Guia de boas práticas para cuidar do seu cão idoso

Os cães podem estar ao nosso lado por muitos anos e quando se tornam idosos, precisam de cuidados e adaptações para que vivam melhor. Veja!
Boxer gordo

Um cãozinho necessita de cuidados em qualquer fase da vida e a atenção especial com o pet pode mudar em cada estágio de vida dele. O cachorro quando é filhote precisa de atenção, brincadeiras e ensinamentos. Quando é jovem ou adulto, necessita de passeios, brincadeiras e vários momentos ao lado do tutor. Já quando o cãozinho fica idoso, a lista de cuidados aumenta um pouco mais. 

Assim como os humanos, os cães tendem a envelhecer com o passar dos anos e eles acabam sendo impactados com a velhice. Os cães idosos podem ter diversos tipos de problemas, sendo os principais na coluna. Entretanto, um animal idoso não significa um animal doente, inclusive muitos cães chegam à terceira idade saudáveis e fortes.

Por isso, ao chegar nesta fase, o tutor precisa levá-lo ao médico veterinário para entender e observar como anda todo o quadro de saúde do animal. Mas um ponto importante é pegar mais leve nos passeios, brincadeiras e caminhadas, independente se ele está saudável. Além disso, é preciso ter atenção com a alimentação do pet.

Mas como saber que o meu cão já é idoso? Bem, além da idade, existem alguns outros sinais físicos que ajudam você a entender que o seu cãozinho já chegou à velhice. Mas não se preocupe, neste artigo nós vamos te ajudar a descobrir se o seu pet já é idoso. Além disso, vamos te mostrar diversas dicas para você cuidar da melhor maneira dele. Acompanhe até o final!

Como saber se o meu cachorro já está idoso?

Um cãozinho pode ser considerado idoso quando ele atinge 75% da expectativa de vida esperada para ele. Essa expectativa pode variar de acordo com a raça do animal, por isso, pesquise a expectativa da vida do seu cãozinho e faça as contas. Mas no geral, os cães são considerados idosos quando chegam aos 8 até 12 anos de idade. E quanto mais velho o seu amigo peludo estiver, mais atenção você precisará ter.

Mas não é apenas a idade que indica se o seu pet já atingiu a velhice, existem outros fatores eternos muito importantes. E os cães são mais parecidos com os humanos do que você imagina, logo, o principal fator externo que indica a velhice é o surgimento dos pelos grisalhos, principalmente ao redor dos olhos do cãozinho. Outro indicativo é o andar do pet, se ele está andando mais devagar, pode ser que a velhice tenha chegado.

Alimentação 

Os cães idosos têm uma digestão mais lenta e uma absorção menor das vitaminas, minerais e nutrientes presentes nos alimentos. Por isso, o tipo de ração oferecida ao cãozinho precisa ser diferente. O tutor precisa buscar uma ração feita especialmente para cães idosos, pois elas oferecem uma digestão mais fácil para o animal. Além disso, a alimentação natural também pode ser uma boa opção.

Cães que têm uma alimentação com base em proteínas, frutas, verduras e legumes costumam viver mais e também ter mais saúde. Por isso, converse com o médico veterinário sobre esse estilo de dieta. Pode ser uma boa opção para o seu amigo de quatro patas. 

Além disso, uma consulta com um profissional ajudará você a identificar outros problemas que dificultam a alimentação do cão idoso, como problemas dentários. Animais sem alguns dentes podem ter dificuldade em mastigar, logo, alimentos pastosos podem ser uma excelente opção. Mas lembre-se nunca faça mudanças na alimentação do cachorro sem orientação profissional. 

Incentive o pet a beber água 

Isso é válido para todas as idades, porém,  os cães idosos precisam se hidratar mais. Além disso, como eles tendem a fazer menos exercícios, pode ser que não procurem água com tanta frequência. É preciso observar e incentivá-lo a beber mais água.

Atividades físicas e brincadeiras 

Como dissemos anteriormente, o cãozinho na medida em que vai ficando idoso, vai perdendo a sua mobilidade. Ou seja, muitos tipos de brincadeiras e longas caminhadas, ele não irá conseguir fazer mais. Por isso, é de extrema importância que você passe a fazer caminhadas mais lentas e mais curtas. E procure levá-lo para passear em locais mais seguros, sem muitas subidas e ladeiras.

E as brincadeiras também devem ser mais leves, evite muitas corridas ou cabo de guerra, por exemplo. Compre brinquedos que estimulem o seu cãozinho, mas sem que ele precise fazer muitos esforços físicos para não prejudicar a coluna ou até mesmo quebrar algum osso. Animais idosos tendem a ficar mais frágeis. 

Mudanças de temperatura 

Os cães idosos são mais sensíveis à mudanças bruscas de temperatura. Por isso, mantenha a caminha e os pertences do seu amigo precisam ficar em locais seguros. Ou seja, longe de correntes de vento e de contato direto com o sol. Dessa forma, você evitará que ele fique gripado ou até mesmo desidratado com o calor.

Idas ao veterinário 

Um animal idoso pode estar mais propenso a ficar doente, logo, as visitas ao médico veterinário se tornam ainda mais importantes. Por isso, procure levá-lo sempre para fazer exames e até mesmo avaliar o peso dele. Dessa forma, o tutor consegue entender quais são as necessidades e cuidados que ele pode ter com o animal.  Além disso, doenças graves, como o câncer, podem surgir nesta fase e o diagnóstico cedo é muito importante. Cuide do seu amigo nessa fase!

Convivência com outros pets 

Alguns cachorros idosos podem não querer contato com outros animais, como os filhotes, por exemplo. Isso acontece, pois o cão idoso já não tem mais tanta mobilidade e disposição como antes. Por isso, evite deixá-los com pets muito agitados, brincalhões ou que não estejam acostumados a conviver com um animal idoso. O cãozinho mais velho precisa do seu próprio espaço.

Fazê-lo conviver com animais agitados pode estressar o cãozinho mais velho, cansá-lo e até fazer com que ele tenha atitudes agressivas por se sentir acuado ou com o espaço invadido.

Muito amor e carinho para os cães idosos! 

Embora a energia não seja a mesma de antes, é fundamental dar muito amor, carinho e atenção para o seu companheiro de longos anos. Por isso, dedique-se e reserve um momento do dia para ficar apenas com ele. Assim você pode evitar a tristeza, apatia e até mesmo a depressão, que surge com muita facilidade nesta fase. Dê a ele muito amor e boa sorte!

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *