Microchip para cães: é útil? como funciona?

Microchip para cães: é útil? como funciona?

Neste artigo vamos te explicar tudo sobre o chip, incluindo preços, mitos, benefícios e contar em quais casos o aparelho se faz necessário. Confira

O dispositivo ajuda os tutores a manterem os animais mais seguros de fugas e roubos, pois armazena dados importantes do tutor

A preocupação dos tutores com os seus pets é cada vez maior, logo, muitos produtos estão surgindo no mercado para auxiliar os tutores a protegerem e cuidar melhor dos seus amigos peludos. Um desses produtos é o microchip para cães, a tecnologia do aparelho promete manter o animal seguro, sendo algo de extrema utilidade caso o animal seja roubado ou fuja. 

Além disso, o microchip tem funções importantes, como manter todos os dados do animal ali, ajudando o tutor a ter acesso a ficha e histórico médico do pet.

O serviço para a colocação do chip está cada vez mais popular e acessível. Logo, é muito fácil colocar o aparelho no animal em várias clínicas veterinárias especializadas. 

Muitos tutores acreditam que o microchip é algo caro e de difícil acesso, mas na realidade os chips podem custar a partir de R$ 20 até R$ 80, comprado direto com o fabricante. Porém, o microchip não é útil em todos os casos.

Por isso, neste artigo nós vamos te explicar tudo sobre o chip e contar um pouco sobre em quais casos o aparelho se faz necessário. Acompanhe até o final!

Microchip em cães: o que é?

O microchip é um dispositivo inteligente que guarda todas as informações sobre o animal e também sobre o tutor. No chip ficam os dados pessoais, como endereço, nome do tutor, telefone para contato, raça do animal e algumas outras informações básicas relacionadas à saúde do pet, como tipo sanguíneo, em casos de acidente. 

O microchip é do tamanho de um grão de arroz, ele é aplicado sob a pele do animal com uma agulha especial, própria para o microchip. A aplicação é semelhante a uma aplicação de medicamento subcutâneo, logo, não causa nenhuma dor ou desconforto no cãozinho. Além disso, a durabilidade do chip é vitalício, ou seja, ele vai durar por toda a vida do cachorro. As trocas são necessárias apenas se o animal fizer uma cirurgia ou sofrer algum trauma. 

O aparelho não causa nenhum dano a longo prazo na saúde do pet. Além disso, o corpo do animal não rejeita o microchip, pois ele foi desenvolvido com uma tecnologia especial e exclusiva. O dispositivo já é usado há muitos anos por vários tutores e não existe nenhum relato claro de que o chip faz mal para o pet. Na realidade, o microchip traz diversos benefícios. Confira! 

Microchip em cães: conheça os benefícios do dispositivo 

Ajuda a encontrar o animal em caso de fuga ou roubo 

Uma das principais preocupações dos tutores é o cachorro ser roubado ou ele decidir fugir. Logo, o microchip pode ajudar os tutores nessas situações. Com o microchip instalado, quem encontrar o animal pode levá-lo ao médico veterinário e realizar a leitura do chip. Por meio da identificação e leitura do dispositivo, a pessoa que encontrar o animal pode facilmente contatar o tutor.

Além disso, caso o animal seja roubado e levado a clínica veterinária, o profissional pode fazer a leitura do chip e logo identificar se aquele animal realmente possui àquela pessoa. Caso o veterinário perceba que se trata de roubo, ele pode rapidamente contatar o verdadeiro tutor do animal.

Auxilia cães abandonados 

Infelizmente um grande número de cães e gatos são abandonados diariamente no Brasil, logo, o microchip pode vir a ajudar nesses casos. Quando o animal é resgatado nas ruas, os profissionais de ONGs e veterinários procuram o chip no pet. Caso o dispositivo seja encontrado, o tutor do animal é contactado e as organizações identificam se o animal fugiu ou foi abandonado.

Caso se trate de abandono, o antigo tutor é responsabilizado pelo ato de covardia com o peludo e a ficha dele é repassada para abrigos e canis das cidades. Assim, aquela pessoa fica impossibilitada de adotar ou comprar outro animal. Ao certificar que se trata de um abandono,  os veterinários estão livres para encontrar um novo lar para o pet.

Ideal para armazenar dados de vacinas e medicações 

O microchip é capaz de armazenar todas as vacinas, medicações e vermífugos que o animal já tomou ao longo da sua vida. Dessa maneira, caso o tutor perca o cartão de vacina e se esqueça de quais medicamentos o animal já tomou, o chip faz o serviço de mostrar para ele todas essas informações. Isso evita que o animal tome uma vacina repetida. 

Além disso, o dispositivo também pode registrar alguns dados importantes relacionados à saúde, como: alergias a medicamentos, doenças (caso o animal tenha), sexo do pet e até mesmo se já foi castrado.

Tendo armazenado todo o histórico clínico do animal, as consultas com o médico veterinário são mais rápidas e seguras, basta o profissional ler todas as informações e atualizá-las nas consultas.

Microchip em cães: mitos sobre o dispositivo 

A maioria das pessoas acreditam que o chip faz o serviço de rastreamento e localização do pet. No entanto, o microchip ainda não tem essa capacidade. Logo, se o animal se perder, ele apenas será encontrado se for levado a uma clínica veterinária habilitada para fazer a leitura do chip. Alguns fabricantes estão pesquisando para desenvolver um chip com essa capacidade, mas nada ainda foi feito até o momento. Além disso, para fazer a leitura do dispositivo o tutor, caso queira, precisa ter o aparelho de leitura em casa. 

Outro mito em relação ao dispositivo é de que ele custa muito caro. No entanto, ele é bem em conta. De acordo com as informações da empresa Microchip Animal, o dispositivo pode ser adquirido no site a partir de R$ 20 até R$ 80. Os preços sofrem variações pois depende da capacidade de armazenamento do dispositivo. Mas além de comprar o chip, o tutor precisa levar o animal em uma clínica veterinária para que a aplicação seja feita.

Mas mesmo sem fazer o serviço de rastreamento, o microchip oferece ao tutor um cuidado e proteção a mais em relação ao bem-estar do animal. Além disso, mesmo que seja necessário fazer a leitura do chip, em caso de fuga ou roubo, o dispositivo oferece uma segurança e esperança para os tutores. Por isso, converse com um médico veterinário de confiança sobre o procedimento. Caso se sinta seguro, coloque o dispositivo no seu amigo peludo. Boa sorte!