Cachorro intoxicado: causas, como identificar e o que fazer para ajudar o pet

Saiba identificar se o seu cachorro está intoxicado, quais substâncias são perigosas para eles, como agir e os primeiros socorros
cachorro com refluxo expelindo espuma branca da boca

Se seu cão apresentar vômitos, salivação excessiva, tremores musculares, diarreia, desânimo e falta de coordenação ao caminhar, pode ser um sinal de que ele está intoxicado.

Diante disso, o mais importante de tudo é ir ao médico veterinário com urgência e o mais rápido possível. Uma das nossas principais recomendações é que se você está ou mora longe do consultório do médico de confiança, é bom procurar centros veterinários identificados próximos para atendimento primário ou emergências dos pets.

Existem soluções temporárias e primeiros socorros para evitar que o animal piore ou morra antes de chegar ao veterinário. Com essas medidas, podemos minimizar os danos ao corpo do cão.

Saiba as principais causas de intoxicação e como ajudar o bichinho antes que algo pior aconteça. Acompanhe o texto até o final.

Causas da intoxicação nos cães

Quando se fala em intoxicação nos cães, logo se pensa em algum tipo de veneno, mas não é apenas essa substância que pode intoxicar os animais. Alguns alimentos que para nós são inofensivos e até mesmo deliciosos, para os cães podem ser extremamente tóxicos e perigosos, como o chocolate, por exemplo.

Além de alimentos, há plantas que podem oferecer riscos ao cão. Nem todas as folhas, ervas e flores são seguras para os pets. No caso das plantas venenosas para os cachorros, é muito importante que o tutor evite tê-las em casa, pois além de intoxicar os animais, podem fazer com que eles apresentam ulceração na boca e na língua, irritação na pele, coceiras intensas e bolhas na derme.

Uma solução, caso goste muito de plantas, é mantê-las em locais altos, para que os cães não consigam alcança-las.

Alimentos que intoxicam os cães:

Cachorro olhando para barra de chocolate
  • Chocolate;
  • Uva fresca e uva-passa;
  • Alho;
  • Açaí;
  • Cebola;
  • Macadâmia;
  • Carambola;
  • Abacate;
  • Bebidas alcoólicas;
  • Alimentos com cafeína;
  • Alimentos com xilitol.

Plantas que intoxicam os cães:

Yorkshire em pé nas plantas
  • Comigo-ninguém-pode;
  • Costela de adão;
  • Samambaia;
  • Copo-de-leite;
  • Lírio;
  • Jiboia;
  • Espada-de-São-Jorge;
  • Bico-de-papagaio;
  • Folha-da-fortuna;
  • Azaleia.

Veneno

Existem diversos tipos de veneno que podem intoxicar os cães, desde o chumbinho até mesmo venenos utilizados para matar insetos ou doenças de plantas.

Neste caso, o cachorro pode ingerir ou até mesmo inalar o veneno sem perceber, o que torna a sua identificação mais difícil. No entanto, após ingerir o veneno, o animal pode apresentar um odor bucal característico, que pode ajudar bastante o tutor na hora de levá-lo ao veterinário. Confira:

  • Odor gástrico: Semelhante ao cheiro do alho, pode indicar o uso de arsênio, organofosforados, tálio e fosforeto de zinco.
  • Odor de acetona: Aspirina e outros salicilatos, acetona, benzeno, talueno, criminosos, xileno e isipropanol.
  • Cheiro de amêndoas amargas: associado ao cianeto.
  • Odor desagradável e intenso: Associado ao paraguel.

Outros causadores de intoxicação nos pets:

Sintomas de intoxicação nos cães

Labrador vomitando

Os sintomas de intoxicação podem variar de acordo com a causa. Alguns alimentos, como o chocolate, podem fazer com que o animal comece a apresentar sintomas apenas 10 horas depois.

Já alguns tipos de planta, como a Espada-De-São-Jorge, pode fazer com que o bichinho comece a apresentar os sinais de intoxicação 2 horas depois. Já no caso do veneno, os sinais podem começar até 15 minutos depois. Logo, não demore para levar o animal ao veterinário.

Mesmo os sintomas variando, no geral, eles se assemelham. Confira os principais sinais de intoxicação nos pets:

  • Vômito;
  • Diarreia;
  • Dor abdominal;
  • Presença da substância ao redor da boca;
  • Apatia;
  • Sialorreia (salivação excessiva);
  • Tremores musculares;
  • Falta de coordenação ao caminhar;
  • Convulsões.

O que fazer?

É muito importante que você não tente induzir o vômito do cachorro em casa, pois alem de ser perigoso, pode piorar bastante o quadro do bichinho. Leve-o com urgência ao veterinário e ao chegar lá, conte a quanto tempo o pet está apresentando sintomas, qual substância você acredita que ele ingeriu e se ele apresenta alguma alergia, etc. Forneça o máximo de informações possíveis, pois elas podem ajudar a salvar a vida do seu amigo.

Se você perceber que a intoxicação é muito grave, existem algumas medidas que você pode tomar em casa para conseguir mais tempo até levar o cachorro ao veterinário, como oferecer o carvão ativado.

Essa substância é um dos absorventes mais utilizados devido à sua eficácia. O carvão ativado deve ser fornecido a uma taxa de 2 ml por quilo do peso do cão em suspensão em água, sempre seguindo as indicações do folheto informativo.

A função deste produto é absorver as toxinas o mais longe possível do sangue para o trato digestivo, podendo assim ser excretadas. Não é recomendado para induzir vômitos, portanto é importante esperar que eles parem de vomitar ou administrar nos casos em que o vômito é contra-indicado.

Passadas mais de 3 horas após a ingestão do alimento, planta ou veneno, o carvão é menos eficaz, pois as toxinas podem ser mais disseminadas pela corrente sanguínea, não tendo boa capacidade de atraí-las.

Porém lembre-se sempre: o quadro de intoxicação é algo grave e que pode tirar a vida do seu amigo de quatro patas. Por isso, jamais tente resolver o problema por conta própria em casa, pois você pode acabar piorando a situação por não possui os conhecimentos necessários.

Leve o seu bichinho ao médico veterinário com urgência e sempre procure deixar o ambiente seguro, colocando produtos de limpeza, venenos para insetos, alimentos tóxicos e plantas longe do seu amigo. Boa sorte!

Comentários