Doenças oculares em cães: conheça as 5 mais comuns e como prevenir

Doenças oculares também podem atingir os cães. Pensando nisso, listamos as 5 mais comuns e o que você pode fazer para evitá-las e tratá-las
Boxer branco com os olhos vermelhos

Ir à consultas regulares ao oftalmologista é algo comum para nós humanos. Mas quando o assunto são os nossos pets, o cuidado com os olhos já não é tão frequente. E as doenças oculares nos cachorros costumam ser mais comuns do que imaginamos, por isso é necessário estar atento a alguns sintomas como: vermelhidão nos olhos, secreção ocular, olhos fechados e sensibilidade a luz. 

Infelizmente, alguns cães de raças específicas têm mais facilidade para desenvolverem problemas oculares, como as úlceras nas córneas e as uveítes, principalmente aqueles que tem os olhos mais expostos, como o Pug, Shih Tzu, Buldogue inglês ou francês, Boxer, Chow chow, Lhasa Apso e o Boston Terrier. Por isso, o tutor deve estar sempre atento a saúde ocular dos cães.

Neste artigo, nós vamos falar sobre as possíveis causas que podem levar um cachorro a ter problemas oculares e quais podem ser esses problemas. Vamos falar também se o quadro pode ser grave e o que o tutor pode fazer para tratar doenças oculares e como que esses problemas podem ser evitados.

Tipos de doenças oculares em cães

Os cães podem ter diversos problemas oculares, no entanto, existem algumas doenças que são bastante comuns nos cães e que são facilmente identificadas, como: glaucoma, úlcera na córnea, catarata, uveíte e conjuntivite. O tutor deve ficar tranquilo em alguns casos, pois a maioria delas tem tratamento. Algumas doenças vão requerer intervenções cirúrgicas, por esse motivo é necessário que o dono do animal procure levá-lo regularmente ao veterinário oftalmologista. 

1. Glaucoma

O glaucoma em cães acontece quando os fluídos dos olhos não circulam de maneira correta, logo, esses fluídos acabam se acumulando e causando uma forte pressão dentro do globo ocular dos cães. Como resultado, o pet acaba ficando com falta de irrigação na retina e nervo óptico dos olhos, resultando em uma cegueira inicial que pode se tornar permanente caso o animal não receba o tratamento necessário.

O cãozinho pode apresentar alguns sinais que podem ajudar o tutor a identificar o problema. O glaucoma pode se manifestar de maneira aguda ou crônica. Geralmente quando o problema é agudo o animal acaba ficando com os olhos vermelhos e pupila dilatada. Com isso, o cachorro começa a sentir dores e sofre a perda gradativa da visão.

Rosto de um cachorro velho marrom

Quando o glaucoma é crônico, o animal acaba ficando cego de maneira rápida sem que o tutor perceba, e geralmente os sinais são o aumento do globo ocular e a opacidade gradativa da córnea.

2. Úlcera na córnea

Assim como a maioria dos problemas oculares em cães, a úlcera na córnea é comum em cães de todas as idades. A doença se trata de uma erosão nos olhos dos cães. Ela pode acontecer por diversos motivos como infecção, mal posicionamento dos cílios ou contato com alguma substância abrasiva e perigosa, como desinfetantes e água sanitária.

O principal sintoma da doença é a sensibilidade no olho afetado, vermelhidão, lacrimejamento, mudança de comportamento e o aumento da frequência do piscar. O tutor deve ficar de olho nos sinais para conseguir tratar a tempo, nesse caso, alguns colírios podem ajudar. Mas o cãozinho deve ser levado com urgência ao médico veterinário para fazer uma avaliação da gravidade do problema. E assim como com os outros problemas oculares, a úlcera na córnea também pode causar cegueira.

3. Catarata

A catarata é um problema que os cães podem apresentar com frequência quando já estão em uma fase avançada da vida, principalmente os cães da raça poodle. No entanto, cães com diabete ou que sofreram algum tipo de choque ou trauma também pode ter a doença. A catarata consiste no esbranquecimento do olho do pet quando ocorre o envelhecimento cristalino dos olhos, causando cegueira no animal.

O sinal mais comum é o aparecimento de uma “bola” branca nos olhos do cachorro. No caso da catarata, apenas procedimentos cirúrgicos podem resolver o problema. É por meio da cirurgia que ocorre a remoção da opacidade que impede a visão do animal.

4. Uveíte

A uveíte é muito comum nos cães. Ela se trata de uma inflamação do trato uveal do olho, como a pires e a retina, que são responsáveis pela vascularização dos olhos dos cães. A uveíte muitas vezes é causada por infecções bacterianas, virais ou por fungo. Além disso, animais com outros problemas de saúde como hipertensão, também podem desenvolver a uveíte. E qualquer cachorro, independente da raça ou idade, está suscetível ao problema.

Quando o cachorro está com uveíte ele apresenta vermelhidão nos olhos, pupila contraída, dor intensa e até mesmo coágulos de sangue dentro dos olhos. Caso o cãozinho não seja levado rapidamente ao veterinário para iniciar o tratamento, eles podem apresentar diminuição da visão, ficando cegos gradativamente.

5. Conjuntivite

A conjuntivite acontece pela ausência ou má lubrificação dos olhos. Infelizmente a doença é a mais comum entre os cães e ela pode causar inflamações na córnea. As causas dessas doenças podem ser variadas. Mas geralmente a doença pode ter ligação com causas congênitas, imunológica, efeito colateral de alguma medicação ou por conta de alguma outra doença neurológica ou infecciosa.

Os sinais da conjuntivite não são muito difíceis de identificar e o tutor pode perceber facilmente. No geral, os olhos do cãozinho com conjuntivite vão ficar com secreções brancas, verdes ou amarelas, vermelhidão e até mesmo a ausência da pigmentação dos olhos e grande sensibilidade à luz.

Como tratar e evitar problemas oculares nos cães?

A melhor maneira de tratar os problemas citados nesse artigo e levando o cãozinho a uma consulta com um médico veterinário oftalmologista. O profissional vai poder verificar o estado do pet da melhor maneira e também indicar o tratamento correto. Além disso, em alguns casos o animal precisa passar por intervenções cirúrgicas, logo, apenas o veterinário poderá ajudar.

Não existe fórmula mágica para evitar problemas oculares em cães, pois alguns deles acontecem de maneira hereditária ou devido à idade. No entanto, a prevenção pode ser feita pelos tutores, como manter o ambiente seguro para que o animal não perfure ou machuque os olhos, evitar que o pet tenha contato com produtos de limpeza e também levá-lo a consultas periódicas junto ao médico veterinário.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *