Cachorro não consegue ficar em pé: veja 6 possíveis causas

É realmente preocupante quando o cachorro não consegue ficar em pé. Pensando nisso, separamos 6 causas que podem levar ao quadro. Confira!
Dogo Argentino deitado no sofá

Se o seu cãozinho está com dificuldade para ficar em pé e até mesmo para se locomover, você certamente deve estar extremamente preocupado, e com razão. Geralmente esse quadro costuma ser sério e um médico veterinário precisa ser consultado para que a causa seja identificada.

Há diferentes causas e doenças que podem fazer com que o animal não consiga ficar em pé. No entanto, existem alguns cães que apresentam pré-disposição ao problema. Ao longo desse texto, explicaremos tudo o que você precisa saber sobre esse assunto, incluindo as causas, tratamentos e formas de prevenção. Acompanhe!

Por que meu cachorro não consegue ficar em pé?

Existem várias causas que podem levar o cachorro a não conseguir ficar em pé, mas a grande maioria delas é por conta de um problema ortopédico ou neurológico. Quando a causa é de origem ortopédica, o tratamento tende a ser um pouco menos complicado. No entanto, quando a causa é neurológica, o quadro pode demorar mais para ser solucionado. Confira abaixo algumas possíveis causas:

1. Fratura óssea

A fratura óssea é uma das causas mais comuns quando os cães não conseguem ficar em pé. Algumas fraturas, como as nas patas, são fáceis de serem identificadas e vistas. Já quando a fratura é no quadril, por exemplo, pode ser mais difícil de perceber. No entanto, o animal além de ter dificuldade para ficar em pé, ele apresentará mudanças de comportamento, falta de apetite e dor. Para tratar a fratura, o pet terá que ficar com a região lesionada imobilizada por algumas semanas. Leve-o o mais rápido possível ao veterinário.

2. Lesões articulares e nos ligamentos

Essas lesões são ainda mais difíceis de serem notadas que as fraturas, afinal, você não consegue ver as articulações ou ligamentos do seu cãozinho. O animal pode lesionar as articulações e ligamentos ao correr, brincar e pular. Geralmente quando isso ocorre, além de não conseguir ficar em pé, o pet fica com a região bastante inchada e roxa. Em alguns casos, esse tipo de lesão só é possível de ser tratada por meio de uma cirurgia, logo, busque um profissional o mais rápido possível.

3. Malformação

Geralmente quando o cachorro não consegue ficar em pé e ainda é um filhote, provavelmente ele pode ter algum problema de malformação óssea. Geralmente esse quadro pode ser tratado com cirurgia ou fisioterapia e quanto mais cedo o veterinário começar a tratar o cachorro, mais chances de cura o pet vai ter, e o mais importante, conseguirá ficar em pé! Por outro lado, há alguns casos que o pet precisará de andadores ou cadeira de roda especial.

4. Artrose ou artrite

A artrose ou artrite é mais comum em cães idosos, ou seja, com mais de 8 anos de idade. Na maioria das vezes o pet vai começar a mancar e o quadro poderá evoluir, logo, ele não conseguirá mais ficar em pé e também andar. A diferença é que a artrite se desenvolve rápido e o animal começa a ficar com dificuldade de locomoção em semanas, já a artrose leva meses para começar a prejudicar o cachorro. Geralmente é possível tratar através de medicamentos e também fisioterapia.

5. Alterações articulares

Os cães também desenvolvem problemas nas articulações, principalmente aqueles que estão acima do peso e não praticam atividade física com frequência. Quando o animal sofre de alteração articular, não consegue ficar em pé e realizar outras atividades. O quadro, na maioria das vezes, é tratado por meio de cirurgia. Como o animal sente muita dor neste caso, não hesite em levá-lo com urgência ao veterinário.

6. Neoplasia óssea

O osteossarcoma canino é um dos tumores malignos mais comuns e a principal neoplasia de origem óssea nos cães. Assim como os seres humanos, os cachorros também podem ter câncer, especialmente à medida que envelhecem. Essa enfermidade impede o animal de ficar em pé e andar, além de causar muita dor. Como se trata de um tumor, a solução é a quimioterapia e a cirurgia. E quanto mais cedo o diagnostico, mais sucesso o tutor terá.

Pré-disposição ao problema

Dachshund preto deitado

Os cães idosos são os que mais podem apresentar todas as causas citadas. No entanto, algumas raças com patas curtas e corpo alongado fazem parte do grupo de risco, à medida em que possuem maior predisposição a apresentar alterações nos discos intervertebrais. É o caso dos cães das raças dachshund, corgi, bulldog francês, pug, shih-tzu, pinshcer e chihuahua. É muito importante prevenir e redobrar o cuidado com essas raças.

Como prevenir e ajudar o cachorro?

A melhor maneira para prevenir o quadro em que o cachorro não consegue ficar em pé, é preparando para ele um ambiente seguro e reduzindo possíveis acidentes domésticos. Diminuir os esforços excessivos e a sobrecarga da coluna, principalmente dos cães de para curta, é essencial para prevenir problemas mais graves. Atualmente, existem rampas e escadas próprias para cães que facilitam a locomoção e exigem menos esforço do peludo.

Além disso, puxar demais a coleira também é um comportamento errado do tutor que favorece problemas de locomoção, portanto, invista no adestramento e não dê trancos no cão ao longo das caminhadas.

Comentários