Você sabe como funciona o sistema digestivo do cachorro? Veja!

Saber como funciona o sistema digestivo do cachorro é importante para garantir que tudo vai bem com o animal. Veja!
cachorro comendo ossinho

O trato digestivo do cão tem muitas semelhanças com o dos humanos e inclui a cavidade oral, esôfago, estômago, intestino delgado, intestino grosso, reto e ânus. Além disso, o pâncreas, a vesícula biliar e o fígado ajudam na digestão e absorção dos alimentos. Por outro lado, também existem algumas diferenças decorrentes das características da dieta do animal.

E para conseguir cuidar melhor da saúde do peludo, é interessante o tutor entender um pouco melhor como funciona esse processo. Compreender como funciona o sistema digestivo dos cachorros, possibilita que os donos dos pets consigam até mesmo escolher qual a dieta ideal para o peludo. Por isso, acompanhe o artigo até o final!

O sistema digestivo dos cães

1. A boca

Os cães são predadores e, no primeiro nível do sistema digestivo, que é a boca, possuem dentes adaptados para matar presas e conseguirem se alimentar sem problemas, mas hoje em dia, com a domesticação, não existe mais a necessidade da caça como antigamente.

Quanto à saliva, além de manter a boca limpa, ela facilita a deglutição, oferecendo lubrificação e compactação na hora que o pet está comendo. Os dentes, a língua e a mandíbula também contribuem para o primeiro processamento dos alimentos, embora o processo de digestão apenas comece na cavidade oral.

Um fato bastante interessante, é que os cães têm menos papilas gustativas do que os humanos. Especificamente, cerca de 2.000 em comparação com nossos 12.000. Eles distinguem entre doce, azedo, amargo e salgado mas percebem menos os sabores.

2. Esôfago

O alimento passa como foi ingerido para o esôfago, que se dilata e se contrai ritmicamente para permitir a passagem da comida antes de chegar ao estômago, que funciona como um grande tanque. O esôfago é um tubo membranoso e fibroso que também se destaca pela elasticidade, permitindo a passagem de grandes pedaços de alimento. Infelizmente, sua conformação facilita a passagem de corpos estranhos, como ossos ou brinquedos, que às vezes não podem ser expelidos e podem obstruir o intestino do pet.

3. O estômago

As substâncias ingeridas podem permanecer no estômago por até oito horas. A parte superior do estômago é chamada de fundo e é onde os ácidos são produzidos para quebrar o tecido conjuntivo e as fibras musculares, facilitando a digestão do alimento.

No estômago também é secretado um ácido que inicia a quebra das proteínas ingeridas. As enzimas produzidas pelo pâncreas e pelo fígado contribuem para a digestão. Além disso, as glândulas que estão localizadas no estômago secretam muco para evitar que ácidos e enzimas danifiquem a parede do estômago e dos intestinos.

Durante a digestão, proteínas, carboidratos e gorduras dos alimentos são decompostos em moléculas simples que podem ser absorvidas e, portanto, utilizadas pelo corpo. Nesse processo, são produzidos movimentos peristálticos, que servem para misturar os alimentos e movê-los em direção ao intestino delgado do cachorro.

4. O pâncreas

O pâncreas produz bicarbonato alcalino para neutralizar o ácido do estômago, bem como enzimas digestivas que quebram proteínas, carboidratos, gorduras, tecido elástico e conjuntivo e até ácidos nucléicos. Essas enzimas passam através do ducto pancreático para o ducto biliar comum e entram no intestino junto com a bile.

Além disso, em algumas áreas do pâncreas, a insulina é produzida, o que garante que a glicose possa entrar em todas as células do corpo. Se não houver insulina, as células não podem acessar a glicose e isso irá se acumular no sangue.

A deficiência de insulina é chamada de diabetes e produz sintomas como aumento da ingestão de água ou produção de urina. Portanto, a insulina é essencial para o bom funcionamento do corpo do cão.

5. O fígado

O fígado produz bile, que ajuda a quebrar as gorduras. Especificamente, é a vesícula biliar que armazena os ácidos biliares. Ele concentra a bile e, durante a digestão, a transporta pelo ducto biliar comum até o duodeno. Os ácidos biliares são responsáveis ​​pela emulsificação das gorduras. Eles também ajudam a dissolver vitaminas solúveis em gordura. Além disso, os nutrientes são transformados em reservas de energia no fígado.

6. O intestino

A absorção de nutrientes ocorre através das paredes do intestino delgado. Em seguida, são transportados pelo sangue para as células de todo o corpo. O duodeno é a primeira porção do intestino delgado. Por fim, o intestino grosso ou cólon, de grande diâmetro, atinge os dejetos, ou seja, os restos do alimento não utilizado.

Nesta parte do sistema digestivo, a água e os sais são absorvidos. No cólon existe um grande número de bactérias que formam a flora intestinal, a microflora ou a microbiota. Elas desempenham funções benéficas para o corpo, sintetizando vitaminas, quebrando os resíduos ou diminuindo a suscetibilidade do corpo a desenvolver infecções.

Aproximadamente 36 horas após a ingestão, esses resíduos se transformam em fezes. As tensões do reto estimulam o cão a defecar para expeli-las pelo ânus.

A dieta canina

O sistema gastrointestinal do cão é projetado para comer ocasionalmente, mas ingerindo grandes quantidades de comida, sendo a principal fonte de alimento, as proteínas.

Se os cães pudessem escolher sua comida favorita, seria a carne fresca. Eles são principalmente carnívoros e, como tal, seu corpo está adaptado para otimizar os nutrientes que ingerem nesta dieta. Entretanto, com a domesticação, eles se comportam como onívoros, podendo comer alimentos muito diferentes, incluindo frutas, verduras e legumes.

Como saber se o sistema digestivo do meu cachorro vai bem?

Agora que você já sabe como funciona cada etapa do sistema digestivo do seu cachorro, é importante também saber quando algo não vai bem durante a digestão. O vômito e também a diarreia são os sinais mais claros de que algo não vai bem com o sistema digestivo do seu cachorro, logo, é importante levá-lo ao médico veterinário para saber o que está acontecendo. Além disso, uma dieta adequada é a melhor forma de manter o sistema digestivo do seu cão funcionando de maneira correta, por isso, opte por alimentos de qualidade!

Comentários