10 erros na criação dos cães que talvez você cometa

Erros na criação dos cães são comuns e muitas vezes os tutores não sabem que estão cometendo. Veja aqui alguns deles que separamos
Cachorro e mulher sentados na grama

Ter um cãozinho em casa não é uma tarefa simples. Ao decidir adotar um peludo, é muito importante ter em mente que os cuidados com o bichinho vão muito além de oferecer água e comida. O pet precisa de carinho, passeios, adestramento e muita atenção de toda a família, logo, é muito importante pensar antes de trazer um para casa.

Entretanto, infelizmente ao decidir adotar um cachorro, muitas famílias cometem erros na hora de criá-los. Esses erros muitas vezes são cometidos por falta de experiência ou até mesmo de conhecimento. Como consequência, vem o mau comportamento dos cães em casa. Por isso é bom estar atento para poder criar um pet da melhor maneira possível.

Mas não se preocupe! Se você é um tutor cuidadoso e quer saber se está fazendo tudo certo, aqui é o seu lugar. Neste artigo, nós vamos listar os 10 erros mais comuns que os donos de cães cometem na hora de criar esses peludos. Para ficar por dentro de tudo, acompanhe até o final. 

10 erros comuns na hora de educar os cães

1. Não educar o animal ainda filhote 

Existem pessoas que pensam que será fácil educar um cão ou até mesmo pensam que não é necessário investir em adestramento quando o animal ainda é filhote, mas esse é um erro grave. É preciso realizar essa tarefa quando ainda são filhotes, para evitar dores de cabeça depois. Tentar educar um animal quando ele já é adulto pode ser uma missão complicada. Caso você não saiba como educar um animal de maneira correta, você pode recorrer a um adestrador. 

2. Não educá-lo de maneira correta

Além de precisar educá-lo cedo, é necessário educá-lo de maneira correta. Alguns tutores acabam usando uma maneira negativa para tentar ensinar ou educar o animal, como por exemplo, gritar com o cachorro ou até mesmo esfregar o rosto do animal no xixi. Esse tipo de correção é um erro grave e pode causar no animal traumas e até mesmo outros tipos de comportamento indesejado. Sempre use uma educação baseada no reforço positivo, recompensando-os quando se comportam bem e, é claro, NUNCA ser violento ou maltratar os animais.

3. Não levá-lo ao veterinário com frequência 

Não adianta pensar que não é importante. O cãozinho precisa ir semestralmente ao médico veterinário para manter a saúde em dia. Infelizmente, grande parte dos tutores só procura levar o animal ao médico quando ele já está doente e está apresentando sintomas graves da doença, isso não é certo para com o cãozinho. Além disso, mantenha as vacinas e os vermífugos em dia.

4. Não ter tempo para o cãozinho 

Os cachorros necessitam que dediquemos tempo diariamente a eles, não apenas para alimentar, mas para passear e brincar com eles. Não devemos deixar nosso fiel amigo mais de 8 horas diários sozinho em casa, ou passear com ele apenas para fazer as necessidades. Você deve lembrar que ele é um membro da família e que, como todos, também precisa de amor e carinho. Se realmente tiver dias em que o trabalho estiver muito agitado, invista no serviço de Dog Walker, Pet Sitter ou Day Care.

5. Escolher uma ração inadequada 

Muitos tutores acham que qualquer ração para o animal serve, e aí mora um grande erro. A alimentação do animal deve ser de acordo com as necessidades físicas e fisiológicas do bichinho. Logo, a ração e alimentação ideal para ele vai depender da raça e nível de exercício. Para escolher a correta, converse com um médico veterinário.

6. Não pensar nas necessidades do animal

Muitos donos de cães escolhem uma determinada raça porque ela está na moda, acharem bonita ou por gostarem mais dela. Essa é uma atitude irresponsável e pode ser considerado um dos erros cometidos por futuros tutores. Se você, por exemplo, é uma pessoa sedentária e adota uma raça que necessita de muito exercício físico, seu animal pode passar a sofrer de ansiedade, ter comportamento destrutivo e iniciar uma série de problemas. É por isso que, antes de adotar um animal de estimação, você deve se informar muito bem de todos os cuidados que ele precisa.

7. Não respeitar os sentimentos e vontades do animal

É um erro gravíssimo pensar que o cãozinho não tem sentimentos ou que não nos entende, pois essa crença acaba fazendo com que os tutores não respeitem as vontades do animal. Nós que amamos os animais, sabemos que não é assim. Temos que tratá-los como membros de nossa família e entender que cães podem ficar triste e também alegres.

8. Não castrar o pet

Esse é um erro muito comum de tutores de cães e ele pode afetar diretamente a saúde e bem-estar do peludo. Algumas pessoas pensam que a castração não é importante, mas ela é. Permitir que o animal entre no cio com frequência, faz com que ele acabe tendo um sofrimento devido à privação sexual e tenha doenças futuras, como o câncer no útero nas fêmeas.

9. Não levar o animal para passear

É muito comum que as pessoas que moram casas com jardins grandes não levem seus cães para passear, pois acham que não há necessidade. Dessa forma, estão impedindo o animal de conviver com outros animais e pessoas, fazendo com que ele desenvolva ansiedade. É bom viver em um local amplo e com muito espaço para brincar, mas o nosso animal de estimação também precisa de outros estímulos que só são possíveis de encontrar por meio de um passeio.

10. Deixar o animal puxar a guia durante o passeio

Muitos tutores levam os seus cachorros para passear e deixam o animal guiar. O cão praticamente arrasta o dono para todos os cantos, usando toda a sua força e velocidade. Esse é um erro grave, que faz com que o cachorro pense que ele mesmo está no comando e que ele mesmo dá as ordens. Logo, imponha limites e não deixe que o animal puxe a guia durante o passeio. Mas não é necessário machucá-lo ou impedi-lo de explorar o ambiente.

Se informe sempre!

Para criar um cachorro de maneira correta e saudável é muito importante sempre buscar informações, pois ninguém nasce sabendo sobre tudo. Além de fazer pesquisas online sobre comportamento, saúde e alimentação dos cães, converse com um médico veterinário e peça dicas e conselhos para criar o seu peludo. O profissional com certeza estará disposto a te ajudar e te dará dicas incríveis. Boa sorte!

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *