Cachorro Fila: 9 fatos curiosos sobre essa raça brasileira

O fila é um cachorro muito leal e protetor. Não perca 9 curiosidades e as principais características dessa raça nacional
Filhote de Fila Brasileiro

Muito popular no Brasil entre os anos de 1980 e 1990, o cãozinho da raça fila brasileiro parece já ter marcado a infância de muitas pessoas. A fama do cãozinho era tanta antigamente, que esse peludo foi o pet de uma das personalidades mais conhecidas da TV brasileira, a Xuxa.

Uma raça leal, companheira e com um instinto protetor, esse cachorrinho ainda atrai uma legião de fãs por todo o mundo e não apenas no Brasil.

Essa raça foi originada no Brasil mas para chegar ao pet que conhecemos hoje, algumas raças europeias foram usadas no cruzamento. No entanto, algumas pessoas acreditam que até cães indígenas, os aracambés, fizeram parte dessa mistura que deu origem ao fila brasileiro. Fora do país, esse cãozinho é conhecido como Mastiff Brasileiro.

Se você ficou curioso para saber mais sobre essa raça brasileira, este artigo foi feito especialmente para você. Neste texto, vamos mostrar todas as curiosidades e características da raça. Além disso, contaremos um pouco sobre como é a saúde do fila brasileiro e o valor de um filhote da raça no brasil. Por isso, para ficar por dentro do assunto, acompanhe até o final!

9 fatos curiosos sobre o fila brasileiro

1. Origem brasileira 

O cãozinho da raça fila chegou ao Brasil junto com os portugueses. Uma mistura entre as raças mastiff, buldogue e bloodhounds, o cãozinho foi se popularizando no país e alguns criadores decidiram criar e apelidar a raça. Além disso, algumas pessoas acreditam que alguns cães indígenas selvagens participaram da sua miscigenação. 

2. Ele era um cão de caça 

Em algumas gravuras brasileiras do século 19, já é possível ver o fila brasileira auxiliando na caça de bois, vacas e ovelhas. O fila foi misturado com várias raças de cães caçadores e também de pastoreio, logo, ele servia para as duas funções, sendo extremamente útil para fazendeiros. Esse cãozinho no início não era tido como um cão de companhia e até hoje ele carrega o seu senso de caça e proteção. Por isso, muitas vezes, precisa de um treino de sociabilização.

3. Reconhecido em 1946

Em 1946 os primeiros criadores já tentavam estabelecer um padrão para que a raça fosse oficialmente reconhecida pelo American Kennel Club (AKC). Em 1976, o segundo padrão foi reconhecido e aprovado como Raça Fila Brasileiro. Mas apenas em 1984 foi definido o padrão do cãozinho que conhecemos hoje.

4. O fila é teimoso

Para ter um cãozinho dessa raça é importante que o tutor tenha paciência e um pulso filme. O fila brasileiro é um cãozinho que pode se tornar bastante teimoso se for contrariado. Ele tende a gostar de “testar” as ordens impostas pelo tutor, no entanto, ele não faz isso por mal. A teimosia faz parte da sua personalidade, mas o adestramento quando ele ainda é filhote pode ser uma solução. 

5. Um bom amigo das crianças 

Assim como os cães da raça golden retriever, o fila brasileiro tem uma grande afinidade com as crianças e um nível de tolerância alto com elas. No entanto, é recomendável que ele seja introduzido às crianças ainda filhote. Além disso, é muito importante que ele faça treinos de sociabilização para interagir com os pequenos da melhor maneira possível. É importante também ter cuidado com o tamanho desse peludo, ele pode sem querer machucar crianças muito pequenas.

6. Eles são protetores 

Os filas brasileiro tem um instinto muito forte de proteção, logo, ele vai proteger aqueles que ele ama custe o que custar. Esses cãezinhos também são muito determinados e corajosos. Por isso, redobre a atenção com visitas e pessoas desconhecidas. Além disso, ele tende a conquistar as pessoas pelo seu jeito “calado”, mas cheio de sentimento e fidelidade aos tutores.

7. Os filas têm uma grande inteligência emocional

Esses cãezinhos são espertos e grande parte da sua inteligência está ligada ao emocional. Os filas desenvolvem uma grande ligação afetiva com os seus tutores, logo, ele desenvolve um senso de gratidão e oferece muito amor e carinho. Além disso, ele será capaz de se sacrificar muitas vezes para garantir o bem-estar da família. 

8. O fila não é bom com estranhos e outros pets

Devido ao seu grande extinto protetor, os filas tendem a não reagir de maneira positiva com estranhos e outros animais, logo, o tutor deve ter muita cautela. Essa estranheza ocorre, pois ao sentir uma presença não conhecida, o fila vai despertar o seu alerta de segurança. Por isso, evite criá-lo com gatos, passarinhos e outros tipos de pet para você não ter nenhum problema. Lembre-se que o fila brasileiro é um cachorro caçador.

9. O Txutxucão

Grande parte da sua popularidade nas décadas de 1980 e 1990 vieram devido ao programa infantil da Xuxa. O fila ficou famoso ao aparecer do lado da Xuxa durante o seu programa. Ele ficou conhecido como o Txutxucão e fez muito sucesso na televisão. 

Como é a saúde do fila brasileiro?

Os cães da raça fila são muito saudáveis e se o tutor tiver os cuidados necessários, terá um animal forte ao seu lado por um bom tempo. Como um cão de grande porte, o fila brasileiro pode viver até os 12 ou 14 anos, o que é bastante.

No entanto, o tutor deve estar atento à alimentação do fila, pois ele pode desenvolver obesidade. Além disso, ele precisa de uma boa rotina de atividades físicas, o recomendado é pelo menos uma hora de caminhada diária.

E mesmo sendo saudável, isso não significa que ele está imune a problemas de saúde. Além da obesidade e da displasia no quadril devido ao seu porte, o fila brasileiro pode apresentar a otite. A otite é uma infecção que pode afetar a audição do fila brasileiro e pode ser ocasionada devido à idade ou mesmo à falta de higiene.

Por isso, leve-o com frequência ao médico veterinário e sempre mantenha regularmente sua rotina de banhos. Além disso, vacinas e vermífugos precisam estar sempre em dia.

Quanto custa um fila brasileiro?

Um fila brasileiro custa cerca de R$ 500 a R$ 5.000 — o valor foi calculado com base no preço de filhotes da raça nos principais sites de venda do país. Esse cão já foi extremamente popular no Brasil, hoje nem tanto. Por isso, para encontrar essa raça, você deve buscar canis especializados na raça.

Antes de comprar um cachorro, lembre-se que adotar é sempre uma ótima escolha. Boa sorte!

Comentários