15 curiosidades sobre a raça Boxer que irão te surpreender

Se você deseja ter companhia constante, o boxer é perfeito. Confira essas curiosidades que separamos sobre a raça e se surpreenda.
Boxer latindo com a língua para fora

De aparência robusta e altiva, os cães da raça Boxer podem parecer intimidantes ou bravos à primeira vista. O visual engana: na realidade, são animais amorosos, brincalhões e dóceis, além de bastante leais à sua família, os tornando ótimas opções de cães para a proteção do lar.

Em casa, a família se diverte: os boxers são meio desajeitados e trapalhões, resultando em situações hilárias no dia a dia. Mas não se engane, eles são mais espertos do que você imagina. E não para por ai! Cães da raça boxer têm diversas outras curiosidades que você não imagina.

Separamos abaixo 15 fatos curiosos sobre a raça e dicas para que ele seja mais feliz no dia a dia. Confira!

1. Os Boxers vieram da Alemanha

Os boxers foram criados a partir de uma raça de cães atualmente extinta conhecida como Bullenbeisser (‘mordedor de touro’, em tradução livre). Esses cães eram enormes e influenciaram geneticamente os atuais buldogues e mastins.

Os antigos Bullenbeissers foram criados na Alemanha para enfrentar animais de grande porte, como javalis e ursos. À medida que a caça aos javalis perdeu força, versões menores desta raça foram criadas na Bélgica para servir como cães pastores. Acredita-se que eles sejam ancestrais diretos do boxer moderno.

Em 1895, a cidade de Munique, uma das cidades mais tradicionais da Alemanha, teve seu primeiro clube de tutores de cães boxers, que estabeleceu o padrão para a criação futura desses animais.

2. A árvore genealógica do cão Boxer remonta há mais de 2 mil anos

De acordo com um estudo publicado pelo portal Semantic Scholar em 2015, o antigo cão Molossor oriental era usado para luta e proteção. É um ancestral do cão Boxer moderno. Entretanto, o Boxer moderno foi originalmente criado a partir do cruzamento do Bulldog Inglês com o agora extinto Bullbeiser Alemão em 1890, incríveis 130 anos atrás.

3. Criar boxers nem sempre foi uma tarefa fácil

A raça Boxer tem tradicionalmente altos níveis de endogamia – método de acasalamento que consiste na união entre indivíduos aparentados, geneticamente semelhantes. Tal consanguinidade é ruim para a genética e a saúde desses cães. Portanto, é preferível acasalar cães que não sejam intimamente relacionados. Felizmente, a quantidade de endogamia entre os boxers tem diminuído nas últimas décadas.

4. Suas ruguinhas necessitam de cuidados constantes

Como cães de caça que eram até alguns séculos atrás, os boxers precisavam segurar suas presas por longos períodos enquanto seus caçadores as alcançavam. As rugas em seus rostos funcionavam como canais que transportavam o sangue para longe dos olhos.

Hoje, essa função é pouquíssima utilizada, tanto que as ruguinhas viraram apenas um adereço, uma característica que os tornam mais fofinhos. De todo modo, elas precisam de cuidados constantes. Se você tiver ou pretende ter um cãozinho boxer, limpe suas ruguinhas constantemente para evitar infecções.

5. São uma raça notoriamente braquicefálica

Os cães braquicefálicos, tais como os boxers, possuem ‘cara achatada’ e crânio mais curto. Eles são o resultado de muitas gerações de procriação seletiva. Essa característica física infelizmente aumenta o risco deles desenvolverem doenças respiratórias e síndrome braquicefálica.

6. Seriam excelentes “boxeadores” se pudessem

Como o próprio nome sugere, esses cães têm um “gancho de esquerda” realmente impressionante. Quando estão brincando, os boxers tendem a ficar apoiados sobre as patas traseiras e usar as patas dianteiras tal qual um boxeador humano faria. Muitas pessoas acreditam que esse comportamento peculiar deu origem ao nome da raça, mas não há embasamento histórico suficiente para levar essa ideia adiante.

7. O formato da sua cabeça tem um propósito

Os boxers são conhecidos pela forma pouco usual da sua cabeça. De acordo com o padrão da raça, seus focinhos devem ter metade do comprimento do crânio. Isso, junto com um prognatismo (desarmonia facial envolvendo ossos, dentes e músculos) da mandíbula, ajudavam os boxers a morder e segurar suas presas.

Esses cães foram criados, inclusive, para serem capazes de segurar os animais em suas bocas até que seus donos chegassem, enquanto seus focinhos curtos lhes permitiam respirar com mais vigor.

8. Demoram a atingir a maturidade

Os boxers sofrem de uma espécie de “Síndrome de Peter Pan” canina. Isso porque eles levam cerca de três anos para atingir a maturidade. Em outras palavras, a fase de filhote dessa raça é uma das mais longas do mundo canino. Quando filhotes, esses cães são bastante brincalhões, uma característica mantida para além da idade adulta. Não à toa, estão sempre em busca de atenção, desafios e brincadeiras com seus donos.

9. Excelentes para aprender truques

Como brincar é com eles mesmos, essa raça é facilmente motivada a aprender novos truques. Especialmente se você ensiná-los recompensando-os com guloseimas saborosas!

10. Foram usados durante as Guerras Mundiais

Durante a Primeira Guerra Mundial (1914-1918), os boxers foram uma das sete raças escolhidas para ajudar os soldados alemães.

Já na Segunda Guerra Mundial (1939-1945), a raça encantou o lado dos Aliados: os soldados dos Estados Unidos os empregá-los em diversas operações militares. Eles trabalhavam transportando mensagens e suprimentos, e ajudavam a localizar soldados feridos no campo de batalha.

Dentre todas as raças, eram considerados mensageiros ideais, uma vez que podiam correr rapidamente em terrenos acidentados e eram menos propensos a se tornarem alvos de atiradores.

11. Baixa representatividade no cinema

Apesar de serem o oitavo cão mais popular nos Estados Unidos, esses dogues são lamentavelmente pouco representados nos filmes. Ao contrário dos pastores alemães e dos Jack Russells, os boxers aparecem pouco na tela grande, com raras exceções, como Aventuras no Alaska (2001) e Perdidos em San Francisco (1996).

12. São populares nos EUA

Os boxers são a 11ª raça de cães com pedigree mais popular em terreno norte-americano. Eles saltaram 20 posições no ranking nos últimos doze anos. Além disso, é a 2ª raça de trabalho mais popular, atrás apenas dos Rottweilers.

13. As estrelas do cinema adoram os Boxers

De acordo com o portal Boxer Daily, há dezenas de celebridades com os “boxeadores” de estimação. A lista inclui Hugh Jackman, Cameron Diaz, Jennifer Love Hewitt, Jessica Biel, Justin Timberlake, Luke Perry, Ryan Reynolds e Chelsea Handler.

14. O tamanho impressiona, mas sua expectativa de vida nem tanto

A expectativa de vida dos cães dessa raça varia entre 11 e 12 anos. Alguns boxers mais saudáveis chegam aos 16 anos – ou um pouco mais. O Boxer macho tem cerca de 60 cm de altura e pesa entre 29 e 36 kg. Já a fêmea atinge 55 cm de altura e pesa entre 23 e 30 kg.

15. A saúde dos boxers está ajudando a Ciência a entender melhor a saúde humana

Eles são geneticamente predispostos à cardiomiopatia arritmogênica do ventrículo direito (CAVD). Essa doença cardíaca está relacionada a um ritmo anormal de batidas do coração durante a fase adulta. Em casos extremos, pode resultar em morte súbita. Compreender essa doença entre os cães boxers pode potencialmente transformar a maneira como enxergamos a CAVD nos seres humanos. Isso se deve à semelhança do coração entre as duas espécies.

Dicas para seu cachorro Boxer ser mais feliz

Boxer correndo com bolinha na boca

Os boxers são cães altamente brincalhões, hiperativos, amorosos e inteligentes. Mantê-los ocupados e ativos é a chave para sua felicidade e manutenção do seu porte físico.

A maneira como a família criará esses cães se refletirá diretamente em seu temperamento. Quanto mais companhia e amor tiverem, menos agirão de maneira territorialista. O apego aos tutores os tornará fiéis e ferozes na proteção do lar contra estranhos.

Se você deseja ter companhia constante, o boxer é perfeito! O jeitão enérgico dele vai fazer você sair da zona de conforto, seja nos passeios fora de casa, seja nas brincadeiras do dia a dia. Ah, e para quem tem crianças na família, são a opção perfeita, em especial as fêmeas, que costumam acolher os pequenos da casa como se fossem seus.

Gostou? Compartilhe o post com seus amigos!

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *