Por que os cachorros ficam agressivos?

A agressividade dos cães podem estar relacionadas a diversos fatores, inclusive a raça. Saiba os motivos e como solucionar o quadro.
Chihuahua bravo

Todo tutor já deve ter passado por uma situação parecida. De repente, o seu cão se mostra muito agressivo e nem você consegue chegar perto dele. Por mais que a agressividade possa ser um importante recurso para o cão se defender, ou até mesmo para proteger a sua família e a sua casa, ela pode se tornar um problema sério na relação entre você e seu pet.

Nesse artigo, vamos mostrar para você que a agressividade do seu cão pode ter diversas causas. E é importante entender o que está por trás do comportamento para buscar a solução mais adequada.

Um cachorro agressivo pode estar com sérios problemas de saúde, inclusive problemas emocionais. Ao final do artigo, também vamos apresentar a você algumas dicas do que do que fazer caso o seu cão esteja agressivo.

Cães podem ser mais agressivos dependendo da raça e da criação

Algumas raças têm a fama de serem muito mais agressivas que outras. Os Pit Bulls, por exemplo, são muito conhecidos pela má fama de ser uma raça hostil e perigosa. E, de fato, há raças com uma tendência maior para a agressividade do que outras, mas o pertencimento a uma certa raça não vai simplesmente determinar se o seu pet será uma fera ou um docinho.

Tutores de raças muito usadas como cães de guarda, como Rotweiller e Pastor Alemão, por exemplo, muito provavelmente dirão que seus cachorros são muito amigáveis e confiáveis. E não será difícil encontrar um tutor de Pug ou Dachshund que dirá que o seu pequenino amigo bota medo em toda a vizinhança.

Na maioria das vezes, o que realmente determina a agressividade do cão é a forma como ele foi criado e até se ele passou por um processo de socialização desde filhote, seja com outros animais, seja com humanos. É preciso levar em conta também se recebe carinho e atenção dos seus tutores, se nunca foi vítima de agressões, se vive num espaço confortável e acolhedor. Tudo isso é muito importante para entender o comportamento do seu pet.

Um outro elemento que costuma ser ignorado é a linhagem a qual o cão pertence, pois dentro de uma mesma raça, podem haver linhagens mais agressivas e linhagens mais dóceis. Por isso, na hora de adotar ou adquirir um cachorro, é recomendável pesquisar sobre o comportamento dos antepassados dele.

Principais razões para o seu cão ficar agressivo

Criar o seu cão com muito carinho, no entanto, pode não ser o suficiente para evitar que ele se torne agressivo, ainda que essa agressividade seja apenas momentânea.

Por diferentes razões, cães que costumam ser super fáceis de lidar podem começar a apresentar um comportamento hostil, não só em relação a estranhos, como em relação aos seus próprios tutores.

A seguir, você confere as 5 principais razões por trás do comportamento agressivo de um cão.

Possessividade

A possessividade é uma das principais causas para o comportamento agressivo de cães. Eles podem se mostrar pouco amigáveis quando alguém se aproxima de um objeto que ele goste muito, como um brinquedo ou uma almofada, por exemplo. Podem também ficar agressivos quando alguém se aproxima ou invade o que ele considera o seu território, seja a casa do tutor, o jardim ou a casinha em que ele dorme.

E é claro, cães também podem se mostrar possessivos em relação ao seu próprio tutor. Isso é um comportamento muito observado em raças consideradas ciumentas, como os Chihuahuas e os Yorkshire Terrier. Apesar do pequeno porte, animais dessas raças costumam ser bem apegados aos seus tutores e não têm medo de mostrar os dentes afiados para um estranho que se aproxime deles.

A agressividade do cão também pode variar conforme o tipo de pessoa que se aproxima do objeto de sua possessividade. Faz muita diferença se quem pegou inadvertidamente aquele brinquedo muito querido for o seu tutor ou um completo desconhecido.

Medo

Outro motivo bem frequente para a agressividade é o medo ou fobia. Se o cão notar algo que algo pode pôr em risco a sua própria integridade física, ele muito provavelmente vai se tornar agressivo.

Pode acontecer durante uma tempestade, quando o seu cão se assusta com os trovões, se esconde em algum lugar e não deixa ninguém chegar perto dele. Pode ocorrer quando alguém realmente tenta agredi-lo e ele recorre à força para se proteger. Ou pode se tratar até mesmo de uma situação mais simples, quando você está fazendo carinho no seu pet e pega em alguma região delicada do corpo dele. O cachorro pode interpretar aquilo como uma ameaça à sua integridade física e se tornar agressivo.

Felizmente, na maioria dessas situações, a agressividade é pontual e não costuma ser muito difícil achar uma solução, seja eliminando a fonte imediata da hostilidade, seja com um treinamento a base de reforço positivo.

Noutros casos, porém, o comportamento agressivo pode ser mais persistente. E se você notar que a causa é o medo, então muito provavelmente o seu cão deve ter passado por situações traumatizantes, como um antigo dono que o agredia frequentemente, ou não foi devidamente socializado quando era um filhote.

Doenças e ferimentos

A agressividade do seu cachorro também pode ser causada por problemas de saúde. Especialmente se ele costuma ser um cão dócil e começa a ficar agressivo repentinamente, com um comportamento persistente, sem que você possa identificar uma causa no ambiente em que o seu cão vive, pode se tratar de uma doença.

Doenças que causam dores físicas agudas, como artrites e tumores podem alterar bastante o humor do seu cachorro. Ele pode sentir tanta dor que deseja aliviar o seu desconforto através de um comportamento agressivo.

O seu cão pode também ficar agressivo como um recurso de proteção, já que ele interpreta que o seu corpo está frágil e o melhor é afastar possíveis ameaças à sua saúde.

Há aquelas doenças, ainda, que afetam diretamente as funções cognitivas do seu cachorro. Tumores cerebrais e hipertireoidismo, por exemplo, podem afetar as funções do cérebro e causar comportamento inesperados no seu cão, sobre os quais ele não tem controle.

Ferimentos como lesões musculares, fraturas, cortes e arranhões também podem ser a causa da agressividade. Novamente, o seu cão pode se tornar agressivo por causa do desconforto que ele sente e que necessita aliviar de alguma forma, ou pode querer afastar ameaças à sua integridade física, seja a pessoa que causou o ferimento, seja um tutor desejando apenas cuidar dele.

Frustração

Essa é outra causa muito frequente para a agressividade dos cães. Cães podem se sentir frustrados quando não conseguem aquilo que desejam, seja um brinquedo, a ração ou sair para passear.

Eles podem se tornar agressivos, tal como nós humanos ficamos chateados quando nos encontramos numa situação adversa. Esse tipo de agressividade costuma ser dirigida para os tutores, que passam a ser vistos pelos cães, na maioria dos casos com razão, como os vilões que estão frustrando as suas expectativas.

Pode se tratar de um problema simples, você pode solucionar apenas soltando o pet da corrente ou saindo para passear com ele. Em outros casos, no entanto, pode se tratar de um problema de comportamento mais profundo, que exige uma reeducação do animal, sobretudo através de reforço positivo.

Mostrar dominância

Cães podem querer mostrar dominância sendo agressivos. Especialmente quando encontram outros cães desconhecidos, eles podem recorrer à violência para mostrar “quem é que manda no pedaço”. Mas essa agressividade também pode ser direcionada a pessoas ou a animais de outras espécies.

Na maioria dos casos, trata-se de uma competição normal entre animais, que requer apenas que você afaste o seu pet dos outros “competidores”. Em outros casos, no entanto, pode se tratar de um problema de comportamento mais profundo, na maioria das vezes causado por falta de socialização quando filhote, e que pode ser resolvido através de adestramento.

O que fazer quando o seu cão ficar agressivo

A agressividade do seu pet pode ter vários níveis e a forma como você vai lidar com a situação pode depender do nível em que ele se encontra. Cães só avançam contra pessoas ou animais, ou mesmo os mordem, num caso extremo de agressividade, quando eles interpretam que sinais mais suaves, como latir, não estão resolvendo.

Em todo caso, o mais indicado é afastar as causas da agressividade do animal, inclusive se a causa for você próprio. Não tente simplesmente acariciá-lo, achando que vai deixá-lo mais calmo, especialmente se ele já demonstra uma agressividade elevada. Isso pode, na verdade, piorar a situação e fazer com que você ou seu pet saiam feridos.

O mais indicado é não fazer movimentos bruscos e tentar demonstrar ao cão que não há motivos para agressividade. Deixe o cachorro no canto dele e espere que ele se acalme, para só então se aproximar e reforçar que está tudo bem.

E o mais importante, não reaja à agressividade do seu cão com mais agressividade. Gritar ou bater nele muito provavelmente não vai resolver a situação e pode, pelo contrário, piorá-la ainda mais. Além de, claro, talvez diminuir a confiança que o seu cão tem em você e modificar o comportamento dele ao longo prazo.

Como citamos aqui, a agressividade também pode ser causada por um problema de saúde, como uma doença ou um ferimento. Nesses casos, o melhor é procurar um veterinário para entender do que realmente se trata e iniciar um tratamento adequado.

Contra a agressividade: paciência e prevenção

A agressividade pode ser um grande incômodo na relação entre tutor e pet. Como dar ou receber carinho e atenção se um dos lados nessa relação se mostra agressivo? Além disso, a agressividade é um sinal de que algo não vai bem com o seu pet, e a causa por trás do comportamento pode ser motivo de alarme.

Como vimos, em todo caso, o melhor é ter paciência com o seu amiguinho e não dar motivos para ele continuar agressivo. Mostre-se tranquilo ou mesmo indiferente, afaste, se possível, a causa da hostilidade e espere o cão se acalmar.

E como é bem sabido, a prevenção é sempre o melhor remédio, mesmo no universo canino. Para diminuir a possibilidade de episódios de agressividade, é recomendável que o cão seja socializado desde filhote, que receba um mínimo de adestramento para certas situações da vida (como, por exemplo, a chegada de estranhos em casa), e que seja proporcionado a ele um ambiente confortável e repleto de amor.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *