Cárie em cães: como prevenir e tratar

Apesar de não ser tão comum como em humanos, a cárie em cães é fruto de uma alimentação inadequada. Saiba o que é, como prevenir e tratar.
cão sorridente com máscara no pescoço

Os cães têm doenças muito semelhantes com a dos humanos, como a diabetes, a obesidade e também a cárie. No entanto, essas doenças até 20 anos atrás, eram quase impossíveis de surgir nos cães, pois todas elas vieram junto com o novo estilo de vida dos humanos. E quanto mais próximos dos humanos, mais suscetíveis os pets estão a todas essas mazelas. 

A grande maioria dessas doenças apareceu devido ao sedentarismo dos humanos e também devido à má alimentação. A dieta é uma das principais responsáveis em manter os humanos e os cães saudáveis. Logo, uma dieta rica em carboidratos e açúcares é extremamente nociva para os humanos e ainda mais perigosas para os cães, pois os cachorros precisam ter uma alimentação natural com base em proteínas. 

E para te ajudar melhor a entender como a alimentação tem relação com as doenças, neste artigo nós vamos te explicar tudo o que você precisa saber sobre cáries. Acompanhe até o final!

Cárie em cães: o que é?

Um biscoitinho aqui, uma pizza ali e talvez até um chocolatinho podem ser nocivos para os cães. Esses alimentos podem causar a obesidade e também cárie nos pets. No entanto, a cárie é um problema não muito comum nos cães e o problema dental mais sério é o tártaro. Mas isso não significa que os peludos não possam ter cáries.

Afinal, o que são as cáries? A cárie é o resultado do acúmulo de placa bacteriana que fermenta o açúcar vindo da dieta do animal, logo, essa placa produz um ácido que acaba desmineralizando e destruindo o dente do pet. Apesar da cárie ser um problema menos comum que o tártaro, os cuidados e a atenção com o problema devem ser o mesmo.

Um estudo publicado no Journal Of Veterinary Dentistry identificou uma incidência de cáries em cães de apenas 5,25%. Essa pesquisa foi realizada entre 2001 a 2005 com cerca de 2300 cães. No entanto, de lá pra cá, os hábitos dos humanos em relação aos cães mudaram muito, e por isso, a incidência de cáries em cães também acabou aumentando. 

Cáries em cães: quais são as causas?

Os cães possuem germes bucais específicos para a espécie, logo, a cárie não está entre eles. Com isso, é possível dizer que o principal causador da cárie nos cães é a má alimentação vinda dos tutores. A dieta ideal e adequada para os cães deve ser rica em proteínas e carboidratos saudáveis. Uma alimentação adequada e própria pode reduzir em 90% a incidência de cáries nos bichinhos.

Em proporções numéricas, 90% das crianças em fase escolar apresentam alguma cárie, em comparação com 5% dos cachorros filhotes. Logo, esse problema é bem difícil de surgir nos animais.

Geralmente os cães que apresentam cáries nos dentes, apresentam também doenças como a diabetes ou a obesidade, justamente pela presença em excesso do açúcar e do carboidrato no organismo do bichinho.

Por que é tão difícil dos cães terem cáries?

O flúor 

A água potável possui uma quantidade considerável de flúor, logo, o animal que consome água potável tem chances baixíssimas de desenvolver a cárie. O mesmo acontece com os humanos.

Dieta

A dieta dos cães não é cariogênica, ou seja, é pobre em açúcar. Com isso, é muito difícil esses animais terem contato e conseguirem ingerir comidas com carboidratos e açúcar refinados, como no caso dos refrigerantes, sorvetes e outros alimentos.

O pH da saliva

A saliva dos cães têm um pH alto comparado a dos humanos, logo, essa acidez dificulta o surgimento da cárie nos animais. O pH dos humanos é de até 6,5, dos cães é de 7,5.

A anatomia dos dentes 

O dente dos cães é mais separado do que os humanos, logo, é muito difícil que alimentos e placas bacterianas se acumulem entre os dentes. Além disso, o dente dos peludos tem um formato mais cônico e com menos fissuras, o que também dificulta o aparecimento das cáries.

Os tipos de bactérias são diferentes

Como dissemos anteriormente, as bactérias que surgem na boca dos cães é diferente das que surgem na boca dos humanos. Logo, a Streptococcus mutans, principal responsável pela cárie, surge muito dificilmente nos cães.

Cáries em cães: como prevenir? 

Mas mesmo que seja difícil os cães terem cáries, isso não significa que os pets estão imunes ao problema. Assim, é muito importante que o tutor tome alguns cuidados muito importantes para prevenir. Esses cuidados são importantes, pois nem sempre é fácil identificar ou conseguir enxergar as cáries nos cães. 

Para o diagnóstico do problema é necessário a ajuda de um médico veterinário, para que a cárie não seja confundida com o tártaro. Confira as dicas para a prevenção:

Alimentação

Como você já sabe, o açúcar é o principal causador da cárie. Por isso, cuide da alimentação do seu pet e jamais ofereça alimentos ricos em carboidrato e açúcares, como biscoitos, pizza, pães, chocolates e outros. Esses alimentos além de tóxicos para os peludos, são extremamente perigosos, podendo levar a obesidade e a diabetes, indo além das cáries.

Caso queira diversificar a alimentação do seu cãozinho e propor uma dieta mais saborosa, invista na alimentação natural. Mas lembre-se: para mudar a dieta do pet, é importante consultar um médico veterinário antes. 

Escovação 

Essa tarefa é pouco realizada pelos tutores de cães filhotes ou adultos. No geral, quem leva seus pets a veterinários e pet shops frequentemente para tomar banho acaba consumindo também esse serviço importante.

O ideal é que a escovação ocorra entre duas a três vezes por semana, sempre com produtos específicos para o tipo de dentes e pH do seu cãozinho. Escovar os dentes do pet também ajuda a prevenir o tártaro e outras doenças bucais.

Roer

Para aqueles tutores que têm dificuldade de escovar os dentes dos cães, deixar o animal roer objetos pode ser a solução. O ato de roer pode ser considerado a “escovação natural” dos peludos. Como muitos cães resistem à escovação com as escovas e as pastas com sabor, oferecer ossos — naturais ou de materiais sintéticos —, objetos e alimentos duros, pode garantir a eliminação natural das camadas de tártaro e acúmulos de alimento prejudiciais para os dentes dos cachorros. Além, é claro, de se tornar um hábito divertido na rotina do animal.

E lembre-se, leve sempre o seu amigo peludo para consultas de rotina com o médico veterinário. Por meio delas, é possível identificar e tratar a cárie e diversas outras doenças com antecedência, evitando o sofrimento e o estresse do cãozinho. Boa sorte!

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *