Cachorro pode comer carne crua? Veja os cuidados necessários

Há quem defenda que os cachorros podem comer carne crua e há quem indica que a carne seja cozida. Entenda melhor como preparar
cachorro vendo homem comer carne

Cachorros são considerados carnívoros, então não é à toa que adoram carne. Os cães possuem dentes fortes e pontiagudos, sempre prontos para rasgar e se deliciar com o alimento. Mas com a domesticação, os pets se tornaram onívoros, isto é, podem se alimentar tanto de carnes, quanto de vegetais.

Muitos tutores optam por oferecer alimentos mais saudáveis ao cães, adotando uma alimentação natural que inclui frutas e verduras permitidas. Contudo, eles ainda precisam de carnes na dieta, motivo pelo qual essa proteína faz parte dos componentes das rações. Mas afinal, é recomendado oferecer carne crua para cachorro? Nesse artigo, vamos explicar os benefícios e malefícios e como os tutores devem preparar o alimento. Confira!

Cachorro pode comer carne crua?

Existem profissionais a favor da dieta canina com carne crua, pois segundo eles, traz benefícios para a saúde dos peludos, os tornando mais resistentes à doenças. Sem contar o pelo brilhante e pele saudável, os cães também terão dentes mais limpos e mais energia. Além disso, fisiologicamente, os cães não apresentam nenhum problema na hora de ingerir carne.

Porém, também existem aqueles que são contra, pois afirmam que o cachorro pode contrair doenças ao comer a carne crua. É muito difícil precisar o procedência da carne, sendo possível que ela contenha bactérias que poderão provocar doenças bacterianas nos peludos.

Por outro lado, os cães podem apresentar, sim, maior resistência à bactérias. Entretanto, o perigo pode estar para os tutores, uma vez que as lambidas afetivas podem transmitir salivas com bactérias e patógenos para a família humana.

Carne crua ou cozida para os cães?

O mais recomendado é que a carne seja oferecida cozida ao cachorro. Para evitar o risco de doenças tanto para o pet, quanto para o tutor, cozinhar a carne é a alternativa mais segura. Lembrando que é essencial se orientar com o veterinário antes, para poder proporcionar uma dieta equilibrada e saudável ao cão.

Além disso, alguns cães podem não ter dentes muito fortes, sendo a melhor opção a carne moída. Os peludos que têm problemas digestivos ou enfrentam alguma doença, também podem precisar de preparos mais específicos.

Como preparar a carne corretamente?

Na hora de introduzir a carne na dieta dos pets, o tutor deve optar sempre por carnes frescas, sendo viável carne bovina, suína, caprina, ovina, de aves e também peixes. A carne dos peixes necessita de uma atenção maior, por possuir espinhas.

O alimento deve permanecer congelado por sete dias. Depois, a carne deve ser previamente cozida na água ou no vapor e o único tempero que pode ser acrescentado é o sal, mas com moderação. O tutor não deve servir muito quente e o tamanho dos pedaços oferecidos vai depender do porte. Além disso, se o cão não comer tudo ou demorar a comer, o alimento deve ser retirado em até 20 minutos, para não atrair insetos ou estragar.

Pode substituir a ração?

husky siberiano comendo no comedouro

A alimentação natural é sempre uma boa alternativa para cães, desde que feita corretamente e com auxílio de um profissional. Essa dieta consiste em substituir alimentos industrializados pelos naturais. E, por mais que a ração seja desenvolvida especialmente para cachorros, ela não deixa de ser processada e pode falhar na hora de proporcionar alguns nutrientes.

Dessa forma, é indicado, sim, substituir a ração pela alimentação natural canina. Porém, a mudança deve ser feita de forma correta e é importante saber a quantidade certa de cada alimento que o pet deve consumir. Saiba que a carne é apenas um dos componentes dessa dieta que irá proporcionar proteína e dar energia ao peludo. Entretanto, há outros alimentos essenciais para compor e garantir a nutrição completa. Consulte um especialista e não faça a alteração por conta própria.

Comentários