Tudo sobre a raça Shar Pei

Um dos cachorros mais fofos, o Shar Pei é uma raça única. Conheça as suas características, personalidade, cuidados, fotos, imagens e história. Clique e confira!
  • Shar Pei
  • Shar pei preço
  • Shar Pei bege com coleira
  • Shar Pei branco focinho rosa
  • Shar Pei marrom
  • Shar Pei dormindo
  • Shar Pei com suas dobras
  • Shar Pei cinza
  • Casal de Shar Pei
  • Filhote de Shar Pei dormindo
  • Shar Pei na coleira
  • Shar Pei deitado
  • Shar Pei brincando na grama
  • Shar Pei preto

Quando a conversa é sobre cachorrinhos fofos, é possível que alguém rapidamente se lembre dos cães da raça Shar Pei. Talvez não exatamente por esse nome, mas pelas características marcantes desse grupo, como o excesso de dobrinhas pelo corpo e a pelagem curta e levemente áspera. Além disso, esses animais são popularmente conhecidos por suas personalidades fortes, marcadas por certa seriedade e autoconfiança.

Índice – você encontrará as seguintes informações nesse artigo:

  1. Ficha técnica do Shar Pei
  2. Características da raça
  3. Porte e aparência da raça
  4. Personalidade do Shar Pei
  5. Cuidados básicos
  6. Cuidados com a saúde do Shar Pei
  7. Filhote de Shar Pei
  8. Qual é o preço de um filhote de Shar Pei?
  9. Dúvidas sobre a raça
  10. Origem e História do Shar Pei

Ficha técnica da raça Shar Pei:

Adaptação
Bom para apartamento
Gosta de ficar sozinho
Gosta de outros cachorros
Gosta de gatos
Gosta de estar com a família
Higiene e saúde
Cuidados com a higiene
Riscos com a saúde
Solta pelos
Tamanho
Treinamento
Fácil de adestrar
Necessidade de exercícios físicos
Late muito
Gosta de brincadeiras
Características da raça:

Grupo: Grupo dos Não Esportistas
Altura média: 46 cm a 51 cm tanto para fêmeas quanto para machos
Peso: 18 a 25 kg para fêmeas e 25 a 30 kg para machos
Personalidade: Afetuoso, Dedicado, Reservado, Desconfiado, Amoroso, Independente
Expectativa de vida: 9 a 11 anos

Porte e aparência da raça

Considerados de porte mediano, os cães dessa raça possuem uma altura média que varia entre 46 e 51 centímetros, medindo-se das patas dianteiras até a cernelha, parte mais alta do ombro de um cachorro, localizada atrás do pescoço. A extensão do corpo não é muito alongada e possui uma pelagem curta e espaçada, com bastante variações de cores, que vão dos tradicionais tons de preto e marrom aos mais raros, como o lilás ou avermelhado. O peso desses animais também varia, mas é comum que eles pesem entre 18 e 30 quilos, na fase adulta, e entre 10 e 15 quilos, nos primeiros seis meses.

Apesar do porte médio, os cachorros da raça Shar Pei possuem crânios mais avantajados, o que acaba resultando em faces maiores, tornando-se, assim, uma das suas principais características. Pela cabeça relativamente grande e enrugada desse tipo de cãozinho, é possível perceber orelhas não-pontiagudas e pequenas, que se dobram em direção aos olhos e um focinho escuro, largo e sutilmente achatado. Além disso, o céu da boca, os lábios, a língua e as gengivas desse animal tendem a apresentar tons escurecidos, geralmente puxados para o preto-azulado, cuja intensidade pode variar de acordo com a cor predominante de cada um.

O olhar também é outra característica marcante desse animal, pois os olhos, contornados por rugas e pele mais escura, aparentam uma expressão mais fechada e até um pouco ranzinza. A cor dos olhos geralmente é puxada para o preto ou marrom, mas pode variar para uma tonalidade mais clara, a depender do tipo de pelagem.

Personalidade e temperamento

O Shar Pei é um cachorro fofo que possui temperamento mais sério e reservado e, de certa forma, um pouco desconfiado em relação a estranhos, devido ao seu perfil protetor. Apresenta bastante lealdade e afeto em seu ciclo familiar e, por isso, trata-se de um tipo de cachorro comumente escolhido para proteger lares. Porém, embora sejam treinados como cães de guarda, esses animais são comportados e silenciosos, pois latem apenas em situações necessárias ou que eles considerem ameaçadoras.

Outra característica marcante desses cãezinhos é a teimosia, que é mais acentuada nos primeiros meses de vida. Geralmente, os filhotes Shar Pei são mais agitados e rebeldes. Por essa razão, é necessário que o dono tenha muita paciência para adestrá-los. Com o tempo, essa característica do temperamento vai diminuindo, mas é comum que esses animais também demonstrem traços de obstinação na fase adulta.

Alguns donos desses animaizinhos afirmam que suas personalidades são semelhantes às de gatos, afinal, eles são independentes e geralmente escolhem apenas uma pessoa para se apegar, embora possam lidar bem com todos os integrantes da família. A propósito, para que a convivência com os membros familiares seja saudável, é indicado que esses cãezinhos sejam socializados e disciplinados ainda filhotes. Feito isso, eles poderão conviver normalmente com humanos, inclusive com crianças, com as quais, geralmente, eles possuem uma convivência relativamente boa e são capazes de fazer algumas brincadeiras, sem oferecer riscos.

Caso os donos de um Shar Pei queiram que ele conviva bem com outros animais, como cães e gatos, o mais indicado é que a socialização também seja feita quando o cachorro ainda é filhote. Caso contrário, será necessária bastante paciência para corrigí-lo até que a paz seja estabelecida pela casa. Devido à personalidade mais forte e protetora, geralmente, cães dessa raça agem de forma prepotente frente a outras espécies.

Cuidados necessários

O primeiro princípio básico para manter um Shar Pei saudável é incentivá-lo a fazer atividades físicas diárias. Alguns especialistas indicam, pelo menos, duas caminhadas por dia, o que implica dedicação e paciência de seus donos. Vale ressaltar, no entanto, que não é indicado exercitar o cãozinho em horários mais quentes, uma vez que se trata de um ser muito sensível ao calor. O ideal é que esses passeios sejam feitos no início da manhã ou à noite.

Quanto aos pelos e às rugas, é preciso que se tome bastante cuidado em relação aos mitos ditos por aí, pois muitas pessoas acreditam que é necessário limpar, todos os dias, os espaços entre as dobras. Isso oferece um grande risco à saúde do animal, pois a umidade pode atrair bactérias, além de tornar a pele mais sensível. O indicado é que esse tipo de limpeza seja feito apenas em ocasiões em que o cachorro tome banho.

A propósito, por se tratar de um tipo de cão que não se suja com tanta facilidade, não há problema que ele tome banho em uma frequência menor, que pode variar de um a três meses, a depender da região, estação do ano e necessidade do animal. Esse tipo de higienização deve sempre ser feita com um xampu especial. Após esse processo, é imprescindível que se seque bem as dobrinhas e deixe o cãozinho secando sob a luz do sol. Caso, ainda assim, alguma parte fique úmida, é indicado que se passe um cotonete nesses espaços.

Por não possuir subpelo, a pele de um Shar Pei é considerada mais sensível e, por esse motivo, os pelos devem ser diariamente penteados com escova de cerdas macias. A propósito, o nome dessa raça literalmente significa “pele de areia”, devido ao toque áspero perceptível quando entramos em contato com a pelagem do animal. Por isso, todo cuidado é pouco durante esse processo e lembre-se: devido ao seu tipo de pele, não há necessidade de tosar o cão, em nenhum momento de sua vida.

O metabolismo desse cachorro é acelerado e por isso ele requer cuidados quase que diários. As unhas devem ser aparadas frequentemente, devido ao rápido crescimento. As orelhas precisam ser limpas com uma pequena bolinha de algodão sempre que o tutor do cãozinho notar alguma sujeira. Não é indicado utilizar cotonetes nessa parte do corpo, pois se trata de uma área hipersensível. Se o dono perceber um algum cheiro diferente do habitual, vindo dessas cavidades, o ideal é que se procure um veterinário imediatamente.

Cuidados com a saúde de um Shar Pei

Se o seu desejo é adotar um Shar Pei, é preciso saber que as visitas ao veterinário serão constantes. Na realidade, boa parte delas é mais por precaução, mas o fato é que se trata de um tipo de cão que possui uma saúde relativamente mais frágil, devido às suas características físicas, embora seja capaz de viver de 8 a 11 anos em plena saúde, se bem cuidado. Por isso, é importante que o tutor do cachorrinho se atente às partes mais peculiares do corpo do animal, tais como as rugas, orelhas e os olhos, a fim de evitar doenças como:

  • Seborreia e dermatites diversas: a pele sensível e cheia de dobrinhas tornam esse animal suscetível a doenças na pele, como alergias ou feridas, que, em caso de não-tratamento, pode evoluir para um câncer de pele. Para evitar esse tipo de problema, é recomendado que o cão ande sempre seco e caso seja notado alguma anomalia na pelagem do animal, é necessário que ele seja levado rapidamente ao veterinário.
  • Entropia: As dobras na cabeça, peculiares a essa raça, também podem acarretar um sério problema nos olhos, cientificamente chamado de entropia. Essa complicação ocorre devido ao excesso de rugas, que pesam as pálpebras e cílios e fazem que eles entrem nos olhinhos do cão. Quando isso acontece, é possível que a visão fique irritada ou, se não tratada, ganhe problemas mais sérios, como lesões na córnea e cegueira. Esse tipo de problema pode ser prevenido com um simples procedimento cirúrgico, no qual o veterinário dá alguns pontinhos na parte de cima do olho do animal, a fim de criar uma barreira de pele, que impedirá que a pálpebra e cílios caiam sobre os olhos. Essa cirurgia deve ser feita nos primeiros meses de vida do animal, quando a musculatura está em formação.

Outros problemas de saúde comumente encontradas na raça Shar Pei são: febre alta, devido ao metabolismo do animal e mau funcionamento do fígado e rins; perda de pelos, ocasionada pelo hipotireoidismo que afeta alguns cães; e infecções nos ouvidos, decorrentes dos estreitos canais nas orelhas desses cachorros.

Filhotes de Shar Pei

Quando estão nos primeiros meses de vida, os cachorrinhos dessa raça apresentam uma quantidade maior de rugas, que podem ir diminuindo ao longo do tempo. Eles costumam pesar até 18 quilos nessa etapa de vida, mas é preciso muita atenção em relação à alimentação, pois esses animaizinhos tem maior apetite nessa fase e podem crescer obesos, já que possuem tendência para tal. Nesse sentido, as atividades físicas também são bem-vindas, desde que o tutor respeite as condições do ambiente, visto que a pele desses cães é mais sensível nesse estágio.

Os filhotes de Shar Pei também precisam ser levados com frequência ao veterinário para receberem os cuidados de rotina, além da possibilidade de se iniciar a prevenção de problemas comuns à raça, como entropia e perda de pelo. É nessa fase que o animal será apresentado às atividades rotineiras, por isso é ideal que ele já se acostume com as consultas e seja introduzido às fases de socialização e adestramento.

Preço Shar Pei

O valor de um Shar Pei pode variar de acordo com o sexo, cor e condições do animal (se está castrado, vacinado, dentre outros fatores). Geralmente, os filhotes de Shar Pei recém-nascidos custam R$1.500 e R$2.500, mas é possível achar valores inferiores a esse em feiras de animais. Vale lembrar que também é possível encontrá-los em espaços para adoção, embora seja mais difícil, devido ao pedigree do animal. Mas vale a pena ficar de olho em grupos de adoção espalhados pela internet, uma vez que é possível encontrar donos que, por alguma razão, precisam doar o cachorro. Contudo, se o cãozinho já for adulto, é preciso que o novo tutor tenha muita paciência até que bichinho esteja completamente adaptado.

Dúvidas frequentes sobre a raça

  1. As rugas podem causar doenças?

    Sim, os espaços entre as dobrinhas podem atrair fungos e bactérias e causar diversos tipos de infecções na pele. Por isso, é necessário que elas sejam bem lavadas e, principalmente, secas corretamente. Lembrando que não há necessidade de lavá-las todos os dias ou passar produtos que não sejam um xampu  indicado para cães.

  2. O Shar Pei se adapta bem em apartamentos?

    Sim, mas por ser um cão de temperamento teimoso, é preciso que seu tutor tenha muita paciência até ensiná-lo o lugar correto para fazer suas necessidades. De qualquer forma, trata-se de um animal que não faz muita bagunça e se adapta a espaços menores. O importante é levá-lo para se exercitar todos os dias.

  3. Ele convive bem com crianças?

    Sim, mas é necessário que ele seja apresentado aos pequenos desde filhote. Quanto mais novo o cachorro se acostumar, mais rápida e tranquila será a  sua socialização.

  4. Shar Pei late muito?

    Não, inclusive, esses animais são conhecidos pela personalidade mais contida e só latem em situações de perigo ou quando precisam chamar a atenção do dono.

  5. O Shar Pei solta muito pelo?

    Não, o Shar Pei solta poucos pelos, apenas o habitual. Esse processo, geralmente, ocorre na troca de estações. Caso o dono perceba um excesso de queda, o indicado é que se procure um veterinário imediatamente.

Origem e história

De origem chinesa, a história do Shar Pei ainda não é bem definida, devido à ausência de documentos que narrem sua origem e evolução. Isso acontece, pois parte dos registros referentes à raça foram perdidos após a China ter se tornado comunista e proibir a existência de animais domésticos. Mas algumas estátuas, encontrados em território chinês, remetem a algumas características desse cão e permitem que algumas suposições sejam feitas sobre seus primórdios.

O primeiro fato considerado por muitos historiadores é que os donos dos ancestrais do Shar Pei eram camponeses e, por essa razão, contavam com esses cães para caçar e protegê-los do perigo. Foi assim que esses animais desenvolveram suas características protetoras e foram utilizados por muitos anos como fiéis escudeiros. Quando a República Popular da China foi estabelecida no país e se opôs à criação de animais domésticos, a maioria desses cachorros foi extinta e apenas alguns deles sobreviveram e foram encontrados nas cidades de Hong Kong e Taiwan. Apenas no final década de 60 a raça foi reconhecida, pelo Hong Kong Kennel Club.

No início da década de 70, alguns cãezinhos foram exportados para os Estados Unidos e, 1973, os chineses fizeram um apelo aos americanos em um artigo para que a raça fosse salva da extinção, pois havia um pequeno número de cachorros remanescentes. Ainda assim, mesmo após esse fato, em 1978, o Shar Pei foi reconhecido como a raça mais rara do mundo. No entanto, desde então, esse tipo de animal vem ganhando popularidade ao redor do mundo e não corre mais risco de desaparecimento, sendo um tipo de cão bastante procurado por sua lealdade e características peculiares.

Referências
http://www.pawculture.com/breed-basics/dog-breeds/chinese-shar-pei/
http://www.petwave.com/Dogs/Breeds/Chinese-Shar-Pei/Overview.aspx
http://dogtime.com/dog-breeds/chinese-shar-pei
http://www.dogbreedslist.info/all-dog-breeds/Shar-Pei.html
https://www.pets4homes.co.uk/dog-breeds/shar-pei/
https://pets.thenest.com/skincare-chinese-shar-pei-9891.html
http://tudosobrecachorros.com.br/shar-pei-2/
http://www.guiaderacas.com.br/sharpei.shtml
http://www.petwave.com/Dogs/Breeds/Chinese-Shar-Pei/Personality.aspx