Tudo sobre a raça Dálmata

O Dálmata é um cão que se destaca não apenas pelo seu corpo branco decorado com várias manchas pretas, mas também pela personalidade afetuosa e inteligente.
  • Dálmata com uma rosa
  • Dálmata marrom
  • Preço do Dálmata
  • Dálmata gigante ao lado Chihuahua
  • Rosto de Dálmata preto
  • Dálmata marrom deitado
  • Dálmata
  • Dálmata brincando na grama
  • Dálmata deitado jardim

O Dálmata é um cão que se destaca não apenas pelo seu corpo branco decorado com várias manchas pretas, mas também pela personalidade afetuosa e inteligente, altamente recomendável para conviver com famílias e crianças.

Se você é o orgulhoso tutor de um Dálmata ou está pensando em adotar um cãozinho desta raça, preparamos um resumo especial para você. A seguir, você encontrará as principais características físicas e comportamentais do Dálmata e também poderá conhecer os cuidados que esta raça requer para ter uma vida ativa, saudável e feliz.

Índice – você encontrará as seguintes informações nesse artigo:

  1. Ficha técnica
  2. Características da raça
  3. Características físicas
  4. Personalidade
  5. Como cuidar
  6. Saúde
  7. Filhotes
  8. Preço
  9. Dúvidas frequentes
  10. História

Ficha técnica da raça Dálmata:

Adaptação
Bom para apartamento
Gosta de ficar sozinho
Gosta de outros cachorros
Gosta de gatos
Gosta de estar com a família
Higiene e saúde
Cuidados com a higiene
Riscos com a saúde
Solta pelos
Tamanho
Treinamento
Fácil de adestrar
Necessidade de exercícios físicos
Late muito
Gosta de brincadeiras
Características da raça:

Grupo: Grupo dos Não Esportistas
Altura: 56 a 61 cm para machos e fêmeas
Peso: 15 a 32 kg para machos e 16 a 24 kg para fêmeas
Personalidade: Amigável, ativo, brincalhão, extrovertido, energético, sensível, inteligente
Expectativa de vida: 10 a 13 anos

Características físicas do Dálmata

Os Dálmatas são cães de porte médio, que exibem um corpo de perfil retangular (sendo levemente mais compridos que altos). Os machos e as fêmeas são bastante parecidos, tanto em aparência como em tamanho.

Segundo o padrão oficial da raça, os exemplares adultos (machos e fêmeas) devem medir entre 56 e 61 cm de altura, com um peso corporal de 15 a 32 kg.

Sem dúvidas, a característica física mais reconhecida desta raça é o peculiar padrão estético de sua pelagem, formada por pelos curtos, lisos, duros e brilhantes. Geralmente, observamos manchas pretas de forma predominantemente arredondada sobre o fundo branco. Porém, o padrão da raça também aceita exemplares com manchas marrons, sempre preservando a predominância da cor branca.

Características do Dálmata
As manchas são uma das características mais marcantes do Dálmata

Também é importante destacar a enorme elegância que caracteriza os Dálmatas. Estes cães exibem traços finos e curvas suaves bem delineadas, que conformam não somente o contorno do seu corpo, mas também de seu focinho e da sua cabeça.

No entanto, não devemos imaginar que os Dálmatas são cães frágeis. Seu dorso é reto e poderoso, enquanto seu peito é largo e profundo. Além disso, as patas altas e musculosas dão grande agilidade e força a estes cães.

A cabeça dos Dálmatas também é digna de menção, graças ao seu característico formato de prisma e à sua equilibrada proporção com o corpo do cão. Os Dálmatas não devem ter rugas ou papadas na cabeça, no focinho ou no corpo.

Seus olhos são ovais e devem sempre ter a mesma cor que as manchas que adornam seu corpo, assim como sua trufa. Já as orelhas são triangulares com as pontas arredondadas e sempre mantém o mesmo padrão de pelagem do corpo do cão.

Por outro lado, o rabo pode ou não ser manchado como o corpo, porém, deve sempre ser longo e ter forma de sabre.

Personalidade e temperamento dos Dálmatas

O temperamento do Dálmata é naturalmente ativo, amigável, afetuoso e seguro de si mesmo. No seu núcleo familiar, costumam se mostrar muito paciente com as crianças e sempre estarão bem dispostos para brincar, correr e pular junto aos seus pequenos companheiros.

Quando recebem uma boa educação e são socializados desde filhotes, demonstram uma notável inteligência e predisposição para aprender uma infinidade de truques, tarefas e esportes.

Porém, estes cães são tão sensíveis e enérgicos que, se não receberem os devidos cuidados com sua saúde e sua educação, podem adoecer facilmente e também desenvolver certos problemas de comportamento. Infelizmente, com certa frequência, vemos Dálmatas desobedientes ou com sintomas de agressividade, por não encontrar nos seus tutores o carinho e a atenção que merecem e necessitam.

Personalidade do Dálmata
O temperamento do Dálmata é naturalmente ativo, amigável, afetuoso e seguro de si mesmo.

Além disso, os Dálmatas possuem um bom grau de sociabilidade tanto com pessoas como com outros cães. Porém, não se surpreenda se seu cãozinho adotar uma postura desconfiada na presença de indivíduos desconhecidos. Como são autênticos cães de caça e de guarda, devem permanecer atentos para identificar rapidamente qualquer estímulo estranho no seu território.

Por isso, estarão sempre concentrados e alertas aos acontecimentos e às alterações do seu entorno. Porém, com um bom processo de socialização, seu Dálmata poderá desenvolver suas habilidades sociais e desfrutar da companhia de outros animais.

Como cuidar de um Dálmata

Os Dálmatas são cães hiperativos, curiosos e inteligentes. Seu corpo e sua mente necessitam de uma alta dose diária de exercícios e estimulação para conservar seu perfeito equilíbrio. Os passeios diários (de 2 a 3, com 35 a 50 minutos cada) serão essenciais para manter um peso saudável e conservar um comportamento equilibrado.

Por outro lado, a estimulação mental (por meio de jogos de inteligência e brinquedos interativos) será indispensável para permitir que seu Dálmata desenvolva plenamente suas capacidades físicas, cognitivas, sensoriais, e sociais. Além disso, esta raça se desempenha com excelência em esportes caninos como o agility e o searching.

O adestramento e a socialização também serão cuidados essenciais para oferecer uma vida digna e equilibrada ao seu Dálmata. Através de um bom processo de socialização, seu melhor amigo poderá aprender a se relacionar positivamente com as pessoas e com outros animais.

O ideal é começar a socializá-lo durante sua infância, logo após completar o primeiro ciclo de vacinas e tratamentos contra parasitos internos e externos. O adestramento será o melhor exercício para manter seu Dálmata fisicamente e mentalmente ativo, além de ensiná-lo a respeitar as normas da casa e manter um bom comportamento.

Os Dálmatas, assim como todos os pets, precisam receber uma nutrição completa e equilibrada para permanecer fortes, ativos e saudáveis. Por isso, escolha sempre uma ração de excelente qualidade como base de sua dieta e lembre-se de respeitar as quantidades diárias adequadas ao seu tamanho, seu peso e sua idade.

Estes cãezinhos podem engordar facilmente, então, não exagere nas guloseimas. Também recomendamos conversar com seu veterinário sobre o uso de suplementos naturais que ajudem a fortalecer os ossos e as articulações de seu Dálmata, prevenindo doenças degenerativas.

Quanto à sua higiene, os Dálmatas necessitam cuidados simples, porém, sua pelagem deve ser escovada com bastante frequência (pelo menos, dia sim dia não) para eliminar os pelos mortos e evitar que caiam por toda a casa.

Os banhos devem ser dados 1 vez por mês ou a cada 6 semana, para evitar eliminar a oleosidade natural que protege seu corpo.

Para complementar a higiene de seu Dálmata, é importante estar atento para suas orelhas, pois ele pode acumular umidade e impurezas no canal auditivo interno, o que favorece o desenvolvimento de infecções, inflamações e alergias. Por isso, se seu cãozinho se molha durante um passeio ou uma brincadeira, lembre-se de secar delicadamente a parte interna e externa de suas orelhas, utilizando uma gaza limpa ou um pano limpo e seco.

Além disso, é importante limpar diariamente as remelas de seus olhos, além de escovar seus dentes 3 vezes por semana. Um corte de unhas a cada mês também será bem vindo.

Problemas de saúde mais comuns no Dálmata

Apesar de ser uma raça forte e resistente, os Dálmatas foram submetidos a diversos cruzamentos indiscriminados (inclusive consanguíneos) durante sua história. Por isso, esta raça demonstra predisposição genética a alergias alimentares, queimaduras solares e diversas doenças, como:

  • Dermatites
  • Infecções (por bactérias ou fungos)
  • Hipotiroidismo
  • Urolitíase
  • Tumores cutâneos
  • Cálculos nos rins, na bexiga ou na uretra
  • Doenças cardiovasculares
  • Displasia de quadril
  • Displasia de cotovelo

Porém, com uma adequada medicina preventiva, os Dálmatas podem levar uma vida saudável e desfrutar de uma expectativa de vida entre 10 e 13 anos (dependendo do estilo de vida proporcionada a cada cão).

Por isso, não deixe de realizar visitas ao veterinário a cada 6 meses, respeitar o calendário de vacinação e não se esqueça dos tratamentos antiparasitários internos (vermífugos) e externos (pipetas, comprimidos mastigáveis, etc). Com os devidos cuidados, seu Dálmata poderá te acompanhar por muitos anos.

Filhotes de Dálmata

Se sua cadela acaba de dar a luz, será muito importante levar os filhotes ao veterinário para dar início à sua imunização, controlar seu crescimento e ganho de peso. Além disso, as fêmeas devem contar como acompanhamento de um veterinário durante toda sua gestação.

Os pequenos Dálmatas precisarão dormir algumas horas por dia para crescerem fortes e saudáveis. Durante seus primeiros 6 ou 7 meses, os filhotinhos terão um crescimento acelerado. Porém, só poderão ser considerados adultos a partir de seu 12º mês de vida.

5 filhotes de Dálmata
Filhotes de Dálmata

Como são muito ativos, inteligentes e sensíveis, os Dálmatas precisam ser bem educados e socializados desde sua infância. Assim que seu cãozinho chegar ao seu novo lar, será essencial apresentar as normas da casa e evitar reforçar condutas inapropriadas.

Ao completar seu primeiro ciclo de vacinas e antiparasitários (entre seu 5º e 6º mês de vida), será o momento ideal para dar início ao seu processo de socialização.

Quanto custa um filhote?

O preço de um filhote de Dálmata costuma variar segundo sua linhagem, seu sexo e seu canil de origem. Quando um cãozinho é filho de progenitores premiados internacionalmente, seu valor será muito alto, já que sua genética é muito apreciada no mercado cinófilo.

Atualmente, um filhote de Dálmata, no Brasil, pode custar entre R$1.000 e R$2.300.

Se você optar por adquirir um Dálmata em um canil, lembre-se de escolher estabelecimentos confiáveis, que estejam devidamente registrados e cumpram com as normas de segurança e higiene. Não indicamos comprar filhotes diretamente com particulares, em pet shops ou na internet.

Dúvidas frequentes sobre a raça

  1. O Dálmata perde muito pelo?

    Apesar de precisar de cuidados simples para manter sua pelagem limpa e saudável, o Dálmata pode soltar muito pelo, especialmente durante as épocas de muda (outono e primavera). Por isso, as escovações devem ser realizadas diariamente ou a cada 2 dias para evitar a acumulação de pelos pela casa.

  2. Os Dálmatas latem muito?

    Depende… Estes cães podem ser um pouco barulhentos quando não recebem uma boa educação ou não praticam exercícios regularmente. Se acumulam muita energia ou são expostos a elevados níveis de stress, os Dálmatas podem latir com bastante frequência. Porém, de acordo com o ACK (American Kenner Club), os Dálmatas não tendem a ser ladradores excessivos.

  3. Os Dálmatas são sociáveis com outros pets?

    Sim, os Dálmatas são cães bastante sociáveis e, como não gostam de ficar sozinhos, costumam desfrutar da companhia de outros pets. Porém, devem ser bem educados e socializados para aprender a se relacionar positivamente com as pessoas e com outros animais.

  4. Posso ter um Dálmata em um apartamento?

    Infelizmente, não se recomenda ter um Dálmata em um espaço reduzido ou fechada como um apartamento. Como te contamos anteriormente, esta raça é hiperativa e necessita exercitar-se constantemente para se manter saudável, feliz e equilibrada.

    Na vida prática, fica muito difícil cumprir com a necessidade diária de exercícios de um Dálmata vivendo em um apartamento. Seriam necessários, pelo menos, 3 passeios diários intensos, cada um com duração mínima de 45 minutos, para fazer um Dálmata gastar boa parte de sua energia. E poucas pessoas podem conciliar uma vida de trabalho com semelhante exigência de tempo.

    Por isso, o ideal é criar um Dálmata em uma casa que conte com um bom espaço ao ar livre, como um jardim ou um pátio. Desta forma, seu cãozinho poderá correr, brincar, pular e gastar quanta energia for necessária, enquanto você cumpre com suas responsabilidades durante o dia.

  5. Os Dálmatas são bons cães para crianças?

    Novamente, a resposta para esta pergunta dependerá fundamentalmente da educação que damos a nosso Dálmata. Naturalmente, estes cães são muito pacientes com as crianças e estão sempre bem dispostos para brincar, correr e se divertir na sua companhia. Porém, por serem tão sensíveis, rápidos e ativos, podem reagir negativamente ao receber um puxão na sua cauda ou na sua orelha ou qualquer tipo de maltrato acidental.

    Por isso, os Dálmatas costumam ser indicados para crianças maiores de 8 anos, que já tenham aprendido que os cães não são brinquedos e podem se machucar quando as brincadeiras não respeitam certos limites. Além disso, devemos recordar que todos os cães, independente de sua raça ou idade, devem ser socializados e aprender os comandos básicos de obediência canina para brincar com as crianças ou com outros pets.

História e origem dos Dálmatas

Embora seja uma raça muito conhecida e estudada, a origem exata dos Dálmatas ainda é desconhecida e desperta muita polêmica entre os especialistas. Sabe-se que seu nome faz referência à região de Dalmácia, que pertencia à antiga Iugoslávia e, hoje, integra o território da Croácia.

Além disso, as primeiras menções conhecidas a esta raça foram encontradas em pinturas croatas realizadas durante o século XVII. Porém, a maioria dos especialistas concorda que os Dálmatas teriam surgido muito tempo antes. E alguns estudiosos afirmam que os antepassados desta raça poderiam ter vivido já durante o antigo Egito.

Independente de seu local de nascimento, os Dálmatas fizeram enorme sucesso e foram utilizados para muitas finalidades desde seu surgimento até os dias de hoje. Inicialmente, esta raça foi treinada como cão de caça e de guarda. Porém, sua consagração ocorreu como cão de carruagem para a nobreza da Inglaterra, em meados do século XVII. Além de cuidar os cavalos que puxavam a carruagem, os ingleses acreditavam que os Dálmatas brindavam uma estética sofisticada às suas carruagens.

Quando o automóvel surgiu e, pouco a pouco, substituiu a carruagem, os Dálmatas perderam popularidade e sua população diminuiu consideravelmente na Europa. Porém, graças à sua notável beleza e ao seu temperamento muito vivaz e afável, a raça foi rapidamente adotada como cão de companhia e sua população voltou a crescer alguns anos depois.

Na década de 60, foi lançada a primeira versão animada do livro “101 Dálmatas”, o que fez com estes cãezinhos dessem um salto de popularidade ao continente americano. Porém, foi a posterior versão modernizada, lançada em 1996, que consagrou os Dálmatas como uma das raças mais cobiçadas do século XX.

Hoje em dia, os Dálmatas continuam sendo muito queridos e fazem parte da vida familiar de muitos lares ao redor do mundo.