Cachorro medroso: veja as causas e o que é indicado fazer para ajudar o animal

Por trás de um cachorro medroso estão diferentes motivos. Veja o que pode levar o cão a ter medo e como ajudá-lo a superar
chihuahua com medo

O medo é aquela angústia que, segundo o dicionário da língua portuguesa, é gerada por um risco ou dano real ou imaginário. Também pode ser descrito como uma resposta instintiva à situações que representam uma ameaça. Se o seu cachorro é medroso, pode existir um bom motivo por trás desse sentimento. Por isso, é muito importante que o tutor busque ajuda-lo a superar seus medos com paciência e amor, e nunca com punição ou gritos com o pet.

Mas para ajudar o animal a superar esse trauma, é muito importante que você conheça um pouco mais sobre o assunto, e principalmente, as causas. Por isso, neste artigo, nós vamos te explicar o porquê os cães sentem medo e quais são os principais motivos que fazem com que eles desenvolvam esse sentimento. Para ficar por dentro, acompanhe até o final.

Por que o cachorro fica medroso?

Um cachorro medroso envolve desde um trauma que ele viveu quando ainda era filhote ou até mesmo a falta de convivência com outros animais. Também pode acontecer que alguns cães não consigam identificar precisamente as causas de seu medo. Algumas situações são mais comuns, como:

  • Falta ou deficiência de socialização com humanos e outros cães;
  • Separação precoce de sua mãe;
  • Experiências traumáticas em qualquer fase da vida;
  • Predisposição genética;
  • Abuso físico ou psicológico, acontece muito com cães que são adotados já adultos e viveram muito tempo em abrigos ou nas ruas.

Diante disso, os cães podem reagir com insegurança ou agressividade diante de pessoas ou situações que o despertam esse sentimento. Sendo assim, é importante ter paciência caso o seu cachorro seja assim.

Do que os cães têm medo?

Os cães podem sentir medo das mais variadas coisas, mas a maioria dos casos são:

  • Certas pessoas que podem lembrá-los de algum trauma passado;
  • Outros animais, principalmente cães maiores que eles;
  • Objetos;
  • Lugares específicos, como um carro, por exemplo;
  • Ruídos, esse é o principal causador de medo nos cães, tendo em vista que a audição deles é extremamente sensível;

Como os cachorros demonstram que estão com medo?

Cães manifestam medo de maneiras diferentes e não é muito difícil perceber quando um cachorro sente medo. Por exemplo:

  • Eles evitam ou se escondem de seres ou coisas que lhes causam medo;
  • Eles latem ou atacam o objeto / sujeito de seu medo;
  • Eles permanecem imóveis, como se esperassem que a causa de sua angústia desaparecesse magicamente;
  • Eles são submissos e medrosos. Ou também deprimido ou desinteressado;
  • Eles apresentam tremores por todo o corpo;
  • Taquicardia;
  • Urinar e / ou defecar;
  • Suspiros;
  • Salivação em excesso;
  • Pupilas dilatadas.

Em relação à linguagem corporal, podemos destacar que:

  • Arrepia dos pelos;
  • O animal deita seu corpo contra o chão;
  • Ele joga suas orelhas para trás ou mantem elas abaixadas;
  • Seu rabo fica caído ou entre as pernas;
  • O olhar fica cabisbaixo.

O que fazer quando o cachorro é medroso?

Diante de um cachorro medroso, não hesite em consultar o seu veterinário ou um especialista em comportamento animal, eles poderão te ajudar. No entanto, os medos do seu peludo não irão embora por conta própria, ele vai precisar de auxílio. A primeira coisa a fazer, então, é tentar determinar o que está causando o medo no seu cão. Confira abaixo algumas dicas:

  • Lembre-se que, uma vez determinada a causa do medo do seu cão, ele pode ser tratado e obtido uma reabilitação parcial ou total. Para isso, geralmente são usados ​​2 métodos: dessensibilização e contra-condicionamento;
  • A dessensibilização consiste em expor o animal a níveis muito baixos do que está causando seu medo e aumentar essa exposição à medida que perde o medo. O processo é muito lento e você precisa ser paciente porque, se formos rápido demais, certamente não teremos sucesso;
  • O contra-condicionamento, por sua vez, consiste em tentar casar o estímulo do medo com uma ação ou comportamento incompatível com o comportamento do medo. Por exemplo, ensinar o cão a sentar-se quando o objeto de seu medo aparecer;
  • Em alguns casos, tratamentos farmacológicos, como calmantes naturais, também podem ser aplicados. Mas eles só são eficazes se forem acompanhados de orientações de um médico veterinário.

O que não fazer:

  • Castiga-lo por conta do sentimento que ele está vivenciando. Você só o deixará mais medroso;
  • Faze-lo viver a situações que lhe causam mais medo;
  • Ignorar o quadro e achar que irá passar com o tempo;
  • Não buscar ajuda profissional.

Paciência e amor!

A melhor coisa que você pode fazer enquanto seu peludo tenta colocar seus medos para trás, é garantir um ambiente seguro e saudável para o pet. Seguir uma rotina diária em relação às caminhadas e alimentação é o mais conveniente nesses casos. Procure também uma maneira de fortalecer seu vínculo com o cachorro, para que ele se sinta relaxado e protegido. Além disso, estimule-o com brinquedos e com diversos jogos e exercícios de inteligência, o enriquecimento ambiental é uma boa opção nesses casos. E claro, como sempre, seja paciente e trate-o com o amor e o respeito que ele merece. Boa sorte!

Comentários