Tudo sobre a raça Dogo Argentino

O Dogo Argentino é uma das raças latino-americanas mais reconhecidas e populares em todo o mundo. Conheça detalhes de suas características, temperamento, imagens, filhotes e muito mais. Confira!
  • Dogo Argentino
  • Padrão Dogo Argentino
  • Dogo Argentino em pé
  • Dogo Argentino correndo
  • Dogo Argentino deitado no sofá
  • Dogo Argentino alerta grama
  • Dogo Argentino com mancha preta no olho
  • Dogo Argentino pelúcia
  • Dogo Argentino deitado grama
  • Rosto Dogo Argentino
  • Dogo Argentino adulto e filhote

O Dogo Argentino é uma das raças latino-americanas mais reconhecidas e populares em todo o mundo.

São cães grandes, fortes, com uma musculatura bem desenvolvida e uma mandíbula potente. Por estas características morfológicas, os Dogos Argentinos estão entre as raças de cães considerados potencialmente perigosos.

Embora a contextura física não condene nenhum cachorro a desenvolver condutas agressivas, é importante saber que o Dogo Argentino precisa ser adestrado, socializado e tratado dignamente para preservar seu equilíbrio físico e comportamental.

Hoje, nós te propomos conhecer melhor esta belíssima raça e saber os cuidados que um Dogo Argentino necessita para ter uma vida saudável, ativa e feliz.

Índice – você encontrará as seguintes informações nesse artigo:

  1. Ficha técnica
  2. Características
  3. Características físicas
  4. Personalidade
  5. Como cuidar
  6. Saúde
  7. Filhotes
  8. Preço
  9. Dúvidas frequentes
  10. História

Ficha técnica da raça Dogo Argentino:

Adaptação
Bom para apartamento
Gosta de ficar sozinho
Gosta de outros cachorros
Gosta de gatos
Gosta de estar com a família
Higiene e saúde
Cuidados com a higiene
Riscos com a saúde
Solta pelos
Tamanho
Treinamento
Fácil de adestrar
Necessidade de exercícios físicos
Late muito
Gosta de brincadeiras
Características da raça:

Grupo: Grupo dos Trabalhadores
Altura: 60 a 68 cm para machos e 60 a 65 cm para fêmeas
Peso: 40 a 45 kg para machos e 35 a 40 kg para fêmeas
Personalidade: Amigável, Afetuoso, Alegre, Leal, Tolerante, Protetor
Expectativa de vida: 10 a 12 anos

Características físicas do Dogo Argentino

A aparência do Dogo Argentino já revela sua potência e seu notável temperamento. São cães fortes e de grande porte, com um corpo atlético e musculoso.

Apesar de sua privilegiada massa muscular, o Dogo é um cão de proporções harmônicas e curvas bem delineadas, o que lhe dá uma postura elegante e um aspecto imponente.

Sua cabeça é poderosa e os traços faciais costumam lembrar um pouco os dos cachorros Pit Bull.

Seu focinho é largo e forte, com potentes mandíbulas, mas não devem ter ângulos abruptos e o stop é pouco definido.

Os olhos são amendoados, podem ser cor de avelã ou ter tonalidades mais escuras, mas sempre estão bem separados entre si.

As orelhas naturais do Dogo Argentino são planas, largas e grossas, com pontas levemente arredondadas, e se dobram para frente.

Antigamente, podiam ser amputadas nos primeiros dias de vida do cão, mas isso é considerado uma mutilação estética desnecessária hoje em dia.

Toda a extensão do corpo de um Dogo Argentino deve estar coberta por uma pelagem lisa, curta e suave.

O tipo de pelo pode variar de acordo com o clima onde o cão é criado. Os Dogos de climas quentes possuem pelos mais ralos, que deixam sua pele mais exposta.

Por outro lado, os exemplares de climas temperados mostram pelos mais grossos e abundantes, podendo desenvolver também uma segunda camada de pelos durante as épocas mais frias.

Segundo o padrão da raça, o Dogo Argentino deve ser inteiramente branco, porém, a típica mancha “pirata” ao redor de um dos olhos, na cor preta ou marrom escuro, também é aceita (desde que não supere 10% da superfície da cabeça do cão).

É importante ressaltar que o Dogo Argentino é um cão totalmente branco, e não albino. Os pelos e a pele dos Dogos são completamente brancos graças a uma característica genética que é característica e predominante nesta raça.

O albinismo, por sua vez, é uma condição congênita e hereditária provocada por uma mutação genética recessiva, que pode aparecer em qualquer espécie, embora seja pouco frequente.

Os animais albinos têm uma saúde vulnerável pelas diversas deficiências biológicas de seu organismo e requerem cuidados muito específicos.

A seguir, resumimos as principais características físicas da raça Dogo Argentino:

  • Tamanho (altura em cruz): 60 cm a 65 cm para fêmeas; 60 cm a 68 cm para machos.
  • Peso corporal: 40 kg a 45 kg.
  • Contextura física: corpo atlético e musculoso, peito amplo e profundo, ventre levemente retraídos, patas altas e fortes.
  • Pelagem: pelagem lisa, curta e macia. Os pelos costuma ser mais ralos quando o cão vive em climas quentes, e mais espessos e abundantes, em climas temperados. Eventualmente, o Dogo Argentino também pode desenvolver uma 2ª camada de pelos internos durante o inverno.
  • Cores de pelagem: branca e uniforme. Podem apresentar mancha preta ou escura em um dos olhos (a “mancha pirata”).
  • Cabeça: focinho largo e forte, com traços suaves e “stop” pouco definido. Suas expressões faciais demonstram poder e segurança.
  • Olhos: amendoados e bem separados entre si, podem ser cor de avelã ou mais escuros.
  • Nariz: preto e com grandes fossas nasais.
  • Rabo: grosso, largo e de inserção média, com forma de “sabre”.

Personalidade e temperamento do Dogo Argentino

Infelizmente, a irresponsabilidade ou falta de experiência de muitos tutores fizeram com que os Dogos Argentinos ganhassem uma má fama internacional.

Apesar de terem sido utilizados erroneamente em brigas com outros cães, os Dogos não são cães violentos.

Na verdade, não existem raças naturalmente perigosas ou agressivas, mas sim proprietários abusivos e treinamentos totalmente inapropriados.

O comportamento do Dogo Argentino, assim como o de qualquer outro cachorro, depende fundamentalmente da educação e do ambiente que lhe são oferecido.

Quando recebem uma boa educação, os Dogos se mostram extremamente afetuosos, brincalhões e leais com seus tutores.

São cães enérgicos, corajosos, inteligentes e sensíveis, que criam um vínculo muito especial com seus familiares.

Podem se mostrar desconfiados quando algum estranho se aproxima ou entra no seu território, pois estão preparados para defender seu lar e aqueles que amam.

Personalidade do Dogo Argentino
O Dogo Argentino tem uma personalidade balanceada.

Porém, socializando seu Dogo desde filhote, você verá como ele se mostrará tolerante com os outros animais e muito confiável com as pessoas, inclusive com as crianças.

Embora esbanje qualidades, o Dogo Argentino realmente não é um pet indicado para qualquer pessoa.

São cães dominantes, com um temperamento forte e que podem se mostrar um pouco teimosos ou relutantes para obedecer aos seus tutores, quando não encontram neles a figura de um líder.

Por isso, o Dogo será mais apropriado para aqueles tutores mais experientes, que tenham tempo, paciência, carinho e conhecimento para transmitir os ensinamentos de forma positiva.

É crucial recordar que o uso de violência ou métodos abusivos é contra produtivo para a educação de todo cachorro e favorece o desenvolvimento de condutas agressivas.

Como cuidar de um Dogo Argentino

O adestramento e a socialização desde os primeiros meses de vida serão os cuidados mais fundamentais para seu Dogo Argentino.

Como são cães fortes e temperamentais, que foram criados para lutar e ganhar, devem ser socializados desde filhotes para aprender a se relacionar com pessoas desconhecidas, com outros animais (principalmente com cães da mesma raça), e também com seu território, seus brinquedos e outros acessórios.

Já o adestramento será o melhor exercício para manter seu Dogo fisicamente e mentalmente estimulado, além de permitir ensinar as normas da casa de forma positiva.

Os Dogos requerem uma boa dose diária de atividade física para manter sua contextura atlética e seu temperamento equilibrado.

O ideal é realizar de 2 a 3 passeios longos, com 40 a 60 minutos cada um, intercalando caminhadas com exercícios mais potentes, como corridas, trotes, subidas e descidas.

Outra excelente opção é iniciar seu Dogo Argentino em algum esporte canino, como o searching ou o agility, por exemplo.

Além disso, os brinquedos e jogos interativos serão fundamentais para manter o seu cão ativo e entretido mesmo durante sua ausência.

Quanto à sua higiene, o Dogo é um cão extremamente limpo que requer cuidados simples. Com 1 ou 2 escovações semanais, você poderá eliminar as impurezas e os pelos mortos da pelagem de seu cão.

Os banhos podem ser dados 1 vez por mês ou a cada 6 semanas, para evitar eliminar a oleosidade natural que reveste e protege todo seu corpo.

Porém, a raça possui uma pele muito sensível, que requer cuidados específicos para evitar alergias, inflamações, queimaduras solares e câncer.

Existem protetores solares especiais para nossos melhores amigos, que te ajudarão a controlar a exposição de seu Dogo aos raios solares.

Também é importante evitar passear nas horas de maior incidência da radiação solar (das 10h até as 16h, mais ou menos).

O Dogo Argentino também precisará de uma nutrição completa e equilibrada para permanecer forte, ativo e feliz.

Lembre-se de escolher uma ração de excelente qualidade como base de sua dieta, e de respeitar as porções adequadas ao seu tamanho, seu peso e sua idade.

Não exagere nos petiscos, pois o Dogo pode se tornar guloso e tem certa tendência ao sobrepeso.

Você também pode conversar com seu veterinário sobre o uso de suplementos naturais e vitaminas para fortalecer as articulações e os ossos de seu Dogo, ajudando a prevenir doenças degenerativas.

Riscos para a saúde do Dogo Argentino

O Dogo Argentino é um cão forte e resistente, que possui uma expectativa de vida entre 10 e 12 anos, dependendo do estilo de vida proporcionado pelo seu tutor.

Porém, a raça demonstra predisposição genética à surdez congênita e à displasia de quadril.

Além disso, sua pele é sensível às picaduras de mosquitos e outros insetos, às queimaduras solares e ao câncer de pele.

Como qualquer outro cão, o Dogo Argentino deve receber uma adequada medicina preventiva para manter sua boa saúde e desfrutar de uma longevidade privilegiada.

Para cuidar bem de seu melhor amigo, realize visitas periódicas ao veterinário (de 6 em 6 meses), respeite o calendário de vacinação  e não se esqueça dos tratamentos antiparasitários internos (vermífugos) e externos (pipetas, comprimidos mastigáveis, etc.).

Filhotes de Dogo Argentino

Se sua cadela acaba de ser “mamãe”, será muito importante levar os filhotes ao veterinário para começar sua imunização e controlar seu crescimento.

Além disso, não esqueça que as fêmeas devem contar como acompanhamento de um médico veterinário durante toda a gravidez.

Apesar de seu muito enérgicos e brincalhões, os filhotes de Dogo Argentino também precisarão de umas boas horas diárias de sono para se desenvolver corretamente. Os pequenos Dogos terão um crescimento acelerado até seus 6 ou 7 meses, porém, só se tornarão adultos a partir do seu 1º ano.

Filhote de Dogo Argentino
Filhote de Dogo Argentino

Como se trata de uma raça dominante e temperamental, os Dogos devem começar a ser educados a partir de seus primeiros meses de vida.

Assim que seu Dogo chegar ao seu novo lar, será crucial apresentar as normas da casa e evitar premiar condutas inapropriadas.

Quando seu melhor amigo completar seu primeiro ciclo de vacinas e remédios contra vermes (entre 5 e 6 meses de vida), será o momento ideal para iniciar seu processo de socialização.

Quanto custa um Dogo Argentino?

O investimento em um filhote de Dogo Argentino costuma variar de acordo com sua linhagem, seu sexo e seu canil de origem.

Se um filhote nasce de progenitores premiados internacionalmente, seu valor será bem elevado, porque sua genética é muito apreciada.

Hoje em dia, um filhote de Dogo Argentino, no Brasil, pode custar entre R$1.000,00 e R$3.500,00.

Dúvidas frequentes sobre a raça

  1. O Dogo Argentino é um cachorro perigoso?

    A única resposta honesta para esta pergunta é: depende da educação, do estilo de vida e do ambiente que você oferecer ao seu Dogo.

    Não existem raças boas ou ruins, violentas ou pacíficas por natureza. O perigo reside em educar erroneamente ou expor um cão a ambientes violentos ou de elevado stress.

    Todos os animais podem reagir de forma negativa quando se sentem ameaçados ou intimidados. A agressividade é um problema de comportamento grave que deve ser prevenido e tratado.

  2. O Dogo Argentino é um bom cão para crianças?

    Isso depende basicamente da idade da criança e da educação que o Dogo recebeu. Se educamos e socializamos nosso Dogo desde filhotes, ele será tolerante, protetor e um excelente companheiro de aventuras para crianças maiores de 8 anos e adolescentes.

    Porém, não são recomendados para crianças pequenas, pois podem provocar acidentes por sua grande força e potência, mesmo sem querer.

    Como sempre lembramos, independente da raça, do tamanho e da idade, todo cão deve ser socializado e ter aprendido os comandos básicos de obediência antes de brincar com crianças ou com outros pets.

  3. O Dogo Argentino late muito?

  4. Não! O Dogo Argentino é um cachorro que late pouco. É um cão equilibrado, silencioso e atento, que reserva seu latido somente para ocasiões necessárias.

    Por isso, fique atento se seu Dogo começa a latir, pois provavelmente há algo estranho acontecendo no seu entorno.

  5. O Dogo Argentino se adapta bem a apartamentos?

    Criar um Dogo em um apartamento é um desafio, tanto por seu tamanho como por sua energia. Apesar de requerer cuidados simples com sua higiene, o Dogo precisa se exercitar diariamente para manter um peso saudável e um temperamento equilibrado.

    Vivendo em um apartamento, deveria realizar de 2 a 3 passeios diários longos, que contem com exercícios para sua musculatura, ou ser iniciado em um esporte canino. Normalmente, os Dogos tem uma melhor qualidade de vida vivendo em casas mais amplas, que contem com um jardim ou um pátio com sombras.

  6. Os Dogos se relacionam bem com outros pets?

    Existem muitos exageros sobre o comportamento antissocial dos Dogos Argentinos. Na verdade, os Dogos que são agressivos com outros cães não foram devidamente educados e socializados.

    O tutor de um Dogo deverá entender que está frente a um cão territorial, com um temperamento forte, que foi criado para lutar e ganhar.

    Por isso, se queremos que um Dogo conviva com outros pets, será indispensável começar a trabalhar sua socialização desde filhote, logo após terminar o primeiro ciclo de vacinas e tratamento contra pulgas, carrapatos e vermes. 

História e origem do Dogo Argentino

O Dogo Argentino foi criado na província de Córdoba, na Argentina, na década de 20. E atualmente, é a única raça originária deste país que não se extinguiu.

Seu nascimento está relacionado ao Dr. Antônio Nores Martínez, que desejava criar um cão que fosse um exímio lutador, ou seja, que combinasse força, resistência física, habilidade e inteligência.

Durante parte do século XX, as brigas entre cães ainda foram consideradas um tipo de entretenimento na Argentina.

Inicialmente, o Dr. Martínez pretendia que os antigos cães de briga cordobeses (Viejos Perros de Pelea Cordobeses), fossem os progenitores de sua nova raça.

Porém, como era difícil conseguir uma estabilidade de temperamento nestes cães, os irmãos do Dr. Martínez resolveram cruzar os cães cordobeses com outras raças para melhorar as características físicas e comportamentais dos filhotes que queriam ver nascer.

Para aumentar o peso e o tamanho, incorporaram o Dogue Alemão. Para melhorar a resistência física e a tolerância à dor, utilizaram exemplares de Bull Terrier e Bulldog Inglês.

Buscando dar inteligência, sensibilidade e sentidos aguçados à sua nova raça, selecionaram também exemplares de Boxer, Pointer Inglês e de Irish Wolfhound. E foi assim que surgiu o Dogo Argentino: um cão com força, personalidade, inteligência e sensibilidade destacados.

Alguns anos depois do criação do Dogo Argentino, as brigas entre cães começaram a ser mal vistas pela sociedade e, logo, foram proibidas oficialmente na Argentina.

Então, o mesmo Dr. Martínez começou a orientar os Dogos para caça de mamíferos de grande e médio porte, como a onça parda (ou Puma), os javalis e as raposas.

Nas últimas décadas do século XX, o Dogo Argetino começou a ganhar muita popularidade como cão de guarda e de companhia.

Felizmente, muitas famílias perceberam que a má fama da raça é totalmente injusta e que o Dogo Argentino pode dar e receber amor como qualquer outro cão.