Mudar a ração do cachorro faz mal? Entenda como fazer a transição corretamente

Mudar a ração do cachorro não faz mal e é super comum. No entanto, a alteração precisa ser gradual e não deve ser frequente. Entenda!
lulu com bebedouro e comedouro

Quando o assunto é alterar a alimentação dos cães, várias dúvidas surgem durante o processo e a principal é: mudar a ração do cachorro faz mal? Fazer a mudança é algo totalmente normal, seja por conta do orçamento apertado ou por querer oferecer algo melhor para o peludo.

Se essa também é a sua dúvida, é muito importante levar alguns pontos em consideração e se atentar para questões relacionadas à saúde do animal. Acompanhe o texto e saiba como fazer a troca de maneira correta.

Trocar a ração do cachorro faz mal?

Trocar a alimentação do pet não faz mal, mas é importante que a transição seja feita aos poucos. Além disso, o tutor não deve mudar a alimentação do cachorro com frequência e deve ser feita apenas em alguns casos, pois não é indicado que seja feita mais de uma vez a cada seis meses.

Trocar a ração com frequência pode fazer com que o organismo do animal fique sensível e ele apresente indigestão, vômitos, gases e diarreia. Além de não conseguir uma boa absorção das vitaminas e nutrientes do alimento.

E ainda tem mais, ao alterar com muita frequência a ração do pet, o tutor aumenta as chances do cachorro apresentar alergia a algum ingrediente presente na ração, aí o problema será bem maior.

Portanto, escolha uma ração de qualidade, observe se o cão se adapta a ela e procure trocá-la apenas quando necessário, por fatores como idade e estado de saúde do seu amigo.

4 momentos necessários para trocar a ração do cachorro:

husky siberiano comendo no comedouro

1. Uma ração melhor

Alguns tutores, principalmente os de primeira viagem, não entendem muito bem sobre a importância de escolher uma ração premium e acabam optando pela a standard.

As rações standard não são ruins, no entanto, a medida que o animal vai crescendo, ela não consegue atender mais a todas as demandas energéticas do animal.

Já as rações premium e super premium, contam com ingredientes os quais os nutrientes são absorvidos mais facilmente pelo organismo dos cachorros. Logo, mudar para uma ração de melhor qualidade é sempre uma excelente decisão e a saúde do seu peludo agradece.

2. Mudança na faixa etária

Os cachorros vão mudando as necessidades alimentares a medida em que vão crescendo, logo, é muito importante saber a hora de parar de oferecer ração de filhote para o bichinho.

Geralmente, após um ano de idade, o cachorro já pode iniciar a ração de adulto. A troca é importante, pois os nutrientes essenciais para um cão filhote não são os mesmos de um cão adulto, muito menos de um cão idoso, que a tendência é ser mais sossegado. 

Sendo assim, essas três fases da vida demandam uma ração e uma alimentação diferente, portanto a troca precisa ser feita.

3. Patologias ao longo da vida

Infelizmente os cães podem desenvolver algumas patologias ao longo da vida que vão demandar a troca de ração, para algo mas específico e que ajude no quadro.

Algumas patologias comuns que exigem a troca da ração são: obesidade, diabetes, problemas renais, alergias alimentares, problemas gastrointestinais, doenças de pele, etc.

Nesses casos, o uso das rações premium e medicamentosas se fazem necessárias, mas devem ser recomendadas apenas por um médico veterinário. Jamais ofereça uma ração medicamentosa para o cachorro sem um diagnóstico realizado por um profissional.

4. Apetite seletivo

Assim como ocorre com os humanos, os cães também podem enjoar e até mesmo não gostar de uma ração, logo, eles podem parar repentinamente de se alimentar e causar problemas futuros.

Se você reparar que o seu cãozinho não está mostrando entusiasmo na hora de comer, é um sinal claro que de você precisará substituir a alimentação dele.

Como fazer a troca da ração?

Cachorro comendo ração

A troca de ração pode muitas vezes não ser fácil e o cachorro pode apresentar vômitos, gases e outros problemas gastrointestinais. Logo, é muito importante que a troca seja feita aos poucos e com a supervisão de um médico veterinário. A mudança deverá ser feita a partir de um revezamento da ração antiga com a ração nova. Confira como fazer a alteração:

  • Dias 1 e 2: 75% da ração antiga e 25% da nova;
  • Dias 3 e 4: 50% da ração antiga e 50% da nova;
  • Dias 5 e 6: 25% da ração antiga e 75% da nova,
  • A partir de 7 dias: 100% da ração nova.

Se após duas semanas fazendo essa troca, o cão apresentar vômitos, gases ou falta de interesse na nova ração, não force mais e procure um profissional para que ele indique um novo tipo de ração para o seu pet.

Por outro lado, também pode acontecer do seu peludo amar a nova ração e acabar se adaptando a ela com muita facilidade, tornando a transição rápida e fácil. Boa sorte!

Comentários