Plantas venenosas para cachorro: saiba quais

Listamos 20 plantas comuns nos lares e que são tóxicas para cães. Veja quais são elas, como identificar a intoxicação e cuidados necessários
Yorkshire em pé nas plantas

Entre os principais problemas de saúde pelos quais nossos pets podem passar, está a ingestão de algo tóxico ou venenoso. Muita gente não sabe, mas muitas plantas que costumamos plantar em nosso jardim podem ser tóxicas para os cães. Evitar que o seu cachorro tenha contato com elas é uma medida importante para preservar a saúde dele.

Neste artigo você conhecerá 20 plantas comuns nos quintais e jardins dos lares brasileiros que são venenosas para os cães. Também saberá quais são os sinais de que o seu cachorro ingeriu uma planta venenosa e o que fazer caso isso ocorra. Por fim, verá dicas importantes para manter o seu cachorro a salvo de plantas tóxicas.

Principais plantas que o seu cachorro não pode ingerir

São várias as razões que podem levar um cachorro a comer uma planta venenosa. Porém, um dos principais motivos para esse tipo de intoxicação ser frequente é o fato de muitas plantas venenosas serem atrativas e cultivadas nos jardins de muitos tutores.

Confira abaixo uma lista das principais plantas envolvidas na intoxicação em cães.

  • Tomateiro (o tomate maduro não é tóxico para os cães, mas o tomate verde e as outras partes do tomateiro, como folhas e caule, são)
  • Tulipa
  • Crisântemo
  • Babosa ou Aloe vera
  • Begônia
  • Jiboia
  • Comigo-ninguém-pode
  • Costela-de-adão
  • Sagu-de-jardim (Cycas revoluta)
  • Azaleia
  • Copo-de-leite
  • Espada de São Jorge
  • Primavera ou Buganvília
  • Bico-de-papagaio
  • Mamona
  • Lírio
  • Hortência
  • Espirradeira
  • Hera
  • Gerânio

Essas plantas são consideradas perigosas, pois contêm substâncias tóxicas em uma ou mais partes do seu organismo. Em algumas delas o veneno se concentra nas folhas, enquanto noutras o veneno se concentra no caule ou na flor. O ideal é evitar que o seu cão coma qualquer parte das plantas consideradas venenosas.

Sintomas da ingestão de uma planta venenosa

Os sintomas podem variar de acordo com a planta que o seu cachorro comeu, já que as toxinas presentes nelas são diferentes. Também podem variar de acordo com a parte da planta que foi ingerida e com características do cachorro, como idade e condições prévias de saúde.

Em geral, filhotes e cães idosos têm quadros mais graves de intoxicação, já que as defesas naturais dos seus organismos são mais frágeis.

Estes são os principais sintomas que podem surgir depois que um cachorro come uma planta venenosa:

  • Irritação na boca e na garganta
  • Vômito
  • Diarreia
  • Dor abdominal
  • Salivação excessiva
  • Tontura
  • Convulsão
  • Falta de ar e respiração acelerada
  • Olhos amarelos
  • Sangramentos

Os sintomas costumam surgir acompanhados, mas não é necessário que todos aconteçam ao mesmo tempo para saber que se trata de uma intoxicação.

O que fazer caso seu cachorro coma uma planta venenosa

Nos casos menos graves de intoxicação, os sintomas costumam desaparecer rapidamente, depois de alguns minutos ou mesmo horas. Nos casos mais graves, no entanto, o dono deve procurar a ajuda de um veterinário e, se possível, levar o pet até esse profissional.

Procure identificar qual planta o seu cachorro ingeriu e leve uma amostra dela para o veterinário. Isso vai ajudar bastante o médico a fazer o diagnóstico e começar o tratamento.

Não tente induzir o seu cachorro a vomitar, a não ser que o veterinário peça. Em alguns casos, vomitar pode fazer a intoxicação piorar.

Mantenha seu cachorro protegido das plantas venenosas

O mais recomendado é não cultivar as plantas venenosas caso você tenha um cachorro em casa. Por outro lado, se ainda assim você desejar cultivá-las, há algumas medidas que podem diminuir o risco de o seu cachorro ter contato com a planta.

Procure manter a planta num local onde seu cachorro não tem acesso, como um jardim telado ou pendurada numa parede. Aplicar sprays repelentes para cachorros nas plantas também pode ser eficiente.

Outra medida recomendada é manter o seu cachorro ativo e estimulado, através de brinquedos, passeios e um ambiente enriquecido e confortável. Lembre-se de que cães entediados ou estressados procuram gastar sua energia explorando o ambiente à sua volta e, eventualmente, mordendo ou comendo objetos inapropriados.

Por fim, se você quer evitar que a intoxicação, caso ocorra, seja muito grave, uma alternativa é tomar medidas que deixem o organismo do cachorro mais resistente, como por exemplo uma alimentação natural. Com defesas naturais mais fortes, o seu cachorro sofrerá menos com intoxicações por plantas, objetos ou alimentos tóxicos.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *