Tudo sobre a raça Pit Bull (American Pit Bull Terrier)

O Pit Bull é um dos cães mais subestimados pois mesmo sendo extremamente fiéis e carinhosos com seus tutores, é considerada uma raça potencialmente perigosa.
  • Tudo sobre a raça Pitbull
  • Pitbull marrom com a língua para fora
  • Pitbull preto grade
  • Pit Bull branco
  • Pitbull com a orelha cortada
  • Preço do Pitbull
  • Pitbull marrom
  • Rosto do Pitbull
  • Pitbull na praia
  • Pit Bull correndo

Os Pit Bulls fizeram muito sucesso nas ultimas décadas e, hoje em dia, estão entre os pets mais populares do mundo.

Popularmente, dizemos Pit Bull a várias raças que apresentam algumas semelhanças na sua contextura física e no seu temperamento, mas são únicos na sua forma de ser e comportar-se. Muitos especialistas afirmam que o mais conveniente seria começar a considerar os Pit Bulls como uma família, dentro da qual encontramos inúmeros cães distintos e singulares, como o American Pit Bull Terrier, o American Bully, o Monster Blue, o American Staffordshire Terrier, etc.

Porém, o American Pit Bull Terrier é considerado como a raça primária ou Pit Bull original, a partir da qual foram originados os outros cães de tipo Pit Bull.

Graças à irresponsabilidade e à inexperiência de muitos tutores, o Pit Bull acabou se tornando quase um sinônimo de cão perigoso. Por sua contextura física musculosa, grande força e mandíbula poderosa, a raça está considerada como potencialmente perigosa pela legislação de quase todos os países.

Porém, é vital compreender que nenhum cachorro é naturalmente violento ou perigoso. A raça American Pit Bull Terrier, na verdade, nem sequer foi criada para protagonizar lutas com outros animais.

Sua real história revela um cão extremamente fiel, ativo e competente, que desempenhou com enorme habilidade em funções de pastoreio, guarda e proteção de crianças (os chamados “cachorros babás”).

Se você está pensando em adotar um novo melhor amigo, te propomos desconstruir preconceitos e se surpreender com as qualidades do American Pit Bull Terrier. Também te indicamos os cuidados essenciais para dar uma boa educação e uma vida saudável a esta incrível raça!

Índice – você encontrará as seguintes informações nesse artigo:

  1. Ficha técnica
  2. Características da raça
  3. Características físicas
  4. Personalidade
  5. Como cuidar
  6. Saúde
  7. Filhotes
  8. Preço
  9. Dúvidas frequentes
  10. História

Ficha técnica da raça Pit Bull (American Pit Bull Terrier):

Adaptação
Bom para apartamento
Gosta de ficar sozinho
Gosta de outros cachorros
Gosta de gatos
Gosta de estar com a família
Higiene e saúde
Cuidados com a higiene
Riscos com a saúde
Solta pelos
Tamanho
Treinamento
Fácil de adestrar
Necessidade de exercícios físicos
Late muito
Gosta de brincadeiras
Características da raça:

Grupo: Grupo dos Terriers
Altura: 50 cm para machos e para fêmeas adultos
Peso: 16 a 30 kg para machos e 14 a 27 kg para fêmeas
Personalidade: Determinado, Amigável, Afetuoso, Leal, Desajeitado, Obediente, Inteligente, Corajoso Teimoso
Expectativa de vida: 8 a 15 anos

Características físicas do American Pit Bull Terrier

É muito comum ver o American Pit Bull Terrier ser confundido com o American Staffordshire Terrier, já que estas raças podem ser bastante parecidas a simples vista. Para evitar esta confusão, te contaremos tudo sobre as principais características físicas do American Pit Bull Terrier.

Muitas pessoas se equivocam ao pensar que o Pit Bull Americano deve ser uma espécie de fisiculturista canino, com um corpo exageradamente musculoso. Apesar de serem donos de uma musculatura notável, estes cães não devem ser excessivamente voluminosos e seu peso não deve prejudicar sua notável agilidade.

Segundo o UKC (United Kennel Club), o American Pit Bull Terrier deve ter uma contextura física harmônica, com um corpo levemente alongado, e um tórax muito forte, que é notavelmente mais largo que profundo.

O padrão da raça não define uma altura específica, já que existe uma grande heterogeneidade no que diz respeito ao tamanho e ao peso dos Pit Bulls americanos. Na verdade, o foco dos criadores e das sociedades caninas está em manter uma constituição corporal harmônica em todos os exemplares.

Hoje em dia, considera-se que são cães de porte médio, que podem medir de 35 cm a 60 cm de altura. O peso corporal deve ser proporcional ao tamanho para manter os traços harmônicos e a agilidade que caracterizam a raça, podendo variar entre 12 kg e 35 kg. As fêmeas, mesmo com sua musculatura privilegiada, são notavelmente menores e mais leves que os machos.

A cabeça do Pit Bull Americano é grande, larga e maciça, porém, não deve ser desproporcional em relação ao resto do corpo. Quando visto de frente, seu formato é muito parecido ao de um triângulo invertido. Porém, o focinho não deve terminar em ponta, mas sim numa base larga e poderosa, formada por suas mandíbulas potentes. As bochechas deste cão são chamativas e musculosas, sobressaindo em relação à linha do focinho.

Os olhos podem ser de qualquer cor, menos azul. Suas orelhas são de inserção alta e podem ter forma tanto de rosa como estar semi-eretas.

Outra característica muito chamativa desta raça é sua pelagem, formada por pelos curtos e lisos, que se mostram sempre muito brilhantes e macios. O padrão da raça aceita todas as cores e combinações possíveis.

Personalidade e temperamento do American Pit Bull Terrier

Sem dúvidas, o Pit Bull é o cão mais injustiçado por falsos mitos, histórias surreais e preconceitos sobre seu temperamento. Esta raça foi utilizada erroneamente em lutas com outros cachorros, porém, não se trata de um cão violento.

O comportamento de um Pit Bull, assim como de qualquer cachorro, depende da educação e do ambiente que lhe são proporcionados por seus tutores. De fato, não existe nenhuma raça naturalmente perigosa ou agressiva, mas sim proprietários violentos ou inconscientes, que submetem seus cães a treinamentos abusivos e totalmente inapropriados.

Personalidade do Pitbull
Apesar de ter uma musculatura muito bem desenvolvida, o Pit Bull não é um cão violento.

Os estudos realizados pela Sociedade Americana de Avaliação de Temperamento (ou ATTS, pelo seu nome original) demonstraram que os Pit Bulls americanos tem um grau de agressividade inferior a outras raças consideradas inofensivas, como o Chihuahua ou o Pinscher.

Além disso, os resultados indicaram que o temperamento natural da raça American Pit Bull Terrier é mais estável que o do Golden Retriever e do Beagle, por exemplo.

Quando são bem educados e socializados, os Pit Bulls se mostram muito divertidos, carinhosos e dedicados aos seus familiares. Como foram utilizados como cachorros babás, são extremamente pacientes e protetores com as crianças.

Além disso, desfrutam enormemente de brincar e compartilhas aventuras na companhia dos mais jovens. Apesar de sua aparência de valentão independente, o Pit Bull é extremamente apegado aos seus familiares e sofrem quando não recebem sua companhia e seu amor.

Os Pit Bulls são cães que esbanjam vitalidade e coragem, estando sempre preparados para proteger seus entes queridos. Por isso, podem se mostrar mais desconfiados quando algum desconhecido se aproxima ao seu território.

Porém, com uma adequada socialização, seu Pit Bull pode aprender a compartilhar seu território e a relacionar-se positivamente com as pessoas e com outros animais.

Uma das características mais admiráveis destes cães é que, graças à sua enorme devoção aos seus tutores, podem aprender facilmente qualquer tipo de tarefa ou truque somente para agradá-los.

Por isso, os Pit Bulls costumam ser muito obedientes e fáceis de treinar, quando encontram um tutor dedicado, que conta com a paciência, o carinho e o conhecimento para transmitir os ensinamentos de forma positiva.

É crucial recordar que o uso de violência ou métodos abusivos é contra produtivo para a educação de todo cachorro e favorece o desenvolvimento de condutas agressivas.

Como cuidar de um Pit Bull

O adestramento e a socialização são os cuidados mais essenciais para criar conscientemente um Pit Bull. Estes cães são muito fortes e foram expostos a séculos de treinamento para lutar incansavelmente e sair vencedores.

Por isso, apesar de serem muito sociáveis com as pessoas, os Pit Bulls precisam ser socializados desde filhotes para aprender a se relacionar com outros animais, principalmente com cães da mesma raça.

Além disso, o adestramento será o melhor exercício para manter seu melhor amigo fisicamente e mentalmente estimulado, e para ensiná-lo a respeitar as normas da casa.

Como são cheios de energia, os Pit Bulls também necessitam se exercitar diariamente para manter um peso saudável e um comportamento equilibrado. O ideal é realizar 3 passeios longos com seu melhor amigo (de 40 a 50 minutos, pelo menos), intercalando caminhadas com exercícios mais potentes, como corridas, trotes, subidas e descidas.

Uma excelente opção para aproveitar a inteligência e a contextura física de seu Pit Bull é iniciá-lo em algum esporte canino, como o mushing, o searching ou o canicross.

Também será essencial oferecer brinquedos e jogos interativos para mantê-lo bem estimulado e ativo quando você não estiver em casa.

Além disso, uma nutrição completa e equilibrada será vital para preservar sua força, sua saúde e sua energia. Como são cães musculosos e ativos, sua dieta deve ser rica em proteínas de origem animal, que sejam altamente digeríveis e fáceis de assimilar.

Por isso, lembre-se de escolher uma ração de excelente qualidade como base de sua alimentação e de respeitar as porções adequadas ao seu tamanho, seu peso e sua idade.

Você também poderá conversar com seu veterinário sobre alguns suplementos naturais que ajudem a fortalecer as articulações e os ossos de seu melhor amigo, permitindo melhorar sua resistência física e prevenir doenças degenerativas.

Muitos proprietários se surpreendem ao constatar que o Pit Bull é um cão extremamente limpo, que requer cuidados simples com sua higiene. Com 1 ou 2 escovações semanais, será possível manter sua pelagem brilhante, limpa e livre de pelos mortos.

Os banhos devem ser dados moderadamente (1 vez por mês ou a cada 6 semanas) para evitar eliminar a oleosidade natural que protege seu corpo.

Para complementar a higiene de seu Pit Bull, recomendamos limpar diariamente as remelas de seus olhos, além de escovar seus dentes 3 vezes por semana. Além disso, um corte de unhas a cada 1 ou 2 meses também será muito bem vindo.

Principais problemas de saúde do Pit Bull

Em geral, os Pit Bulls são cães muito saudáveis e dificilmente adoecem quando recebem os cuidados apropriados. Sua expectativa de vida costuma estar entre 8 e 15 anos, dependendo fundamentalmente do estilo de vida oferecido a cada cachorro.

Porém, como todas as raças, os Pit Bulls mostram predisposição genética a desenvolver algumas doenças. Entre elas, encontramos a displasia de quadril, as cataratas e os problemas cardíacos.

Alguns exemplares apresentem grande sensibilidade na pele, podendo sofrer com alergias e dermatites. Além disso, estes cães se adaptam melhor a climas quentes e a exposição ao frio pode prejudicar gravemente sua saúde.

Para cuidar bem do seu Pit Bull e desfrutar de longos anos em sua companhia, realize visitas ao veterinário a cada 6 meses, respeite o calendário de vacinação  e não se esqueça dos tratamentos antiparasitários internos (vermífugos) e externos (pipetas, comprimidos mastigáveis, etc).

Filhotes de Pit Bull

Embora sejam super brincalhões e aventureiros, os filhotes de Pit Bull necessitarão dormir muitas horas diárias para se desenvolverem corretamente e fortalecer seu organismo.

Os pequenos Pit Bulls terão um crescimento acelerado até seus 6 ou 7 meses, porém, só poderão ser considerados adultos após completar seu 1º ano de vida.

Filhote de Pitbull com osso na boca
Filhote de Pitbull com osso na boca.

Como são cães temperamentais e poderosos, os Pit Bulls devem ser educados e socializados desde sua infância. Assim que seu cãozinho chegar ao novo lar, será essencial apresentar as normas da casa e evitar reforçar condutas inapropriadas.

Ao completar o primeiro ciclo de vacinas e antiparasitários (entre seu 5º e 6º mês de vida), será o momento ideal para iniciar seu processo de socialização.

Quanto custa um cachorro dessa raça?

O preço de um Pit Bull costuma variar com a linhagem, a variedade, o sexo e o canil de origem de cada filhote. Atualmente, um filhote de Pit Bull, no Brasil, pode custar entre R$1.500,00 e R$5.000,00.

Se um cãozinho é herdeiro de exemplares premiados internacionalmente, seu valor será bem elevado, porque sua genética é muito apreciada.

Porém, queremos aproveitar esta chance para te dar uma excelente dica: existem muitos Pit Bulls esperando por uma segunda chance de dar e receber o amor de uma família de verdade. Adotar é um ato de amor e todo cão, seja mestiço ou de raça definida, pode aprender e brindar amor incondicional.

Além disso, o caráter versátil e extremamente devotado do Pit Bull faz com que eles se adaptem facilmente a um novo lar. Não tenha dúvidas de que seu novo melhor amigo demonstrará todos os dias sua gratidão e fará tudo para te fazer feliz.

Porém, se você ainda optar por adquirir um Pit Bull em um canil, lembre-se de escolher estabelecimentos confiáveis, que estejam devidamente registrados e cumpram com as normas de segurança e higiene. Não indicamos comprar filhotes diretamente com particulares, em pet shops ou na internet.

Dúvidas frequentes sobre a raça

  1. O Pit Bull é um cão perigoso?

    Existe uma única resposta honesta para esta pergunta: depende da educação que cada tutor oferece a seu Pit Bull. Não existem raças naturalmente boas ou ruins, violentas ou pacíficas. A agressividade não é um traço do comportamento de nenhuma raça, mas sim um problema de comportamento grave que deve ser prevenido e tratado.

    O verdadeiro perigo é educar erroneamente ou expor um cão a contextos violentos ou de elevado stress. Um cão maltratado, humilhado ou assustado pode reagir negativamente, independente de sua raça, idade, sexo ou tamanho.

    Os Pit Bulls são cães muito ativos, fortes e valentes. Se não proporcionamos suficiente estimulação física e mental a um cão desta raça, favorecemos o desenvolvimento de problemas comportamentais e também de inúmeras doenças.

    Por outro lado, se descuidamos de sua educação, podemos obter um cão teimoso que não reconhece as normas essenciais para uma boa convivência. Mas tenha a certeza que, se você cuidar bem e educar com amor e paciência seu Pit Bull, ele não será um cão perigoso, e sim um companheiro incondicional.

  2. O Pit Bull late muito?

    Não! O Pit Bull Americano é um cão que late pouco. É bastante silencioso e equilibrado, e só late quando é realmente necessário. Por isso, fique atento se seu Pit Bull começa a latir, pois provavelmente algo estranho está acontecendo em seu entorno.

  3. O Pit Bull solta muito pelo?

    Geralmente, os Pit Bulls perdem pouco pelo e requerem cuidados simples para a manutenção de sua bela e brilhosa pelagem.

    São recomendadas apenas 1 ou 2 escovações semanais para eliminar as impurezas e os pelos mortos.

  4. O Pit Bull é um bom cão para crianças?

    Depende da idade da criança e da educação do Pit Bull. Estes cães são brincalhões, pacientes e protetores, podendo ser excelentes companheiros para as aventuras de adolescentes e crianças maiores de 8 anos. Porém, não são indicados para famílias com crianças muito pequenas, pois, por serem tão fortes e robustos, podem provocar acidentes sem querer.

    Vale lembrar que todo cão, independente da raça e do tamanho, deve ser socializado e aprender os comandos básicos de obediência antes de brincar com qualquer criança ou com outros pets.

  5. O American Pit Bull Terrier pode conviver bem com outros pets?

    Infelizmente, o American Pit Bull Terrier foi historicamente utilizado para lutar brutalmente com outros cães e se triunfar como ganhador. Por isso, seu grau de sociabilidade foi consideravelmente reduzido ao longo de sua história.

    Hoje em dia, o Pit Bull é muito mais amigável com as pessoas do que com outros animais. Porém, como se trata de um cão inteligente e versátil, o Pit Bull pode aprender a se relacionar pacificamente com outros pets, sempre que seja devidamente socializado desde filhote.

  6. Os Pit Bulls se adaptam bem aos apartamentos?

    Como são bastante obedientes, os Pit Bulls podem se adaptar bem aos apartamentos, desde que seus tutores se comprometam a exercitá-lo diariamente. Uma boa opção é iniciar seu Pit Bull em um esporte canino, como o muching ou o canicross.

    Além disso, seu Pit Bull precisará receber seu carinho para não desenvolver condutas destrutivas associadas à ansiedade por separação.

História e origem do Pit Bull

Pode parecer estranho, mas os Pit Bull Americanos começaram a ser registrados no Reino Unido, durante o século XIX. Porém, os especialistas afirmam que os antepassados desta raça (os chamados cães molosos) já estavam presentes no Império Romano. Nesta época, estes cães eram utilizados em cruéis combates contra touros e ursos.

Apesar de ter ficado conhecido como um cão de luta, o American Pit Bull Terrier foi originalmente criado para exercer várias funções nas fazendas britânicas. Graças à sua inteligência e versatilidade, estes cães se desempenharam com excelência em funções de pastoreio e proteção do gado bovino e ovino, guarda, caça, tração e até policiamento.

Infelizmente, alguns criadores irresponsáveis resolveram empregar a força e a resistência desta raça nas lutas com outros cães. Foi nesta época que os Pit Bulls originais começaram a ser cruzados com Bulldogs e algumas raças da família Terrier.

O objetivo era melhorar sua agilidade, potenciar sua musculatura e aumentar sua resistência à dor. Estes cruzamentos deram origem ao American Pit Bull Terrier que conhecemos hoje em dia: um cão extremamente forte e resistente, que demonstra grande agilidade e uma vitalidade única.

Quando as lutas entre cães começaram a ser mal vistas pela sociedade, estranhamente foram os cachorros que herdaram a má fama, e não os criadores que os treinavam abusivamente.

Isso fez com que o próprio AKC (American Kennel Club) resolvesse não reconhecer a raça oficialmente para evitar ser vinculada à sua má reputação.

Na tentativa de aproveitar as qualidades do Pit Bull e desvinculá-las de seus estigmas sociais, os criadores norte-americanos resolveram criar uma nova raça, utilizando o American Pit Bull Terrier como base. Foi assim que surgiu o American Staffordshire Terrier.

Hoje em dia, muitas instituições oficiais (incluindo a FCI – Federação Cinológica Internacional) continuam se negando a reconhecer o American Pit Bull Terrier como uma raça.

Porém, algumas organizações cinófilas de grande importância, como o United Kennel Club (UKC) e a American Dog Breeders Association (ADBA), já reconhecem oficialmente a raça e trabalham para promover a criação consciente dos Pit Bulls.

Atualmente, muitas pessoas e instituições se dedicam a resgatar os Pit Bulls submetidos a treinamentos inumanos e prepará-los para ser adotados por novas famílias. Felizmente, muitos tutores se animaram a descobrir as qualidades desta fascinante raça e se dedicaram a oferecer a vida familiar que os Pit Bulls tanto merecem e desfrutam.

Por isso, o American Pit Bull Terrier é, hoje, uma das raças mais populares e queridas em todo o mundo.