Cachorro com ansiedade de separação: como tratar

Cachorro com ansiedade de separação: como tratar

Saiba como identificar a ansiedade canina, o que fazer para tratar esse problema doloroso para o seu cachorro e que pode afetar bastante a rotina da casa
Cachorro na varanda de um apartamento

Seu cachorro fica simplesmente louco de felicidade quando você chega em casa e fica agitado ou até mesmo agressivo quando você sai? Bem, se isso se repete por um tempo considerável, algo como mais de uma semana, é muito provável que ele tenha ansiedade de separação.

Nunca ouviu falar disso antes? Trata-se de um problema simples de entender e que acomete muitos cães. A ansiedade por separação pode ser realmente dolorosa para o seu cachorro e afeta bastante a rotina do dono e do pet.

Se você quer entender melhor como a ansiedade de separação funciona e, o mais importante, como tratá-la, este artigo será de grande ajuda. Confira!

Como saber se meu cachorro tem ansiedade de separação?

É absolutamente normal que o seu cachorro fique feliz ao perceber que você chegou em casa. Da mesma forma, é normal que ele fique agitado ou triste quando você sai para trabalhar ou para passear sem ele. Na ansiedade por separação, no entanto, esses comportamentos se tornam muito mais intensos e têm consequências ruins para o cachorro e para o dono.

A ansiedade de separação não costuma surgir de uma hora para outra. Ela normalmente afeta cães que estão passando por transformações em suas rotinas e em suas vidas.

Cães que não estão acostumados a ficar sozinhos, que mudaram de donos ou perderam um membro da família e cães que recentemente receberam um lar, são os mais propensos a desenvolver a condição. Outros fatores, como a raça a que o seu cachorro pertence, também podem influenciar no problema. Raças de cachorro mais carentes tendem a sofrer mais de ansiedade de separação.

Confira a seguir os principais sintomas de um cachorro com ansiedade de separação:

  • Latir, uivar ou gemer excessivamente
  • Tentar sair de casa
  • Mastigar, quebrar ou danificar objetos
  • Cavar buracos
  • Ficar ofegante ou babar muito
  • Caminhar de forma obsessiva
Cachorro uivando
Labrador uivando

Um cão com ansiedade de separação manifesta vários desses sintomas ou todos eles ao mesmo tempo. Ele irá manifestá-los com maior intensidade quando você estiver fora de casa, naturalmente, mas alguns também serão observados quando você já estiver por perto, especialmente no momento da partida e no momento da chegada.

Como tratar a ansiedade de separação?

A primeira coisa a fazer é conversar com um veterinário ou especialista em comportamento animal. Esses profissionais poderão identificar com mais propriedade qual o problema que está afetando o seu amiguinho e darão preciosos conselhos para você.

A ansiedade de separação pode afetar os cães de formas diferentes, com intensidades diferentes. De modo semelhante, não há uma receita única para resolver o problema. O essencial é ter paciência para tratar a ansiedade de separação no ritmo adequado ao seu cachorro.

Tratando uma ansiedade mais leve

Se a ansiedade de separação do seu cachorro não parecer muito grave, experimente algumas das seguintes medidas:

  • Brinque com o seu cachorro antes de sair de casa, para deixá-lo cansado. Talvez ele aproveite o tempo sozinho para tirar uma soneca…
  • Dê um brinquedo para o seu cachorro quando você sair de casa e retire dele quando você voltar. Isso vai ajudá-lo a ver o período da separação como algo positivo.
  • Não estimule a recepção superanimada do seu cachorro quando você retorna. Procure ignorá-lo e e dar atenção somente quando a animação dele acabar.
  • Deixe objetos com o seu cheiro, como peças de roupa, por exemplo, com o seu cachorro.
  • Experimente suplementos alimentares que são naturalmente calmantes, como aqueles à base de maracujá ou extrato de alcachofra.
Bichon Frisé brincando com bolinha no apartamento
Bichon Frise correndo pelo lar com uma bolinha azul na boca

Tratando uma ansiedade mais grave

No entanto, se a ansiedade de separação do seu cachorro parecer mais grave, o tratamento será um pouco mais trabalhoso. Você terá que adaptar o seu cachorro pouco a pouco ao período da separação. Lembre-se de ir com calma e não queimar etapas.

Comece simulando, várias vezes ao dia, o momento da separação. Vista-se, calce os sapatos, pegue as chaves, faça as coisas que você normalmente faria ao sair de casa, mas não saia, sente-se no sofá, interaja com o seu cachorro.

Observe a reação do seu cachorro ao ver você agir assim. Quando você sentir que ele já não fica tão agitado ao ver você simular assim, passe para a etapa seguinte.

Prepare-se para sair de casa e, calmamente, atravesse uma porta. No início, é melhor atravessar uma porta interna da casa, para só depois atravessar a porta de saída ou o portão. Em seguida, entre em casa novamente.

Depois de repetir essa operação diversas vezes e perceber que o seu cachorro está reagindo melhor, você pode se ausentar de fato de casa, mas por um período bem curto, que deve ser aumentado aos poucos, conforme o progresso do seu amiguinho.

Esse processo de adaptação do seu cachorro à separação pode demorar um pouco, algumas semanas, por exemplo. O essencial, como dissemos, é ter paciência.

Experimente misturar essas últimas técnicas que ensinamos junto com aquelas primeiras. Outra dica, que parece simples até, é encontrar alguém que possar passear com o seu cachorro quando você estiver fora, como um passeador profissional de cachorros, por exemplo.