Obesidade em cães: Principais causas, sintomas e como tratar

A obesidade nos cães é um problema sério e muito comum. Saiba o que causa a obesidade nos cachorros, consequências, como tratar a obesidade e como prevenir.

O alarmante aumento dos casos de obesidade é uma preocupação não apenas entre os seres humanos, mas também em nossos melhores amigos de quatro patas.

Para muitas pessoas, o aspecto dos cachorros gordinhos pode parecer fofo, mas o excesso de peso é um problema para a saúde e o bem estar de nossos peludos.

Os cães obesos são mais propensos a desenvolver diversas doenças e apresentam dificuldades para realizar tarefas simples da sua vida cotidiana. Por isso, manter um peso saudável é um cuidado essencial para oferecer uma excelente qualidade de vida aos nossos pets.

Para te ajudar a cuidar bem do seu melhor amigo, resumimos, neste novo post, as principais causas e consequências da obesidade nos cães. Além disso, te damos alguns conselhos para prevenir e tratar o sobrepeso em nossos melhores amigos. Não perca!

Principais causas da obesidade nos cães

A principal causa da obesidade nos cachorros é a má nutrição. Muitos tutores pensam que ao oferecer muita comida aos seus pets estão cuidando melhor de sua saúde. Mas na verdade, o excesso é tão prejudicial quanto a deficiência quando se trata de alimentação.

Uma dieta saudável deve oferecer todos os nutrientes essenciais para o organismo de nossos cães em proporções adequadas ao seu porte, sua idade e seu estado de saúde. Um filhote tem necessidades nutricionais completamente diferentes que um cachorro adulto ou sênior.

Cachorro obeso sentado
A principal causa da obesidade nos cachorros é a má nutrição e a falta de exercícios físicos

Além disso, alguns cães apresentam condições especiais que requerem uma dieta específica, seja por alergias, intolerâncias alimentares, problemas renais ou cardíacos, etc. Por isso, é muito importante contar com a orientação de um veterinário na hora de escolher a alimentação ideal para nosso melhor amigo.

Entretanto, também existem outros fatores que podem facilitar que um cachorro ganhe peso mais facilmente e desenvolva um sobrepeso. Abaixo, resumimos os principais fatores de risco para a obesidade nos cães:

  • Predisposição genética, segundo a raça e a linhagem de cada cão.
  • Idade
  • Sedentarismo
  • Stress
  • Tratamentos crônicos com medicamentos que tenham como efeito secundário o ganho de peso
  • Distúrbios endócrinos que podem prejudicar o metabolismo, como hipotiroidismo ou síndrome de Cushing
  • Castração
  • Falta de estímulos mentais, que favorecem os sintomas de stress, tédio, depressão, e problemas de comportamento.

As raças caninas mais propensas à obesidade

Como já te contamos, alguns cães podem acumular peso com maior facilidade pela herança genética de sua raça e de sua linhagem. Conhecer as raças caninas mais propensas ao sobrepeso é fundamental para proporcionar os devidos cuidados e preservar a ótima saúde de nosso cãozinho.

Por isso, a seguir resumimos as 10 raças caninas com maior tendência à obesidade:

Consequências da obesidade nos cães

Provavelmente, a primeira consequência perceptível da obesidade nos cães é a dificuldade de realizar ações cotidianas, como brincar, pular, correr, subir e descer escalas, executar truques ou tarefas que requeiram esforço físico, etc.

Logicamente, isso impacta de forma negativa na saúde física e mental do cachorro. Esta dificuldade de locomover-se fará com que o cão tenha cada vez menos vontade de se exercitar, passear, aprender novas tarefas, brincar com outros cães ou com seus familiares, etc.

Como consequência, as habilidades emocionais, cognitivas e sociais de nosso melhor amigo também se verão prejudicadas.

Além disso, a acumulação de gordura no organismo e o aumento dos índices de colesterol ruim (LDL) prejudicam as estruturas cardíacas e pulmonares, deixando também o cérebro mais vulnerável. Os indivíduos obesos são mais propensos a desenvolver doenças cardiovasculares, derrames cerebrais, demência, problemas respiratórios, etc.

O excesso do peso corporal também aumenta a pressão sobre os ossos e articulações do corpo. Isso acelera o natural desgaste que estas estruturas sofrem com o passar dos anos, favorecendo o desenvolvimento de problemas articulares e doenças degenerativas, como a artrite e a displasia de quadril, por exemplo.

Também é importante mencionar que o sobrepeso e a acumulação de gordura no corpo aumentam a resistência do organismo à insulina. Então, o cão não consegue produzir a quantidade necessária deste hormônio regulador e isso provoca o aumento da glicose na corrente sanguínea. Consequentemente, aumenta-se o risco de desenvolver diabetes.

Por tudo isso, é possível afirmar que a obesidade diminui a expectativa de vida de nossos cães. Seu metabolismo diminui, sua capacidade motora é prejudicada severamente, suas estruturas cardíacas e pulmonares se debilitam, e sua saúde mental se deteriora progressivamente.

E alguns estudos científicos já calculam que um cachorro obeso poderia viver dois anos menos que um cão saudável, com um peso equilibrado.

Como tratar a obesidade nos cães?

O tratamento para a obesidade nos cães deve ser estabelecido por um médico veterinário. Cada animal mostra necessidades específicas, por isso, é fundamental que um profissional capacitado constate seu estado de saúde, identifique as causas e os fatores de risco para, então, recomendar as pautas adequadas para tratar a obesidade em cada caso.

Geralmente, o tratamento básico e genérico requer uma mudança na alimentação e no estilo de vida do cachorro. A dieta deverá ser equilibrada e repensada para contemplar as necessidades especificas de cada animal.

Além disso, uma rotina saudável, que inclua atividade física e estimulação mental diárias, será essencial para combater as consequências negativas da obesidade no organismo dos cachorros.

Como prevenir a obesidade?

É melhor prevenir que remediar: esta é a norma de ouro quando se trata da obesidade nos cães. É essencial tomar algumas medidas preventivas para evitar que nossos melhores amigos cheguem a sofrer os sintomas negativos do excesso de peso.

A seguir, resumimos os principais cuidados para prevenir a obesidade nos cães:

  1. Nutrição equilibrada: todos os cães necessitam receber uma alimentação completa e equilibrada segundo seu porte, sua idade, seu estado de saúde, e as necessidades especificas do seu organismo. Por isso, lembre-se de contar com a orientação de um médico veterinário para oferecer a dieta ideal para seu melhor amigo.
  2. Atividade física diária: os exercícios físicos e os passeios diários permitem que nossos cães gastem energia, queimem calorias, melhorem sua resistência física e trabalhem suas capacidades cognitivas, emotivas e sociais. Por isso, uma rotina saudável é a melhor aliada de um peso saudável e um comportamento estável. Diga adeus ao sedentarismo na sua vida e na de seus pets.
  3. Estimulação mental: os cães são inteligentes e sensíveis que precisam ter sua mente estimulada para manter uma boa saúde e uma conduta apropriada. Quando um cão se torna mentalmente sedentário, pode desenvolver sintomas de stress, tédio e depressão, além de inúmeros problemas de comportamento. Um cão que exercita seu corpo e sua mente será um cão mais ativo e saudável, que tem vontade de desfrutar ao máximo sua vida junto aos seus familiares.
  4. Medicina preventiva: todo cão deve receber uma adequada medicina preventiva para preservar sua saúde. Para cuidar bem do seu melhor amigo, lembre-se de realizar visitas periódicas ao veterinário, respeitar sua caderneta de vacinação e de tratamentos contra vermes, carrapatos, pulgas e demais parasitas.

Por último (e não menos importante), recordamos que a obesidade pode afetar a qualquer cachorro, em qualquer etapa de sua vida. E um diagnóstico prematuro aumenta a efetividade do tratamento, além de impedir o avance dos sintomas negativos.

Por isso, consulte rapidamente seu veterinário ao verificar que seu cão aumenta de peso, demonstra dificuldades de realizar tarefas cotidianas, leva uma vida sedentária ou apresenta qualquer alteração na sua aparência ou no seu comportamento.