Como ganhar a confiança de um cachorro? Veja 6 dicas úteis

Há situações em que o cão se mostra inseguro diante das pessoas. Para ganhar a confiança do cachorro, há algumas dicas úteis. Veja quais!
cachorro perto da dona

Para ter uma convivência tranquila e prazerosa com cachorros, é essencial que exista confiança. Porém, nem todos os cães conseguem se adaptar à novos lares e tutores com facilidade, e, muitas vezes isso nem depende apenas de fatores externos, mas, sim, da personalidade do pet. Algumas raças são mais reservadas, como o chow chow, enquanto outras são mais extrovertidas, é o caso do labrador retriever.

Já em casos de adoção de cachorros adultos, a desconfiança pode se dar por conta de maus-tratos no passado, fazendo com que o cão seja agressivo ou desconfiado. Essa reação é apenas uma forma de se defender, portanto, é preciso ser paciente e compreensivo com o animal.

Independente da raça, cada cachorro tem seu próprio tempo, que precisa ser respeitado. Então ganhar a confiança deles pode ser uma tarefa trabalhosa e demorada, mas essas 6 dicas podem ajudar. Confira!

6 dicas para ganhar a confiança de um cachorro

cachorro com olhar desconfiado

1. Observe os sinais

Antes de tudo, é preciso entender como o cachorro se comporta quando não confia em alguém que tenta se relacionar com ele. O mais claro é quando ele se afasta ou foge, e é importante sempre respeitar o espaço dele. O cão provavelmente manterá o corpo encurvado, encolhido e o rabo entre as pernas, ele também pode tremer.

Geralmente, os cães que apresentam sinais mais agressivos são os que já sofreram algum tipo de violência. Eles têm a respiração agitada, mostram os dentes, podem rosnar e até latir. É preciso manter a calma e uma certa distância, tanto para a segurança do cão quanto do tutor.

2. Socialização

A socialização de filhotes deve ser feita gradual e calmamente, ela serve para evitar comportamentos agressivos diante de humanos e outros animais no futuro. A idade ideal de socialização é entre 4 a 20 semanas de vida do cãozinho, em um ambiente agradável para convivência. Depois, as interações sociais podem aumentar, até que por fim ele esteja pronto para caminhadas na rua.

Já os cães adultos, devem se adaptar com um tutor de cada vez, evitando expô-los à ambientes muito barulhentos e com muitas pessoas. O mesmo vale para outros pets, que devem ser apresentados sempre com muita cautela e nunca deixados sem supervisão no mesmo ambiente até que estejam acostumados com a presença um do outro.

3. Contato físico

Nunca force o contato físico, espere que o cão se aproxime e dê abertura para ser tocado. É importante que esse contato aconteça aos poucos, até que o cachorro esteja à vontade o bastante para permitir ser abraçado e carregado no colo.

4. Alimentação

Cães que já viveram por outros lares, podem ter passado por situação de fome. Por isso, é possível conquistá-lo oferecendo uma dieta balanceada, respeitando suas necessidades e seu ritmo para se alimentar. Petiscos também são bem-vindos, ofereça sempre que possível, todas as vezes em que ele se aproximar ou até mesmo como forma de atraí-lo.

5. Consultas periódicas

O comportamento reservado ou desconfiado de um cão também pode ser consequência de alguma doença. Se o cachorro está com dor ou desconforto, é natural que se sinta vulnerável ou até mesmo agressivo, afinal, não sabe como expressar sua angústia. Por isso, é preciso que consultas e exames estejam sempre em dia no veterinário.

6. Atividades físicas

Caminhar na rua com o cão aumenta sua capacidade de convivência, pois é importante que ele passeie por novos ambientes. Além disso, brincadeiras que estimulem o corpo e a mente também contribuem para melhorar a relação com o tutor.

Por fim, é importante respeitar a individualidade do cão e entender que cada um tem o seu próprio tempo. Um cachorro só confia em seu tutor quando sente que vive em um ambiente seguro e cheio de amor, e essa sensação não nasce da noite pro dia. É preciso paciência e dedicação, mas o resultado é compensador.

Comentários