Gravidez psicológica em cadelas: o que é, como prevenir e tratar

Gravidez psicológica em cadelas é um problema psicológico o qual a cadela apresenta sintomas físicos e comportamentais de uma gestação real
Jack Russell fêmea

A gravidez psicológica não é um problema único e exclusivo dos humanos e as cadelas também podem apresentar o mesmo quadro. No caso dos animais, a gravidez psicológica pode acarretar uma série de doenças graves, como infecções e inflamações no útero, além da possibilidade do surgimento de tumores no útero e nas mamas, que podem levar o animal a óbito. 

Também conhecida como pseudociese, a gravidez psicológica muitas vezes é encarado pelos tutores como algo fofo, pois nessa fase pode acontecer da cadela querer apadrinhar de qualquer forma algum outro animal, como um gato, ou até mesmo um bichinho de pelúcia. Mas na realidade, a gravidez psicológica é algo prejudicial e pode afetar não apenas o físico, mas o emocional da cadela. 

Para lidar com o quadro, é necessário que o dono busque urgentemente a ajuda de um médico veterinário. A gravidez psicológica em cadelas precisa ser acompanhada por um profissional, pois em alguns casos é necessário o uso de medicamentos e outros tipos de tratamento para ajudar na saúde física e mental da cachorrinha. Além disso, é muito importante que o tutor dê todo apoio e carinho para ajudar a pet a passar por essa fase.

Mas a melhor forma para lidar com a gravidez psicológica é por meio da prevenção, que pode ser feita de maneira muito simples. Por isso, neste artigo nós vamos te explicar tudo sobre a pseudociese, contando sobre as formas de tratamento e principalmente sobre a prevenção do quadro. Acompanhe até o final! 

O que é a gravidez psicológica?

A gravidez psicológica nas cadelas também pode ser chamada de pseudociese, pseudogestação ou pseudogravidez. O quadro se trata de um problema psicológico sério o qual a cadela pensa que está gestante e apresenta sintomas físicos e comportamentais de uma gestação real. Logo, muitos tutores acabam confundindo com uma gravidez real.

O diagnóstico do quadro só poderá ser feito por um médico veterinário em uma clínica, pois serão necessários exames de imagem para ter certeza de que não há uma gestação e se trata de uma pseudogravidez.

Além disso, o veterinário irá realizar a palpação abdominal e alguns outros tipos de exames. No dia da consulta é necessário que o tutor relate também as alterações comportamentais e outros sintomas que vamos mostrar a seguir.

Sintomas da gravidez psicológica em cadelas

Os principais sintomas físicos da gravidez psicológica em cães são: inchaço e dores nas mamas, produção de leite, aumento no volume abdominal. Já os sintomas comportamentais podem ser a organização de ninho, agressividade, adoção de objetos ou outros animais como cria, depressão, ansiedade, latidos e uivos excessivos e até mesmo a falta de apetite.  

A produção de leite excessiva sem que haja um filhote para consumir esse leite, pode levar à inflamação das glândulas mamárias, o que gera dor e desconforto no animal. Além disso, pode acontecer da cadela começar a lamber o local de maneira excessiva para aliviar as dores, o que pode ocasionar em feridas, inflamações e até mesmo infecções.

Todos esses sintomas, físicos e comportamentais, precisam ser avaliados e tratados por um médico veterinário. Por isso, não hesite de levar a sua cadela à uma consulta, uma vez que esses sintomas infelizmente podem contribuir para que a pet desenvolva outras doenças graves.

Os sintomas físicos também podem levar com que a cadela tenha tumores e infecções mamárias, além do risco do surgimento de um tumor no útero. Já os s sintomas comportamentais podem levar ao quadro de depressão e ansiedade canina.

O que leva a cadela a ter a gravidez psicológica?

A pseudogravidez nas cadelas acontece devido às alterações hormonais. Logo, a cadela ovula espontaneamente, dando início à fase lútea, que é caracterizada pelo aumento da progesterona. Com isso, a cadela corre o risco de sofrer a gravidez psicológica durante todo o período do cio, pois durante essa fase a pet sofre com diversas alterações hormonais para se preparar para a cruza. 

Além disso, a progesterona é responsável pelos principais sintomas da gravidez psicológica, pois ele acaba colaborando para que haja o descontrole hormonal, gerando as alterações físicas e comportamentais citadas anteriormente, como a produção de leite e a agressividade. Esse desequilíbrio hormonal pode afetar até mesmo a conduta da cadela, fazendo com que ela fique extremamente agressiva com a aproximação de pessoas e outros animais. 

Como tratar a gravidez psicológica em cadelas?

Como dito anteriormente, durante a pseudogravidez a cadela pode vir a sentir fortes dores e incômodos. Logo, o tutor deve procurar levá-la com urgência ao veterinário para que o tratamento seja iniciado.

O tratamento da gravidez psicológica consiste no uso de medicamentos para o controle e redução hormonal e também para parar a produção de leite.

Mas apenas o papel do veterinário não é suficiente, nessa fase é muito importante que o tutor tenha a consciência de ajudar a cadela em casa para evitar as dores e até mesmo o comportamento agressivo. Para isso, o dono pode fazer o uso de compressas nas mamas durante três vezes ao dia para aliviar a dor e o desconforto no animal.

Além disso, é importante que você demonstre amor e cuidado para que a cadela possa perceber que pode confiar no tutor. Outro ponto importante é saber respeitar o espaço do animal, dando bastante conforto e espaço durante esse período. Após a consulta com o veterinário, peça mais orientações e conte um pouco sobre a personalidade da pet para ele.

Como evitar a gravidez psicológica em cadelas?

A melhor maneira de evitar a pseudociese e várias outras doenças relacionadas a problemas hormonais é por meio da castração. Muitos tutores têm medo do procedimento, no entanto, a cirurgia traz diversos benefícios para os animais.

Além de evitar doenças e a gravidez psicológica, a castração evita a frustração sexual, o cio e também problemas e alterações relacionadas ao comportamento.

 O método hoje é seguro e o animal consegue se recuperar em até uma semana. Converse com o médico veterinário caso ainda se sinta inseguro em submeter o pet ao procedimento. Pense sempre no bem-estar do seu pet e cuide bem dele. Boa sorte!

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *