Piolho de cachorro: sintomas, os tipos do parasita e como tratar

O piolho em cachorro pode gerar muito incômodo para o pet. Conheça os sintomas, quais os tipos do parasita e como tratar o animal
cachorro com coceira

A maioria acredita que os cães só podem sofrer com as pulgas e carrapatos, mas na realidade, os peludos também podem acabar pegando piolho. E assim como os outros parasitas, o piolho de cachorro causa muita coceira e incômodo, logo, é importante tratar o mais rápido possível. Se o tutor demorar a resolver o problema, o animal também pode acabar contraindo algumas doenças graves.

Entretanto, é importante salientar que o piolho dos cães não é o mesmo que aparece nos humanos, com isso, a forma de tratamento é diferente. Porém, o parasita pode viver em ambientes como o tapete ou a cama do pet, e picar os humanos em algumas ocasiões, logo, a limpeza do local onde o bichinho vive também faz parte do tratamento.

Se você está desconfiando que o seu cachorro está com piolho, é hora de você descobrir como resolver o problema.

Sintomas dos piolhos nos cães

  • Coceira permanente;
  • Mordidas e arranhões por todo o corpo, pois o animal faz isso na tentativa de se livrar dos piolhos;
  • Pelo áspero e fosco;
  • Irritação severa;
  • Ferimentos;
  • Doenças de pele;
  • Estresse e ansiedade;
  • Desconforto;
  • Inatividade.

Qualquer cão está suscetível a contrair piolhos. Geralmente estão localizados no pescoço e na cauda, ​​embora também possamos encontrá-los em aberturas e feridas. Geralmente, o cão com piolhos tende a esfregar, morder e coçar a área afetada, da mesma forma que pode apresentar pelo tremendamente áspero e fosco.

Será possível perceber uma irritação severa, assim como o aparecimento de várias doenças dermatológicas e um constante estado de ansiedade e inquietação no animal por conta da dor e coceira.

Após um certo período de tempo, o tutor vai conseguir observar áreas sem pelos e com feridas. Neste estágio, a chances do animal apresentar doenças bacterianas são altas.

Nos casos mais graves, quando a presença de piolhos é excessiva, pode ocorrer o aparecimento de anemia no pet, causada principalmente pela perda progressiva de sangue. E, como já mencionamos, podem transmitir vírus, bactérias, fungos e protozoários, de modo que pode ocorrer facilmente o aparecimento de doenças secundárias graves.

Tipos de piolhos de cachorro

  • Heterodoxus spiniger: mede aproximadamente 2,5 centímetros. Ele é um piolho que pode abrir espaço para o surgimento de outros parasitas, como Dipylidum caninum ou Dipetalonema reconditum;
  • Linognathus setosus: alimenta-se do sangue do cão mais do que os outros tipos, mede aproximadamente 1,5 a 2,5 milímetros de comprimento. Afeta principalmente a área da cabeça, pescoço e tórax, por serem muito pequenos, são os mais difíceis de identificar;
  • Trichodectes canis: esse piolho mede 1,5 a 2 milímetros, ele geralmente se hospeda na cabeça, pescoço, orelhas e tronco do pet.

Os piolhos são parasitas externos relativamente comuns em cães, embora não tão comuns quanto pulgas ou carrapatos. Eles geralmente afetam animais vulneráveis, como os filhotes, idosos ou doentes. E assim como nos humanos, os piolhos de cachorro também picam e se alimentam do sangue do animal. Em determinadas situações, podem atuar como vetores de múltiplas doenças, é aí que mora o perigo.

Por exemplo, o piolho Trichodectes canis pode atuar como hospedeiro intermediário para a Dipylidium caninum, piolho que pode também afetar os humanos. Tratam-se de insetos achatados, sem asas, que medem entre 2 e 4 mm de comprimento, embora às vezes cheguem a 8 mm. Eles se agarram firmemente ao pelo do animal e, por isso, as picadas geram dor, coceira e muito desconforto para o cachorro.

O ciclo de vida dos piolhos ocorre na própria pelagem do cão, portanto é possível encontrar lêndeas e ovos mais ou menos desenvolvidos, dependendo do estágio ninfal em que se encontram. Após cerca de três ou quatro semanas, uma nova geração de piolhos aparecerá e continuará a se alimentar do animal.

Quando ocorre uma infestação generalizada, podem surgir outros problemas de saúde associados, por isso é fundamental detectá-los prontamente e aplicar um tratamento eficaz para eliminar e prevenir o seu reaparecimento.

Como tratar o piolho de cachorro?

cachorro tomando banho
  • Aplique de um shampoo antiparasitário: a primeira coisa é oferecer um banho com um produto repelente que nos ajuda a eliminar a maioria dos parasitas e os intoxica. Depois seque completamente o pelo do pet;
  • Em seguida, escove os pelos do animal com um pente específico para remover pulgas e carrapatos;
  • Depois de lavar, secar e pentear, é a hora de aplicar a medicação. O tutor pode escolher entre coleira, spray ou o pó para aplicar no pelo do animal. Esses produtos são de extrema importância para garantir a eliminação total dos piolhos;
  • Os piolhos de cachorro também podem estar pelo ambiente, principalmente onde o animal costuma dormir. Logo, faça a higienização de todo o local e lavando cama, colchão e todos os outros acessórios do animal. Uma boa dica é misturar vinagre de maçã com água e borrifar por todo ambiente, o vinagre funciona como um veneno para os piolhos de cachorro.

Em clínicas veterinárias há uma grande variedade de produtos destinados à eliminação e controle de parasitas externos, e não apenas pulgas e carrapatos. É possível encontrá-los em diferentes formulações, como comprimidos, shampoos, coleiras, aerossóis ou pós.

Para facilitar a eliminação dos piolhos em cães, o tutor pode cortar ou tosar o pelo do cão antes de aplicar qualquer um dos produtos. Retirar os pelos é importante para garantir que nenhum ovo ou filhote do piolho vai ficar no corpo do seu amigo de quatro patas.

É imprescindível que a aquisição dos produtos para o combate dos piolhos seja feita em clínicas veterinárias e seguindo as orientações de um profissional, pois a administração dependerá diretamente do tamanho, porte, idade e da saúde do peludo.

É importante notar também que os cachorros são especialmente sensíveis e que nem todos os produtos anti-vermes são adequados para eles. Boa sorte!

Comentários