6 perguntas que todo o tutor deve fazer ao veterinário

Separamos 6 perguntas que são indispensáveis na hora da consulta do cachorro no médico veterinário. Confira!
Cachorro sendo examinado pelo médico

As idas ao médico veterinário são de extrema importância para manter a saúde e bem-estar do cãozinho. As visitas devem ser periódicas e não apenas quando o animal está doente, pois dessa maneira as consultas e check ups podem servir como uma prevenção de doenças. Além de conseguir tratar muitas mazelas não percebidas pelo tutor a tempo.

Mas às vezes as visitas podem ser rápidas e nem sempre o tutor pergunta tudo o que deve, logo, é importante sempre anotar todas as suas dúvidas em relação ao peludo antes da consulta. Algumas questões como o peso, indicação nutricional e até mesmo o banho devem vistos junto ao médico veterinário. 

O momento da consulta é essencial, pois o médico veterinário está ali com o seu cãozinho e pode avaliar exclusivamente todos os cuidados que ele necessita. Mas não se preocupe caso não saiba ao certo o que perguntar e como perguntar. Neste artigo nós separamos as 6 principais perguntas que você deve fazer ao veterinário durante a consulta. Acompanhe até o final. 

Ida ao veterinário: o que perguntar sobre o cãozinho?

1 – Como está o peso do meu pet?

Um estudo realizado pela instituição dos Estados Unidos, Association for Pet Obesity Prevention, comprovou que cerca de 63% dos cães em todo o mundo apresentam um grau de obesidade. Por isso, perguntar sobre o peso do seu pet pode ser essencial para prevenir ou tratar a obesidade no seu amigo peludo. 

A obesidade não é sinal de fofura,  é uma doença séria que pode levar o animal a ter diversos outros tipos de complicações como hipertensão e diabetes. Além disso, um cãozinho acima do peso tem uma qualidade de vida bem menor em comparação aos cães saudáveis. 

Mas a pergunta sobre o peso não serve apenas para prevenir a obesidade. Existem muitos cães que podem estar tendo carências nutricionais e estarem abaixo do peso ideal.

Além disso, o veterinário poderá avaliar se o animal pode ter alguma intolerância ou alergia à alimentação que você está oferecendo em casa. 

2 – A alimentação que estou oferecendo é adequada?

Caso o pet apresenta um quadro de obesidade ou desnutrição, peça ao profissional que elabore uma dieta para o pet. Além disso, é muito importante que você informe ao médico veterinário o tipo de alimento que você oferece, a quantidade e quantas vezes ao dia. Dessa maneira, o profissional poderá avaliar da melhor maneira e fazer alterações na dieta do animal. 

Além disso, caso o seu pet tenha algum outro problema de saúde descoberto durante a consulta, saiba que a dieta dele pode contribuir para o tratamento e até curá-lo, por isso a alimentação é tão importante. Mas para isso é necessário seguir à risca a prescrição feita por um profissional. Jamais faça alterações na dieta do pet por conta própria. 

3 – O meu cãozinho está com dores?

Essa até pode ser vista como uma pergunta descartável, ainda mais em casos em que o tutor já desconfia que o pet está com dor e, por isso, o levou para uma consulta com um profissional. Porém, ela cabe muito bem quando falamos em consultas periódicas, pois nem sempre é fácil notar que o cãozinho está com algum desconforto. 

A menos que seja algo muito aparente e grave, como pulgas ou alergias, é bem comum situações em que cachorros sofrem em silêncio. Diferente das crianças, os cães não vão poder falar que estão com dor no ouvido ou na garganta, por exemplo. Por outro lado, o médico veterinário poderá avaliar facilmente se o animal está sentindo alguma coisa, por isso vale a pergunta.

Essa pergunta pode inclusive ajudar a descobrir alguma complicação ou até mesmo algum tipo de doença silenciosa, por isso, não esqueça de fazê-la!

4 – O meu cachorro esta com pulgas ou carrapatos?

Pulgas e carrapatos são bem mais comuns do que imaginamos, pois o cãozinho pode pegar esses parasitas em qualquer lugar, principalmente durante os passeios. E lidar com pulgas e carrapatos nem sempre é fácil, principalmente quando a infestação está avançada. Por isso, ao identificar o problema com antecedência junto ao médico veterinário é o ideal.

E por mais que a coceira seja um sinal claro dessas parasitas, no início da infestação, o cãozinho pode não sentir nenhum sintoma. Logo, ele pode apenas começar a ter reações quando a infestação está mais séria. A presença de pulgas e carrapatos pode levar o pet a ter dermatite, alergia e queda de pelo. Fique atento!

5 – Quando dar banho no meu cãozinho?

Essa questão pode ser muito importante, pois a quantidade de banhos pode variar de acordo com a raça e pelagem do animal, logo, é importante conversar sobre o assunto com o médico veterinário. A frequência de banhos pode ser semanal, quinzenal ou até mesmo mensal, tudo vai depender da pelagem do cãozinho e se ele é filhote. Alguns cães necessitam mais de banho do que outros.

Além disso, é sempre bom chegar se o seu cãozinho tem algum problema dermatológico, pois pode ser que os cuidados sejam diferentes com ele. Você também pode pedir para o profissional indicação de produtos e shampoos ideias para o seu cãozinho. Alguns cães precisam de uma proteção extra para manter a oleosidade natural da pele.

6 – Meu pet está feliz?

Essa pergunta pode parecer boba para alguns tutores, mas ela é muito importante. O veterinário consegue facilmente identificar um animal estressado, ansioso ou até mesmo depressivo. Por isso, pergunte a ele e conte um pouco sobre a sua rotina de passeios e brincadeiras com o seu amigo peludo.

O profissional pode te dar algumas dicas excelentes de brincadeiras e até mesmo brinquedos para você tornar a rotina do seu cãozinho mais alegre. Boa sorte!

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *