8 raças de cachorro menos indicadas para criança

Algumas raças tendem a se dar melhor com adultos do que com crianças. Por isso, separamos 8 raças de cães que são menos indicadas para uma casa com crianças

Os cães podem ser excelentes companheiros para a família, incluindo as crianças. Normalmente, desde que seja socializado corretamente, um cachorro íntimo da família não fará mal a nenhum de seus membros.

Entretanto, algumas raças tendem a se dar melhor com adultos do que com crianças, e algumas, inclusive, tendem a disputar com as crianças o carinho dos donos.

Neste artigo você encontrará as 8 raças de cães que são menos indicadas para uma casa com crianças, especialmente se forem crianças pequenas.

Importante destacar, no entanto, que mesmo que um cão pertença a uma destas raças, ele ainda assim poderá se dar bem com crianças, pois o que realmente determina o comportamento de um cão é a forma como ele é criado.

  • 01 de 8

    Chihuahua

    Chihuahua marrom sentado

    Os Chihuahuas possuem um aspecto adorável e são uma das raças favoritas para cão de companhia. Isso, no entanto, não impede que a raça seja também uma das piores com crianças. Devido ao seu pequeníssimo porte (alguns consideram os Chihuahuas a menor raça do mundo), os Chihuahuas tendem a exagerar na agressividade quando querem ser respeitados ou querem se livrar de algo que os incomoda.

    As crianças pequenas, por terem dificuldade de entender os sinais de que um cachorro se sente desconfortável, podem facilmente alimentar o comportamento agressivo dos Chihuahuas. O ideal é sempre estar por perto quando o cãozinho e a criança estiverem interagindo. E, claro, fornecer treinamento e socialização adequados para o seu Chihuahua são muito importantes para diminuir a agressividade dele.

  • 02 de 8

    Shih Tzu

    Shih Tzu cinza deitado no sofá do apartamento

    Os Shih Tzu também são muito conhecidos como uma raça ideal para fazer companhia para a família. Eles se tornam bastante apegados aos donos, com quem adoram se divertir. O problema é que os Shih Tzu insistem em interagir com as pessoas mesmo quando elas não estão muito animadas. Crianças pequenas têm dificuldade em lidar com isso, e podem acabar sendo agressivas com o cachorro ou machucá-lo sem querer.

  • 03 de 8

    Rottweiler

    Rottweiler rosto de perfil

    Donos de Rottweilers costumam argumentar que a fama de agressiva da raça é injusta. De fato, no convívio com a família, Rottweilers tendem a ser bastante tranquilos e até brincalhões. Porém, como estão sempre alertas para o perigo, eles podem ir da completa tranquilidade para a extrema agressividade num piscar de olhos.

    O ideal é nunca deixar um Rottweiler interagir com crianças ou com pessoas de fora da família sem a supervisão dos donos. Um dado relevante é que os Rottweilers são a segunda raça mais envolvida em casos de agressão.

  • 04 de 8

    Husky Siberiano

    Filhote de Husky Siberiano

    A cara de lobo do Husky Siberiano já é um indício de que a raça pode ter seus momentos selvagens. Embora os Huskies já tenham se adaptado bastante ao convívio com humanos, se mostrando inclusive como um das raças mais leais, eles não fazem o tipo super afetuoso e prezam pelo seu espaço.

    Além disso, Huskies ainda mantêm forte o seu instinto caçador, o que significa que às vezes eles podem ver as crianças como presas, ou seja, como algo que eles deveriam atacar.

  • 05 de 8

    Jack Russell Terrier

    Jack Russell Terrier filhote

    Quem poderia dizer que o encantador Jack Russell Terrier não é uma boa companhia para crianças? Poucas raças conseguem passar tanto a imagem de brincalhões, mas é justamente aí que reside o problema. Crianças pequenas podem ter dificuldades em lidar com um cãozinho tão animado como o JRT perto delas, e isso pode ser prejudicial tanto para as crianças como para os cães.

    Por outro lado, as crianças maiores vão adorar interagir com o Jack Russel Terrier. O mais recomendado é você limitar o contato do cachorro com as crianças pequenas e esperar até que elas fiquem mais maduras e mais aptas a brincar com o JRT.

  • 06 de 8

    Akita

    Personalidade do Akita Inu

    O Akita é sinônimo de lealdade e de tranquilidade. A raça é idolatrada no Japão devido à história do cãozinho Hachiko, mas também devido ao longo passado que o Akita tem com os japoneses. Se para quase todo mundo os cães da raça serão excelentes companhias, o mesmo não pode ser dito para as crianças pequenas. O Akita não reage bem a excesso de carinho e necessita ter o seu espaço para se sentir bem. Um Akita irritado pode facilmente deixar de lado a “paciência oriental” e mostrar as suas garras.

  • 07 de 8

    Pit Bull

    Preço do Pitbull

    Geralmente, os donos de Pit Bull tentam afastar a fama de agressivos que a raça possui, embora ainda haja alguns que, infelizmente, procuram estimular a tendência à agressividade. Desde que sejam socializados corretamente, Pit Bulls de fato podem ser muito calmos e até carinhosos.

    Porém, o territorialismo está presente na genética da raça e pode se manifestar em algumas ocasiões, como quando os Pit Bulls equivocadamente enxergam uma criança como uma ameaça. Um fator que torna a interação entre Pit Bulls e crianças mais perigosa, é a incrível força física que a raça possui.

  • 08 de 8

    São Bernardo

    2 São Bernardo correndo na grama

    O São Bernardo é outra raça que está na nossa lista mais pelas suas qualidades do que pelos possíveis defeitos. Mesmo sendo cães de porte muito grande, os São Bernardo possuem alma de criança e podem fazer bastante bagunça, tal como o cachorro Beethoven dos cinemas.

    Desse modo, o seu São Bernardo pode involuntariamente fazer mal ao seu filho pequeno, se debruçando sobre ele com todo o seu peso ou até mesmo o derrubando, o que é bastante comum. A melhor forma de evitar que um São Bernardo machuque uma criança (além de simplesmente não adotar um cachorro da raça) é treiná-lo desde filhote para que ele seja menos hiperativo e mais obediente.

Esteja sempre atento

Neste artigo nós apresentamos as raças que são menos recomendadas para se ter em uma casa com crianças. Como você pôde ver, em muitos casos o cachorro não é agressivo com uma criança porque isso está na natureza dele, o que ocorre é que a criança ainda não está apta para lidar com o temperamento do cachorro.

Se apesar do que descrevemos aqui, ainda sim você deseja adotar um cachorro de uma raça que pode não se dar bem com criança, saiba que é possível minimizar os possíveis danos envolvendo a criança e o cachorro, se você estiver sempre por perto observando.

Outra forma de prevenir as situações de perigo é educar adequadamente o seu pet desde que ele seja apenas um filhote.

Se você gostou desse artigo, talvez também se interesse em conhecer as raças mais recomendadas para famílias e crianças.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *