectativa de vida é entre 12 e 15 anos, dependendo do estilo de vida proporcionada a cada cão. Um Pinscher que recebe uma boa alimentação, que se exercita diariamente e que é bem cuidado dificilmente adoece e se mostra sempre ativo e bem disposto.

Os Pinschers apenas revelam moderada predisposição genética os seguintes problemas de saúde:

  • Doença De Legg-Perthes
  • Luxação da patela
  • Atrofia Progressiva da Retina
  • Obesidade

Todos os cães, inclusive os mais resistentes, devem receber uma adequada medicina preventiva para manter sua boa saúde e viver muitos anos junto a seus amados tutores.

Para cuidar bem de Pinscher, realize visitas periódicas ao veterinário (de 6 em 6 meses), respeite o calendário de vacinação e não se esqueça dos tratamentos antiparasitários internos (vermífugos) e externos (pipetas, comprimidos mastigáveis, etc).

Filhotes de Pinscher

Uma Pinscher adulta, por cada gestação, costuma parir de 3 a 4 filhotes, mas a ninhada pode chegar a 6 cachorrinhos. Os filhotes terão um crescimento acelerado até seus 7 meses, aproximadamente, mas só alcançarão a idade adulta a partir dos 12 meses.

Se sua Pinscher fêmea está grávida ou acaba de dar à luz a alguns lindos cãezinhos, será muito importante controlar seu estado de saúde e verificar o crescimento e ganho de peso semanal dos cãezinhos.

Será fundamental contar com o acompanhamento de um médico veterinário durante toda a gestação e desde os primeiros dias de vida dos cachorrinhos. Lembre-se que a saúde dos filhotes é mais vulnerável que a dos cães adultos, pois seu sistema imunológico ainda não está completamente desenvolvido.

Além disso, os filhotinhos de Pinscher, por seu pequeno tamanho e escassa pelagem, são extremamente sensíveis ao frio e outras condições climáticas desfavoráveis. Por isso, lembre-se de mantê-los bem aquecidos e protegidos em seus primeiros meses de vida.

Quanto custa um Pinscher?

Se você deseja adquirir um filhote dessa raça, é preciso saber que o preço de um Pinscher dependerá fundamentalmente de sua linhagem, seu sexo e do canil de origem. Se os progenitores do cãozinho foram campeões internacionais, seu valor será bem elevado, já que sua genética é considerada de grande nobreza. Hoje em dia, um filhote de Pinscher pode custar entre R$1800 e R$3500.

Lembre-se de optar por canis confiáveis, que estejam devidamente registrados, e cumpram com as normas de segurança e higiene. Não indicamos comprar filhotes diretamente com particulares, em pet shops ou na internet.

Dúvidas frequentes sobre os Pinschers

O Pinscher solta muito pelo?

O Pinscher não solta muito pelo e sua pelagem curta e lisa é muito fácil de cuidar. Com 2 ou 3 escovações semanais, você conseguirá manter a pelagem do seu Pinscher bela, brilhosa e saudável.

Lembre-se também de não dar banho em excesso. 1 banho por mês será mais que suficiente.

O Pinscher late muito?

Os Pinschers costumam ser cachorros que latem muito e podem latir para alertar seus tutores da chegada de um estranho ou simplesmente para pedir brincadeiras, passeios ou comida.

Por isso, todo Pinscher deve ser educado e socializado desde filhote para não se tornar um cão que late excessivamente.

A raça Pinscher é boa para apartamento?

Por seu pequeno porte, os Pinschers podem se adaptar muito bem a viverem em apartamentos. Porém, precisarão se exercitar diariamente e contar com brinquedos e jogos interativos para se manterem ativos.

O ideal é realizar de 2 a 3 passeios diários, com 20 a 30 minutos cada para fazer seu Pinscher gastar energia e também socializar com outros cães.

Lembre-se que um Pinscher sedentário se torna vulnerável aos sintomas de stress e pode desenvolver condutas destrutivas durante a ausência de seus tutores.

O Pinscher é um bom cão para crianças?

Os Pinschers são muito ativos, protetores e brincalhões, podendo acompanhar nossos pequenos em suas aventuras do dia-a-dia. Porém, esta raça não é indicada para crianças muito pequenas, por seu pequeno tamanho e hiperatividade.

O Pinscher é um cão ideal para crianças a partir dos 8 ou 10 anos, que já compreendam que um pet é um ser sensível, que pode se machucar facilmente, e não um bichinho de pelúcia.

Sempre é importante lembrar que todo cão, independente de seu tamanho, deve ser socializado e aprender os comandos básicos de obediência canina antes de brincar com as crianças ou com outros pets. Além disso, as crianças devem entender que o cão é um ser vivo que deve ser respeitado, e que toda brincadeira deve ter seus limites.

Os Pinschers convivem bem com outros pets?

Apesar de seu pequeno tamanho e grande alegria, os Pinschers são cães com importante instinto territorial. Por isso, devem ser socializados desde filhotes para aprender a conviver pacificamente com outros animais em seu lar.

Quando são devidamente educados e socializados, podem ser bons companheiros para outros cães. Como sempre lembramos, a sociabilidade de todo cão depende fundamentalmente de sua educação e socialização.

Se queremos que nosso Pinscher se relacione bem com outros cães ou gatos e também com as visitas, será fundamental começar a socializá-lo durante seus primeiros meses de vida, depois de completar a primeira etapa de vacinação e tratamento antiparasitário.

História e origens do Pinscher miniatura

Ainda é comum ver algumas pessoas dizendo que os Pinschers nasceram a partir de um processo de miniaturização da raça Doberman, mas isto é totalmente falso. Na verdade, o Pinscher é muito mais antigo que o Doberman e nasceu a partir de cruzamentos seletivos entre outras raças caninas.

Não se sabe exatamente quando surgiram os primeiros Pinschers miniaturas, porém estes cãezinhos já eram retratados durante o século XVII.

Já o Doberman só foi criado no século XIX, muito depois do Pinscher. Hoje em dia, os especialistas consideram possível que estas raças compartilhem alguns antepassados, mesmo sendo totalmente independentes.

Na verdade, o Pinscher nasceu a partir de cruzamentos seletivos entre outras raças como o Pinscher Alemão (uma variedade de Terrier), o Greyhound italiano e o Dachshund (o famoso “salsicha”). Mesmo tendo herdado um pouco de cada um de seus antepassados, o Pinscher se tornou muito mais que uma mistura de raças. Sua personalidade única fez destes cães uma das raças mais intrépidas, valentes, elegantes e cheias de energia do mundo.

No início do século XIX, a raça sofreu algumas deformações morfológicas, pois os criadores começaram a realizar cruzamentos inapropriados para obter cães cada vez menores. Isso resultou em cães aleijados e realmente pouco atrativos esteticamente.

Felizmente, este erro pode ser revestido e, já no início dos anos 1900, a raça recuperou seus traços elegantes, finos e simpáticos. Foi então que os Pinschers se tornaram um furor nas exposições da Alemanha pré I Guerra Mundial. Porém, a população descendeu drasticamente na Europa nos anos posteriores ao conflito bélico.

Então, a continuidade da raça dependeu dos exemplares que foram exportados para o continente americano. Por sorte, a raça se tornou uma “queridinha” nos Estados Unidos e em toda América Latina, o que permitiu recuperar rapidamente sua população.

Em 1929, o Pinscher foi reconhecido oficialmente pelo AKC e, por sua enorme fama, ganhou o apelido de “rei dos toys“. Atualmente, a raça continua sendo uma das mais populares e queridas nos lares de todo o planeta.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *