Bicheira e berne em cães: o que é, tratamento, sintomas e como evitar

A bicheira ou berne são doenças sérias que atingem os cães e podem causar muito sofrimento. Entenda a doença e saiba como proteger seu pet
cachorro coçando

A bicheira e a berne são duas doenças sérias que preocupam muito os tutores. Ambas são parasitárias e acontecem quando as moscas depositam ovos em feridas abertas na pele do animal, logo, os ovos acabam se tornando larvas que se alimentam do tecido vivo da pele do cão. O resultado disso são feridas ainda mais graves que podem chegar a infectar os órgãos vitais, como o fígado, coração e até mesmo o cérebro.

E a doença não é só feia de ver como também gera diversos incômodos no cachorro. Além da dor, ela causa coceira e uma dor intensa no bichinho. Por isso, se você preza pelo bem-estar do seu amigo peludo, acompanhe este artigo até o final. Neste texto vamos contar tudo o que você precisa saber sobre a berne e bicheira nos cães, como a prevenção e também o tratamento. Confira!

O que é a berne e a bicheira em cães?

Ambas são doenças causadas por moscas. Entretanto, para o animal contrair a berne ou a bicheira, precisa ter inicialmente alguma ferida aberta causada por algum outro motivo. Com a ferida exposta, as moscas veem a oportunidade de colocar ali seus ovos para que aos poucos as larvas cresçam e se reproduzam.

Essas larvas, a medida que vão crescendo, começam a se alimentar da pele do animal. Em função disso, a ferida inicial fica maior, mais infeccionada e o animal começa a sentir dores e coceiras intensas em toda a região machucada e atingida pelas larvas. E tudo acontece muito rápido, na maioria das vezes o tutor não consegue nem ao menos perceber a presença das larvas no machucado. 

Para você ter uma noção da rapidez em que a doença pode atingir o animal, após 7 dias em que os ovos das moscas são depositados na ferida do animal, eles já conseguem eclodir e se transformar em larvas. Após 40 dias, o ciclo se completa e a larva sai da pele do cachorro. No entanto, se essa larva ficar tanto tempo no corpo do animal, pode causar danos irreversíveis, podendo até mesmo, levar o animal a óbito. 

A fatalidade pode acontecer, pois à medida que as larvas vão se alimentando do tecido vivo da pele dele, elas podem facilmente atingir órgãos vitais, como o cérebro e o coração. Uma vez em que esses órgãos são atingidos pelas larvas, as chances de cura são mínimas e as chances do animal ir a óbito acabam sendo dobradas. 

Sintomas da berne e bicheira em cães

Quando os ovos das moscas são depositados na pele, no tecido subcutâneo, a larva acaba deixando um buraco na pele do cachorro, podendo ser maior do que o que havia no local. Logo, se a ferida aumentar e você não ver a cicatrização acontecer, pode ser um indício de berne ou bicheira. A área afetada também pode apresentar inchaço e, se houver inflamação, pus e secreções, de cor branca ou amarelada.

A alteração no comportamento do animal também pode ser um sinal. Se o cãozinho anda se coçando ou se lambendo demais, desconfie. Além disso, ele pode também ficar mais apático e sem disposição por conta das dores causadas pela doença. E quanto maior for a larva, mais desconforto e dor o pet vai sentir.

 A larva do berne em cachorro pode chegar a 8 vezes o seu tamanho após a saída do ovo. Esse crescimento pode levar até 40 dias, que é basicamente o tempo durante o qual seu cachorro pode sofrer de berne.

Outra coisa em que o tutor deve prestar atenção para identificar o problema, é o local afetado pela entrada da larva. A berne pode apresentar ainda um buraco com um inchaço ao redor, muitas vezes com a ponta esbranquiçada, que é a larva saindo para respirar.

Como tratar a berne e a bicheira nos cães? 

O tratamento da berne e da bicheira é simples, o animal deverá ser levado ao médico veterinário para que o profissional possa remover todas as larvas presentes de maneira limpa e segura. Tentar tirar as larvas presentes na pele do animal em casa pode causar uma infecção mais grave.

Além disso, o veterinário irá passar antibióticos específicos para que a ferida seja exposta cicatrize mais rapidamente. Curativos deverão ser feitos pelo tutor com a orientação do profissional para evitar que as moscas retornem e coloquem novamente os ovos na ferida do cãozinho.

Bicheira X Berne: qual a diferença?

Para tratar e auxiliar o cãozinho com o quadro, é muito importante entender a diferença entre a bicheira e a berne. A diferença das suas se baseia no tipo de mosca. A berne é mais perigosa, pois as moscas que causam a doença invadem com mais facilidade os órgãos do animal, no entanto, se desenvolvem mais lentamente. As moscas que causam a berne são chamadas de Dermatobia hominis, elas são encontradas em mais facilidade em campos e fazendas por conta dos bois e cavalos.


Já a bicheira, é causada pelas moscas que vemos com frequência, Cochliomyia hominivorax, aquelas que pousam facilmente nas fezes ou comida do animal. Ela penetra com mais dificuldade nos órgãos dos cães, mas em contrapartida, se desenvolvem muito rápido por preferirem tecidos já lesionados, ou seja, feridas que já se encontram expostas.

Como prevenir berne e bicheira nos cachorros? 

A maior aliada para a prevenção da bicheira e também da berne é a limpeza da casa, pois isso afasta as moscas. Logo, evite que o lixo orgânico fique vários dias exposto no mesmo local e nunca deixe as fezes do animal expostas por muito tempo. O segredo está na higienização da sua casa. Se sua casa tiver jardim, procure manter também a grama aparada. 

Outro método, caso o local onde você viva tenha muitas moscas, é investir na dedetização. Mas para isso são usados produtos químicos que devem ser manipulados por profissionais. O tutor deve ter cuidado para não intoxicar o animal. Além disso, existem coleiras e repelentes que podem ser usados no cãozinho, elas ajudam a manter as moscas longe do cachorro. Por isso, se o seu pet estiver com alguma ferida, utilize essa coleira. 

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *