8 dicas para acostumar o cão a usar coleira

Se o seu cachorro tem dificuldade de adaptar à coleira, confira essas dicas valiosas que separamos para te ajudar nessa missão
Shar Pei bege com coleira

Os cães adoram passear e essa atividade é uma das principais responsáveis em beneficiar a saúde física e mental dos cães. Entretanto, o passeio é uma atividade que envolve alguns cuidados básicos e muito importantes para garantir o bem-estar e a segurança do animal, como a coleira. O acessório é o principal aliado do tutor para evitar que o cãozinho se machuque durante o trajeto.

Para isso, é muito importante que o tutor comece a acostumar o pet a utilizar a coleira desde filhote. Passear sem a coleira não é um hábito seguro para ninguém, e você precisa estar ciente disso. Muitas pessoas podem sentir medo e não gostarem do animal, assim como o seu cãozinho pode se sentir ameaçado ou estressado em ambientes rodeados de desconhecidos. Logo, a coleira é de extrema importância.

Mas se o seu cãozinho já é adulto e não está acostumado com o acessório, não se preocupe. Neste artigo nós vamos te dar 8 dicas muito úteis para acostumar o cãozinho a usar a coleira, independente da idade dele. Acompanhe até o final!

Como acostumar o cachorro com a coleira?

1. Deixe que o cãozinho conheça a coleira 

Cães são animais olfativos, logo, para eles se sentirem seguros em relação a algum objeto ou pessoa, eles precisam sentir o cheiro primeiro. Por isso, ao comprar a nova coleira do pet deixe que ele cheire bem o acessório e investigue tudo. Muitas  vezes as coleiras podem ser chamativas, barulhentas  e os cães podem acabar se assustando com tantas informações novas. Por isso, deixe que ele “conheça” a coleira. A sua intenção é fazer com que o pet se sinta seguro, por isso, deixe ele se familiarizar primeiro.

2. Associe a coleira a algo positivo

Se o cãozinho nunca usou coleira na vida, você precisa fazer com que o primeiro contato dele com o acessório seja positivo. Por isso, ao colocar a coleira no pet, dê a ele o petisco preferido dele. Dessa maneira, ele entenderá que o acessório não é algo ruim e ainda irá associar o passeio e a coleira a algo positivo e divertido. Essa dica pode ser uma das mais efetivas, principalmente com os filhotes.

Para isso, primeiro você pode usar um bifinho saboroso ou o petisco favorito para distrair o cachorro enquanto coloca a coleira nele. Depois, para estimulá-lo a se movimentar e andar com a coleira, comece a guiá-lo com o acessório indo atrás do petisco. Essa tática é tão útil que o cãozinho pode até mesmo esquecer que está usando o acessório.

Atenção: depois de colocar o acessório, mantenha o cãozinho solto, sem segurar a guia, até que ele se acostume. 

3. Coloque a coleira em um ambiente tranquilo 

Para evitar fugas ou até mesmo sustos, é muito importante que você coloque a coleira no animal em um ambiente tranquilo, de preferência em casa e sem muitas estímulos. Dessa maneira, o cãozinho não vai associar o acessório a algo perigoso ou até mesmo a algo ruim. Em casa ele se sentirá mais confortável. 

Caso ele fique assustado com o objeto no primeiro momento, tire a coleira e deixe que ele investigue o objeto novamente. É muito importante ter paciência com o animal durante esse processo para não traumatizá-lo. Tentar acostumar um cachorro traumatizado com a coleira pode ser muito difícil. 

4. A primeira volta pode ser no quintal 

Além de colocar a coleira no pet em um ambiente seguro, a primeira volta do animal também deve ser nesse local. Segure a guia com tranquilidade, sem puxá-lo. Em seguida, comece a fazer passeios curtos para que ele possa ir entendendo para que serve a coleira e que o acessório não fará mal.

Se você morar em uma casa com quintal, melhor ainda, dê umas voltas com seu amigo por todo o ambiente. Caso more em apartamento, pode andar dentro de casa mesmo, indo de um cômodo para o outro. Quando avançar mais com o cãozinho, faça as primeiras voltas no prédio. 

5. A primeira volta na rua 

As primeiras voltas em casa podem ter sido tranquilas, mas na rua as coisas podem ser diferentes e o passeio vai demandar mais atenção e cuidado do tutor. O ambiente da rua é cheio de estímulos diferentes, ou seja, pessoas, animais, buzinas , pássaros e várias outras distrações. Logo, se o pet não tiver um temperamento tranquilo, pode facilmente ficar irritado e se soltar da coleira. Por isso, nas primeiras voltas com o pet procure ir em horários mais tranquilos e com menos pessoas na rua. 

6. Deixe ele explorar o ambiente

Muitos tutores parecem não ter muita paciência e ficam incessantemente puxando a guia do animal durante todo o passeio. Isso não é correto a se fazer, pois é muito importante que você deixe o animal explorar o ambiente. As puxadas na guia devem ser feitas apenas em situações perigosas. Além disso, ao contrário do que muitos pensam, os passeios não servem apenas para queimar calorias do animal, ele precisa relaxar naquele momento. 

Os passeios são essenciais para estimular os sentidos do pet, como olfato, audição, tato e visão. Sendo assim, é importante que você deixe seu amigo cheirar postes, arbustos e socializar com outros cães. Isso torna a experiência muito mais rica, agradável e saudável.

7. Comece com calma

É muito importante que você respeite o ritmo do cãozinho e espere que ele vá ganhando condicionamento físico aos poucos. Logo, comece devagar com caminhadas de curta distância e de pouca duração, só depois aumente a distância e a duração do passeio. Além disso, caso você note que seu amigo está cansado, pare em alguma sombra e ofereça água a ele. 

 8. Escolha o horário ideal 

Para que o animal se sinta confortável e feliz com a coleira, é muito importante que você escolha o horário ideal. Logo, evite passear com ele em horários muito quentes e com o sol muito forte, pois geralmente os cãezinhos ficam cansados com facilidade e podem até mesmo queimar as patas no asfalto. Além disso, dependendo do material da coleira, ela pode facilmente aquecer com altas temperaturas. Opte sempre pelo início da manhã e final da tarde. Boa sorte!

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *