Cadela castrada pode entrar no cio?

Após a castração, a cadela automaticamente não entra mais no cio. Se os comportamentos permanecerem, algo pode estar errado. Tire suas dúvidas
Shih Tzu fêmea

A cirurgia de castração é um dos métodos mais populares, efetivos e recomendados pelos médicos veterinários para evitar doenças, gestação indesejada e comportamentos indevidos nas cadelas e nos cães.

No entanto, muitos tutores têm medo, dúvidas e receios sobre o procedimento. Além disso, quando se trata da cirurgia de castração, muitas informações errôneas acabam surgindo, por isso também separamos mitos e verdades sobre esse procedimento.

O principal mito é de que as cadelas só podem castrar após o primeiro cio, pois caso não o faça, terá sérios problemas de saúde. Essa informação é falsa. As cadelas podem ser castradas em qualquer momento da vida, principalmente antes do primeiro cio. Além disso, quanto mais cedo você castrar a cadela, mais benefícios a cirurgia trará para a saúde e comportamento do pet.

 O método é bastante seguro e raramente existem complicações relacionadas à cirurgia. A castração evoluiu bastante e hoje o procedimento é realizado com uma incisão bem pequena e o animal consegue voltar à vida normal no dia seguinte.

Mas para não te deixar na dúvida, neste artigo nós vamos te explicar um pouco mais sobre a castração e explicar se as cadelas podem entrar no cio mesmo após o procedimento. Acompanhe!

O que é a cirurgia de castração e o cio?

Bem, como dito anteriormente a castração é uma cirurgia que evita doenças, como o câncer de mama, gestação indesejada e comportamentos indesejados, como a agressividade no período do cio.

O método consiste na retirada dos órgãos reprodutivos, como o útero, ovários e tubas uterinas nas fêmeas e os testículos nos machos. O método não prejudica o animal, ele continua tendo uma vida normal e até mesmo mais saudável.

Muitos tutores ainda se perguntam como a castração pode ser benéfica já que estamos falando da retirada de órgãos reprodutivos. Bem, ao optar pelo método, você evita que o seu pet tenha diversos problemas hormonais que podem causar doenças, como os tumores no ovários e nas mamas.  Além disso, o procedimento evita que o animal pegue infecções e desenvolva um comportamento agressivo devido a frustração sexual. 

A frustração sexual ocorre durante os períodos de cio. O cio é o estado de receptividade sexual extrema que as fêmeas enfrentam. Os machos não têm cio. O período dura cerca de 7 a 15 dias, e no caso das cadelas, pode ocorrer duas vezes no ano.

Quando o animal está no cio e o tutor impede ele de cruzar com outro animal, ele desenvolve um comportamento agressivo e bastante atípico. Por isso a cirurgia de castração é tão importante.

Os machos não entram no cio mas eles conseguem farejar uma fêmea que está no cio a quilômetros de distância, logo, eles podem fugir e acabarem se machucando ou se perdendo durante o trajeto. Além disso, os machos ficam com um comportamento excessivo de marcação de território, fazendo xixi por toda a casa. Esse é outra questão que a cirurgia de castração pode evitar.

Cadelas podem entrar no cio mesmo castradas? 

Depois de esterilizada, a cadela não entra mais no cio e também não pode mais ficar prenha. Após a extração dos ovários e os cornos uterinos, a cadela automaticamente não entra mais no cio, pois essa medida interfere diretamente nas questões hormonais. No entanto, se você desconfia que sua cadela esteja no cio mesmo após o procedimento, é sinal de que algo está errado. 

Nesses casos a cadela pode estar apresentando dois problemas, a síndrome do ovário remanescente ou síndrome do resto ovárico. Ambas as síndromes acontecem quando existe um fragmento de tecido ovárico dentro da cavidade abdominal da cadela.

Isso acontece pois mesmo com a cirurgia, um pedaço do ovário acabou ficando para trás, fazendo com que a pet tenha sintomas semelhantes ao cio. 

Além disso, o período em que a cadela foi castrada também deve ser levado em consideração. Animais que são castrados após os 4 anos de idade podem ter alguns comportamentos automáticos ligados ao cio, mas isso não quer dizer que realmente seja o cio. Isto é, o corpo da cadela acaba tendo essas reações, como a vontade da cruza, sangramento, alterações de comportamento e interesse com os machos.

Outro fator também que deve ser considerado é a gravidez psicológica nas cadelas. Esse quadro é bastante comum e pode ocorrer com frequência caso a cadela também seja castrada depois dos dois anos de idade. Os sintomas são semelhantes ao cio, logo, o tutor pode se confundir. Na gravidez psicológica a cadela fica com as mamas e a vulva inchadas.

Então mesmo após o método, a cadela continuará apresentando sangramento, inchaço da vulva, vontade de cruzar e vários outros sintomas ligados ao cio. Mas as chances da cadela ficar prenha diante desse quadro são quase inexistentes. Procure um médico veterinário com urgência! 

O que o tutor pode fazer nesses casos? 

No entanto, é importante salientar que as síndromes são muito raras de acontecer, logo, um médico veterinário deverá analisar a cadela para diagnosticar o que realmente está acontecendo com o pet.

Em alguns casos, as cachorras continuam apresentando um sangramento parecido com o do cio mesmo após a cirurgia, o que é bem mais simples de resolver. 

Já a gravidez psicológica e o comportamento automático com os sintomas do cio precisam de um tratamento mais lento e cuidadoso. Nesses casos, a cadela vai precisar tomar algumas medicações para sanar a questão.

Além disso, apenas o profissional poderá lidar e sanar a questão, pois na clínica veterinária serão feitos exames e ultrassons para identificar se realmente a cadela é portadora da síndrome. Caso seja, ela terá que ser submetida a outro procedimento cirúrgico para remover o tecido do ovário que ficou para trás. 

Mesmo com essas complicações raras, é muito importante que você não deixe de castrar o seu pet. O método traz diversos benefícios e traz muita qualidade de vida para o seu bichinho. Para te ajudar, separamos vantagens e desvantagens do procedimento. Pense nisso e converse com um médico veterinário de confiança. Boa sorte!

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *