Cães brigando em casa: 6 dicas para resolver o problema

Quando as brigas entre os cães ficam constantes, o tutor precisa tomar atitudes para resolver o problema. Confira as dicas que separamos!

Quem tem mais de dois cães em casa sabe que nem sempre a convivência entre os peludos pode ser positiva. Os pets, assim como os humanos, têm dias bons e ruins. Além disso, existem alguns fatores externos e comportamentais que podem levar os cãezinhos a brigarem com muita facilidade. E mesmo que sejam amigos, podem haver desentendimentos algumas vezes.

Os principais motivos que levam os cães a brigarem em casa são a posse de algo, do dono, de comida ou de algum objeto, ou até mesmo o estresse e a ansiedade, que podem ser causados pela falta de socialização, de espaço, de interação com o dono e de atividade física. Logo, é muito importante que você avalie todo o ambiente para conseguir identificar a causa das brigas.

E para resolver toda a situação, não basta apenas isolar os animais para evitar que eles se machuquem. É necessário que o tutor identifique o motivo da briga e busque algumas soluções para que nada aconteça em casa na ausência dele. 

Mas não se preocupe, neste artigo nós vamos te passar algumas dicas e técnicas para te ajudar a resolver as brigas entre cães. Acompanhe até o final!

1. Identifique o motivo da briga 

Conseguir perceber e entender o principal gatilho das brigas é a chave para conseguir resolver toda a situação. No entanto, nem sempre é fácil, pois existem mil razões que podem estar motivando o desentendimento entre os seus peludos.

Geralmente, os animais podem estar brigando por disputa por comida, pela atenção dos tutores, por brinquedos e alguns objetos, território ou até mesmo por estresse. Sabendo a causa das brigas, fica mais fácil modificar o ambiente e diminuir as chances de novos confrontos. Isso é muito importante, porque quanto mais os cães brigam, maior será a tensão entre eles. E conforme vão ficando “melhores” nas brigas, mais difícil será para eliminar esse comportamento. Ou seja, você precisa resolver toda a situação ainda nos primeiros conflitos.

Além disso, você precisa identificar se os dois cãezinhos foram adotados juntos ou se um chegou após o outro. Quando um animal já está na casa e outro chega, ele pode se sentir ameaçado e não gostar nada da presença do novo companheiro.

Logo, é muito importante que você saiba fazer a adaptação de maneira adequada. Uma dica importante é que você compre objetos e acessórios para cada um e jamais os obriguem a dividir as coisas. 

2. Coloque os pets para gastar energia

O gasto de energia pode ser um excelente aliado para ajudar os tutores a reduzirem os conflitos entre os cães em casa. Além disso, uma agenda regrada de exercícios garante a melhora significativa da saúde mental e física do animal. Entretanto, é importante que durante as atividades o tutor consiga dar atenção de maneira igual. Mesmo que um interaja mais que o outro, jamais deixe um dos cães de fora.

Além disso, você ainda pode procurar realizar atividades e brincadeiras que possibilitem que os cães interajam. Mas é importante evitar algumas atividades que estimulem a competição entre ambos, como o cabo de guerra, pois pode acabar piorando a situação e surgindo mais um conflito.

3. Castre os pets

A castração é um método que pode trazer diversos benefícios para o cão, tanto em questões de saúde como também de comportamento. Um cãozinho macho castrado tende a ser mais manso e ter menos problemas envolvendo território. Já as cadelas também tendem a ficar mais mansas após a castração. Por isso, independente do sexo dos cães, castre ambos, o método evitará conflitos e outros tipos de doenças sérias.

4. Faça check up de saúde

Independente se há conflitos em casa ou não, é de extrema importância verificar como anda a saúde dos pets. Mudanças bruscas de comportamento nos cães, como ficar mais irritado e agressivo, podem significar problemas de saúde. Cães com dor, por exemplo, tendem a ficar menos tolerantes à aproximação. Nesses casos, é fundamental a visita a um veterinário.

5. Faça associação positiva 

É muito importante que o tutor jamais incentive o ciúme ou o comportamento agressivo entre os cães. Logo, você precisa associar a presença um do outro como algo positivo. Por exemplo, procure proporcionar momentos divertidos entre eles. Além disso, sempre procure comprar snacks separados, mas na hora de dar os petiscos, agrade os dois juntos e torne o momento mais especial.

6. Adestre os cães

Se você já tentou de todas as maneiras fazer com que eles conseguissem interagir e nada deu certo, talvez seja hora de contratar um profissional para adestra-los. Nem todos os cães têm uma personalidade amigável ou aberta a socialização. Logo, o adestramento se faz extremamente necessário nesses casos.

O profissional utilizará técnicas especiais para que os cães consigam interagir de maneira mais positiva entre eles. Além disso, o adestramento vai fazer com que o pet se torne mais sociável e aberto até mesmo para o convívio com outros animais e pessoas na rua. O adestramento só trará pontos positivos, pois por meio dele, o respeito do animal por você poderá aumentar consideravelmente. Boa sorte!

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *