Eutanásia: entenda o que é e quais são os diretos dos cães e dos tutores

Entenda melhor do que se trata a eutanásia em cães, os direitos do cão e do tutor, quando é necessária e os casos em que é obrigatória
pastor australiano deitado

Os tutores de cães sabem o quão triste é ver seus animais de estimação enfrentarem doenças, sentirem dores e desconfortos. Ninguém quer ver o pet não conseguindo levar uma vida saudável e feliz. Seja por doenças incuráveis, problemas que surgem devido à idade avançada ou qualquer outra complicação que possa surgir, todo cão tem direito à uma vida e morte digna.

Pensando nisso, existe um procedimento chamado eutanásia, que visa acabar com o sofrimento do pet de forma indolor. Nesse artigo, vamos entender quando o cão está apto para passar por isso e como deve ser feito. Além disso, destacamos quais são os direitos dos cães e dos tutores na hora de enfrentar um momento tão difícil. Confira!

O que é eutanásia em cães e como é realizada?

A eutanásia canina é um procedimento que visa cessar a vida do cão de forma indolor. Ela é indicada em casos de cães que possuem doenças incuráveis e que estejam enfrentando uma grande agonia. Em outras palavras, é uma forma de encerrar o sofrimento do cachorro diante de uma doença que ele não conseguirá se recuperar.

Cães com câncer, por exemplo, podem ainda ter uma vida digna e feliz, porém, em estágios muito avançados, em que não existe evidência de melhora e o cão sente dores e desconfortos constantes, não há porquê prolongar o sofrimento. Contudo, é sempre um dever do veterinário orientar sobre as possibilidades de tratamento ou sobre a falta deles, deixando claro quais são as alternativas para cada caso.

O Conselho Federal de Medicina Veterinária é o responsável pela regulamentação da eutanásia no Brasil e possui o “Guia de Boas Práticas para Eutanásia”, que garante segurança e responsabilidade durante o processo. O procedimento de eutanásia pode ser feito através de medicamentos injetáveis ou inalatórios, a fim de que o cão perca a consciência de forma imediata e também seja indolor. Esse procedimento deve ser realizado num ambiente seguro e tranquilo, para não provocar medo ou ansiedade no cão.

A eutanásia canina é obrigatória?

veterinário aplicando remedio na veia

A eutanásia em cães é recomendada pelo veterinário após avaliação de casos extremos, quando não existem mais alternativas. Contudo, a palavra final é sempre da família e a decisão de deixar o cão lutar mais pela própria vida ou encerrar o processo, deve ser do tutor. Vale ressaltar que o profissional precisa solicitar uma autorização por escrito do responsável legal pelo cão.

Por outro lado, existem casos em que a eutanásia é obrigatória e, independente do desejo do tutor, o veterinário deve realizá-la. Os cães obrigados a se submeterem ao procedimento são aqueles que oferecem riscos à saúde pública, isto é, apresentam doenças como por exemplo a leishmaniose e a raiva canina.

Em qualquer dos casos, a situação deve ser tratada da forma mais sensível e responsável possível. De acordo com o Conselho Federal de Medicina Veterinária, é escolha dos tutores estarem presentes ou não durante o procedimento. Claro, desde que não apresente nenhum risco durante a realização. Além disso, para garantir segurança no processo, o médico veterinário deve estar presente e se certificar da irreversibilidade.

Ninguém quer perder um companheiro canino, mas o bem-estar do cão e das pessoas ao seu redor não pode ser ignorado. Diante dessa situação, o tutor pode receber apoio não só da equipe veterinária, mas também de psicológicos especializados, que irão contribuir para que a família lide melhor com o momento da decisão e com a perda.

Comentários